Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Monumento a Jerônimo Monteiro

Jerônimo Monteiro - Foto Walter de Aguiar Filho, Julho/2011

O Monumento: é constituído por um busto de bronze sobre pedestal de granito. Iniciativa particular.

Localização: Praça Costa Pereira.

Ato Inaugural: Foi inaugurado em 30 de julho de 1950.

Inscrição: “A Jerônimo Monteiro. Homenagem da Juventude Capixaba”.

Personalidade: Nasceu na Fazenda Monte Líbano, no Município de Cachoeiro do Itapemirim, a 4 de junho de 1870. Ali recebeu instrução primária, ministrada por seus próprios pais.

Fez seus preparatórios nos Colégios Caraça e Itu e matriculou-se na Faculdade de direito de São Paulo, em março de 1890, onde recebeu o grau de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, a 19 de dezembro de 1894.

Colaborou em diversos jornais do Estado, como no “Cachoeirense”, Sul do Espírito Santo, de Cachoeiro de Itapemirim, “Eco Municipal”, de São Paulo de Muriaé e “União Municipal”, de Santa Rita de Passa Quatro, do qual foi redator.

Escolhido nessa cidade para tomar parte da Câmara Estadual, como seu representante, desistiu depositando o cargo em mãos do dirigente do Partido.

Ocupou a Promotoria de Cachoeiro de Itapemirim em 1895, e exerceu o mandato de Deputado Estadual na Legislativa 1895 / 1896, sendo eleito Deputado ao Congresso Federal pelo triênio 1896 / 1899.

Desempenhou várias comissões importantes.

Eleito Presidente do Estado, assumiu o exercício a 27 de maio de 1908, sendo o primeiro ato solene de posse, perante o Congresso, e usou as insígnias do mais alto magistrado Estadual.

Foi no seu governo que a velha cidade de Vitória, colonial, feia e desprovida de todos os recursos a serviços públicos se transformou numa moderna capital. Deve-se a ele os serviços de água, esgoto, luz elétrica, bondes, calçamento, arborização, higiene, etc. No setor econômico iniciou as obras do porto, abriu estradas, criou fábricas, montou usinas, construiu armazéns, etc. Reconstruiu o Palácio do Governo, nas linhas que hoje ostenta. Construiu o do Congresso Legislativo e remodelou o da Justiça.

Modernizou a administração. Criou Secretarias de Estado. Refundiu a instrução pública em moldes modernos. Marcou, por fim, uma época de progresso e de prosperidade para o Estado.

Jerônimo Monteiro dirigiu, por largo espaço de tempo, a política espírito-santense, no campo da administração, realizou abras de vulto, através das quais impulsionou o progresso de seu Estado natal. A fábrica de tecidos, a grande fábrica de cimento e a Usina de Paineiras, existem ainda no progressista Município de Cachoeiro do Itapemirim, como marcos de sua operosidade e de seu descortínio.

Foi realmente um governante realizador e, longe de sacrificar as finanças do Estado, soube mantê-las em equilíbrio.

Em 1913 foi reconduzido ao Congresso Legislativo Estadual, tendo ainda desempenhado os mandatos de Deputado Federal e de Senador Federal.

Afastado da Política em 1930, voltou à atividade em 1934, quando foi eleito pela oposição Deputado à Constituinte, falecendo, porém, antes de tomar posse do cargo.

 

 

Fonte: Catálogo dos Monumentos Históricos e Cultural da Capital – Vitória – ES
Autor: Willis de Faria (o catálago foi por ele doado à Casa da Memória em 27-03-93)
Foto: Sérgio Lobos Martins e Flávio Lobos Martins Filho
Capa: Eugênio G. Herkenhoff
Compilação e foto atual: Walter de Aguiar Filho, julho/2011 

 

 

Links Relacionados:

 

>> Jerônimo Monteiro: o culto à personalidade




GALERIA:

📷
📷


Monumentos

Grandes Construções - As 10 mais destacadas por Eurípedes Queiroz do Valle

Grandes Construções - As 10 mais destacadas por Eurípedes Queiroz do Valle

Situa-se na Ponta de Piranhém ou Tubarão que lhe dá o nome no extremo norte da baía de Vitó­ria

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Orografia - As 10 mais altas Montanhas do Espírito Santo

Mestre Álvaro (ou Alvo). É uma bela montanha que se ergue, isolada, em extensa planície, ao norte da cidade de Vitória, no vizinho Município da Serra 

Ver Artigo
Grandes Construções - As 10 mais destacadas por Eurípedes Queiroz do Valle

Situa-se na Ponta de Piranhém ou Tubarão que lhe dá o nome no extremo norte da baía de Vitó­ria

Ver Artigo
O Farol de Regência - Por Geraldo Magela

O farol foi inaugurado no dia 15 de novembro de 1895, no governo Muniz Freire, que defendeu na Câmara do De­putados a necessidade de sua instalação

Ver Artigo
O Itabira e o Frade e a Freira - Por Gabriel Bittencourt

O Itabira: esguio monólito que os cachoeirenses fizeram símbolo da cidade, e os intelectuais de sua Academia de Letras transformaram-no no seu escudo e emblema

Ver Artigo
Praça João Clímaco

Localizada em frente ao Palácio Anchieta, a Praça João Clímaco, ex-praça Afonso Brás, foi durante três séculos chamada ora como largo do Colégio, ora largo Afonso Brás

Ver Artigo