Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Praça

Vista geral da Praça Duque de Caxias, no Centro de Vila Velha, com jardins construídos na administração de Gil Vellozo. O telhado marrom é do chalé que existe ainda hoje.

Ivan Reis é artista e compositor, membro da Academia de Letras de Vila Velha - Humberto Campos, filho de Dona Balbina Reis com Sebastião Coletor. Fez várias canções gravadas por diversos artistas renomados como Marcio Greyck, Altemar Dutra, Fernando Reis, Gilliard e muitos outros.

Ivan Reis é também o autor da paródia de "A Praça" composta por Raul Sampaio e Carlos Imperial, famosa na voz de Ronnie Von na Jovem Guarda. A letra da paródia retrata a história da rapaziada de Vila Velha no final da década de 1960. Veja:

"A PRAÇA"
Ronnie Von

 

Hoje eu acordei
Com saudades de você
Beijei aquela foto
Que você me ofertou
Sentei naquele banco
Da pracinha só porque
Foi lá que começou
O nosso amor...

Senti que os passarinhos
Todos me reconheceram
E eles entenderam
Toda minha solidão
Ficaram tão tristonhos
E até emudeceram
Aí então eu fiz esta canção...

A mesma praça, o mesmo banco
As mesmas flores, o mesmo jardim
Tudo é igual, mas estou triste
Porque não tenho você
Perto de mim...

Beijei aquela árvore
Tão linda onde eu
Com o meu canivete
Um coração eu desenhei
Escrevi no coração
Meu nome junto ao seu
Ser seu grande amor
Então jurei...

O guarda ainda é o mesmo
Que um dia me pegou
Roubando uma rosa amarela
Prá você
Ainda tem balanço
Tem gangorra meu amor
Crianças que não param
De correr...

A mesma praça, o mesmo banco
As mesmas flores, o mesmo jardim
Tudo é igual, mas estou triste
Porque não tenho você
Perto de mim...

Aquele bom velhinho
Pipoqueiro foi quem viu
Quando envergonhado
De namoro eu lhe falei
Ainda é o mesmo sorveteiro
Que assistiu
Ao primeiro beijo
Que eu lhe dei...

A gente vai crescendo
Vai crescendo
E o tempo passa
E nunca esquece a felicidade
Que encontrou
Sempre eu vou lembrar
Do nosso banco lá da praça
Foi lá que começou
O nosso amor...

A mesma praça, o mesmo banco
As mesmas flores, o mesmo jardim
Tudo é igual, mas estou triste
Porque não tenho você
Perto de mim...(2x)

"A PRAÇA"
Ivan Reis

 

Hoje eu retornei
a Vila Velha afinal
Sentei-me lá no banco
da pracinha principal
Olhei a Prefeitura
bem no centro do jardim
Com seu vigia alegre
Joaquim

Comprei um sanduíche
No carrinho do Edvar
E fui lá pro boliche
Ver a turma conversar
Genóbio, Toca Disco
Valdecy, Carlinhos Chorão
Aí então eu fiz esta canção...

Não tem Vitória, nem Cachoeiro
Nem Colatina, nem Guarapari
É Vila Velha
O ano inteiro
Eu me orgulho da terra em que nasci

No bar do Frederico
Reunia-se a ralé
Que às vezes pertubava
A freguesia do Dedé
A turma da sinuca
Como sempre em reunião
Na porta lá do bar
Do Zé Gusmão

O dono do D. marcos
É o mesmo que arranjou
Encrenca no cinema
Que a turminha apedrejou
Na praça nem balanço
Nem gangorra mais se viu
Pois a turma da Toca
Destruiu

Não tem Vitória, nem Cachoeiro
Nem Colatina, nem Guarapari
É Vila Velha
O ano inteiro
Eu me orgulho da terra em que nasci

A nossa história agora
Vai chegando ao seufinal
E eu volto novamente
À pracinha principal
E vejo lá na Atlântica
O velho e bom grupinho
O grupo da turminha
Do golfinho

E pelo alto falante
Ubirajara a apregoar
Viver é ver Vitória
e na Vila vir morar
E a praça continua
Com mil flores no jardim
Com o seu vigia alegre
Joaquim

Não tem Vitória, nem Cachoeiro
Nem Colatina, nem Guarapari
É Vila Velha
O ano inteiro
Eu me orgulho da terra em que nasci ...(2x)


Acervo:  Francisco Mauro
Compilação: Walter de Aguiar Filho, 2011 



GALERIA:

📷
📷


Matérias Especiais

O largo do cuspe – Por Serafim Derenzi

O largo do cuspe – Por Serafim Derenzi

O edifício velho, mas nobre, foi indicado para sede da Academia de Letras, museu, pinacoteca, enfim, para atividades culturais que a cidade reclama

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Casa da Memória de Vila Velha - Sua História

Na Prainha, à beira mar, de frente para a Praça Tamandaré, havia um casarão geminado em ruínas, uma das últimas edificações do século XIX, datada de 1893, conforme inscrição em seu frontispício

Ver Artigo
A Herança Cultural Afro - Capixaba

Roger Bastide destacava, por volta de 1950, que não foi apenas no Rio de Janeiro que a Macumba difundiu-se, pois já era bem popular no Espírito Santo

Ver Artigo
Hermógenes - Amor pela Barra

Aos 12 anos, Hermógenes embarcou com a mãe e o irmão Ivo no navio de cabotagem Lud e, após longa viagem, aportaram em Vitória. Foi morar em Paul, município de Vila Velha

Ver Artigo
Memória Capixaba - O Arquivo e a Biblioteca (II) – Por Gabriel Bittencourt

O novo Congresso Legislativo construído sobre os escombros da antiga igreja da Misericórdia, que fora arrasada por ordem de Jerônimo Monteiro

Ver Artigo
A Polícia Militar na Historiografia Capixaba - Por Gabriel Bittencourt

A Policia Militar jamais suscitou tanta evidência, seja na imprensa ou no seio da comunidade cultural, como neste ano em que comemora 150 anos de existência

Ver Artigo