Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1532 – Por Basílio Daemon

Vasco Fernandes Coutinho veio na certa! - Ilustração Casa da Memória de Vila Velha

1532. Tendo o governo da metrópole feito neste ano a classificação e o modo de serem divididas as terras das capitanias do Brasil, foi a do Espírito Santo classificada em 11º lugar das então existentes, sendo suas divisas demarcadas, dois anos depois, pela carta régia de 11 de junho de 1534, tendo-se já em abril deste mesmo ano passado diversas cartas de doação. Vem isto provar o nosso asserto8 da primeira parte desta obra, sobre a descoberta desta província, em como seu território já era conhecido, tanto que já se achava classificada antes mesmo da doação feita a Vasco Fernandes Coutinho, no 1º de janeiro de 1534.

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2019

 

Notas complementares ao tema:

Quando Vasco Fernandes Coutinho, o primeiro donatário do ES, recebeu a doação do Rei D. João III em 1534, o local para onde viria já era conhecido. Em 10 de maio de 1501, partiu de Lisboa a expedição comandada por Gaspar de Lemos, trazendo a bordo o navegador florentino Américo Vespúcio. Essa expedição foi a primeira a tocar o solo do Espírito Santo. Ao entrar na baía de Vitória, tiveram a sensação que era a foz de um rio de grande expressão. Isso ocorreu em 13 de dezembro de 1501. O rio foi denominado de rio Santa Luzia, por ser a data comemorativa dessa santa católica.

A comprovação do fato se dá no mais antigo mapa do brasil, o chamado Planisfério de Cantino, feito em 1502 e baseado nas descobertas da expedição de 1501, onde aparece o rio Santa Luzia.

Na foto ao lado, a pequenina praia à esquerda, localizada na propriedade da família Helal, ainda hoje é chamada de Santa Luzia. A outra praia da foto, à direita, é a Praia do Ribeiro (local dos barcos de pesca). Nessa praia existe a Igreja de Santa Luzia que está em construção pela comunidade local. Há também do outro lado numa parte voltada para o mar, o Farol de Santa Luzia. Outro fato interessante de nossa cultura é quando se pergunta para os moradores da região onde moram, eles respondem: - moro no Farol de Santa Luzia.

O dia de Santa Luzia, protetora dos olhos, é 13 de dezembro. Nessa data comemoram-se também o Dia do Ótico, Dia do Deficiente Visual, Dia do Marinheiro, Dia do Pedreiro e o Dia do Lapidador.

 

Autor: Walter de Aguiar Filho
Julho/ 2004

 

Nota do Site de mar/2011

Para quem quiser se aprufundar no assunto, no Prefácio do relançamento do Livro Província do Espírito Santo de Basílio Daemon (2010), o historiador Estilaque Ferreira dos Santos dá uma aula sobre o tema 

Curiosidades

Maria Ortiz e a Caprichosos de Pilares

Maria Ortiz e a Caprichosos de Pilares

Ainda no embalo do Carnaval 2006, muito se tem dito sobre Maria Ortiz, que no desfile da escola de samba Caprichosos de Pilares, no Rio, foi representada como prostituta.

Mas afinal, quem foi Maria Ortiz, consagrada como heroína capixaba quando da invasão dos holandeses ao Espírito Santo, em 1625?

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Circo em Vila Velha no tempo do Seu Dedê

Os circos eram montados no largo destinado à Praça Duque de Caxias 

Ver Artigo
Ossada Humana - Reportagem do Jornal O Diário, 1912

Alguns passos para o interior e uma tristonha cruz plantada no sopé da escarpa que dá acesso ao Morro do Moreno demonstrava que ali fora enterrado o fúnebre achado

Ver Artigo
Pedra da Onça - Por Seu Dedê

Localizada à margem esquerda do canal da Costa, braço sul. De frente ao Shopping Praia da Costa 

Ver Artigo
Barra do Jucu – Por Seu Dedê

No ano de 1886, administrada pelo doutor Antônio Athayde, foram feitos os reparos, sendo a obra dividida em três lances unidos por um aterro

Ver Artigo
As Modas – Por Areobaldo Lellis Horta

Casando-se, a moça modificava logo sua toalete, passando a usar, em vez de blusinhas soltas ou vestidos inteiros

Ver Artigo