Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Praia do Canto

O início do Bairro Praia do Canto

Com cerca de 13 mil habitantes, a Praia do Canto, bairro nobre de Vitória conhecido por sua noite movimentada e pela intensa atividade comercial, teve sua expansão urbana detalhada no livro "A Geografia da Verticalização Litorânea em Vitória: O Bairro Praia do Canto", de Eduardo Rodrigues Gomes.

A obra faz um estudo detalhado sobre os motivos que levaram a Praia do Canto a aplicar a chamada "verticalização", ou seja, como o bairro deixou de ser a aprazível região litorânea povoada por casas de veraneio na década de 50 para tornar-se a área de Vitória com o maior número de prédios residenciais e comerciais por metro quadrado.

De acordo com o autor, a saturação do centro da cidade na década de 1950 obrigou a classe média alta a migrar para a região norte, em busca de melhor qualidade de vida. "Com a explosão do comércio no Centro, a população de maior poder aquisitivo procurou um local mais ameno, próximo do mar, para fixar residência. Com isso, a Praia do Canto, que até essa época tinha a predominância de casas, começou a crescer de forma vertical e desordenada".

A especulação imobiliária e a supervalorização dos chamados condomínios de luxo, implantados a partir dos anos 1990, foram responsáveis pela ocupação de praticamente todos os terrenos livres da área. Hoje, segundo os investidores, o bairro ainda é um dos pontos mais requisitados da Capital, porém, o mercado não encontra mais espaço para criar novos projetos.

 

Curiosidades:

- O autor fez um levantamento de incursões imobiliárias nos Classificados de A Gazeta entre as décadas de 70 e anos 2000. A pesquisa confirma que a publicidade tentava "vender" a Praia do Canto com abordagem distinta a cada década. Nos anos 70, por exemplo, era explorada a tranquilidade de um bairro que estava longe do caos do Centro.

- Na década de 1980, o foco da Praia do Canto estava voltado para a proximidade do mar. Vários prédios foram construídos na Av. Saturnino de Brito. Na época, foi implantado também, um dos primeiros centros comerciais de Vitória, o Centro da Praia. A região acabou por se tornar um dos polos comerciais da Capital.

- Na década de 1990, as imobiliárias passaram a investir na região central do bairro, nas ruas com maior movimentação comercial, como a Aleixo Neto. Na mesma época, a preocupação com o índice de violência levou o mercado a investir em prédios mais altos, com segurança e infraestrutura voltada para o lazer.

- Os prédios mais altos de Vitória estão na Praia do Canto, o que comprova sua verticalização desenfreada. A média é de 10 a 15 andares por edifício. O bairro também foi o responsável pelo boom em torno dos flats e apart hotéis no Estado, tudo para servir a demanda de visitantes interessados em curtir a noite e o comércio sofisticado.

 

Fonte: A Gazeta (16/07/2009)

 

LINK RELACIONADO

 

>> Praia do Canto ontem e hoje (1998)



GALERIA:

📷
📷


Matérias Especiais

A política e os intelectuais - Por Luiz Buaiz com texto de Sandra Medeiros

A política e os intelectuais - Por Luiz Buaiz com texto de Sandra Medeiros

O jeito expansivo e a grande generosidade fizeram de Luiz Buaiz um homem de muitos amigos

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Comparações e fatos alusivos a Proclamação da República

Discurso proferido por Robero Brochado Abreu, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Vila Velha - Casa da Memória, durante as comemorações da Proclamação da República

Ver Artigo
Praça Costa Pereira ou Independência?

Certa vez, de passagem pela Capital, um estrangeiro queixava-se: - A língua capixaba é muito difícil: escreve Costa Pereira e pronuncia-se Independência!

Ver Artigo
Ofícios reservados do príncipe regente D. Pedro I, 1822

Tenha sempre em vista como requisito essencial e objeto em que interessa à causa pública deste reino o exame e conhecimento dos sentimentos dos pretendentes

Ver Artigo
Vale do Mulembá

O Vale do Mulembá fica no bairro Joana D’arc, em Vitória, entre a Pedreira Rio Doce e o loteamento São José. O acesso é pela Rodovia Serafim Derenzi

Ver Artigo
Escolhendo panelas capixabas

Algumas panelas de barro produzidas no Espírito Santo estão ficando grossas, com queima incompleta e perdendo a cor negra profunda, tão característica. Isto se deve a fatores que pretendemos apontar

Ver Artigo