Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1532 – Por Basílio Daemon

Vasco Fernandes Coutinho veio na certa! - Ilustração Casa da Memória de Vila Velha

1532. Tendo o governo da metrópole feito neste ano a classificação e o modo de serem divididas as terras das capitanias do Brasil, foi a do Espírito Santo classificada em 11º lugar das então existentes, sendo suas divisas demarcadas, dois anos depois, pela carta régia de 11 de junho de 1534, tendo-se já em abril deste mesmo ano passado diversas cartas de doação. Vem isto provar o nosso asserto8 da primeira parte desta obra, sobre a descoberta desta província, em como seu território já era conhecido, tanto que já se achava classificada antes mesmo da doação feita a Vasco Fernandes Coutinho, no 1º de janeiro de 1534.

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2019

 

Notas complementares ao tema:

Quando Vasco Fernandes Coutinho, o primeiro donatário do ES, recebeu a doação do Rei D. João III em 1534, o local para onde viria já era conhecido. Em 10 de maio de 1501, partiu de Lisboa a expedição comandada por Gaspar de Lemos, trazendo a bordo o navegador florentino Américo Vespúcio. Essa expedição foi a primeira a tocar o solo do Espírito Santo. Ao entrar na baía de Vitória, tiveram a sensação que era a foz de um rio de grande expressão. Isso ocorreu em 13 de dezembro de 1501. O rio foi denominado de rio Santa Luzia, por ser a data comemorativa dessa santa católica.

A comprovação do fato se dá no mais antigo mapa do brasil, o chamado Planisfério de Cantino, feito em 1502 e baseado nas descobertas da expedição de 1501, onde aparece o rio Santa Luzia.

Na foto ao lado, a pequenina praia à esquerda, localizada na propriedade da família Helal, ainda hoje é chamada de Santa Luzia. A outra praia da foto, à direita, é a Praia do Ribeiro (local dos barcos de pesca). Nessa praia existe a Igreja de Santa Luzia que está em construção pela comunidade local. Há também do outro lado numa parte voltada para o mar, o Farol de Santa Luzia. Outro fato interessante de nossa cultura é quando se pergunta para os moradores da região onde moram, eles respondem: - moro no Farol de Santa Luzia.

O dia de Santa Luzia, protetora dos olhos, é 13 de dezembro. Nessa data comemoram-se também o Dia do Ótico, Dia do Deficiente Visual, Dia do Marinheiro, Dia do Pedreiro e o Dia do Lapidador.

 

Autor: Walter de Aguiar Filho
Julho/ 2004

 

Nota do Site de mar/2011

Para quem quiser se aprufundar no assunto, no Prefácio do relançamento do Livro Província do Espírito Santo de Basílio Daemon (2010), o historiador Estilaque Ferreira dos Santos dá uma aula sobre o tema 

Curiosidades

Carta de Padrão de D. João III (1653) – Por Nobertino Bahiense

Carta de Padrão de D. João III (1653) – Por Nobertino Bahiense

A carta de Padrão de D. João III e datada de 6/11/1653 é precioso documento que não podia deixar de integrar esta obra

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Os guarás

Foram os guarás – pássaros de porte médio e coloração rosada – que deram origem ao nome Guarapari. Guará é a espécie da ave; e paryn, alçapão ou armadilha

Ver Artigo
Mais sobre o Ururau - Por Basílio Daemon

Em 1863 é trasladada da cadeia, onde se achava há desde 1827, a imagem de São Jorge que servira nas procissões de Corpus Christi

Ver Artigo
Ururau (1827) - Por Basílio Daemon

Foram cercadas as bocas das ruas da Assembleia, de Pedro Palácios, ladeira de Palácio, rua da Imprensa e ladeira da Misericórdia

Ver Artigo
Ano de 1532 – Por Basílio Daemon

Vasco Coutinho veio na certa!

Ver Artigo
Serra do Mestre Álvaro – Por Clério José Borges

Em documentos cartográficos do século XVI, pode-se verificar a indicação do Mestre Álvaro, como ponto de referência para a navegação

Ver Artigo