Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A história do Jornal A TRIBUNA

Ilustração - Jornal A TRIBUNA

A trajetória do jornal A TRIBUNA na conquista da liderança do mercado editorial capixaba é um capítulo à parte na história da imprensa capixaba. Ao lançar o jornal em cores, com um novo e arrojado projeto gráfico, em 1995, o jornal se lançava na briga pela liderança. O jornal A TRIBUNA é hoje o melhor e maior jornal do Espírito Santo e 16º do Brasil, destacando o Espírito Santo no cenário nacional. Liderança conquistada e consolidada com ética, profissionalismo e competência empresarial.

O jornal A TRIBUNA foi fundado em 22 de setembro de 1938, na cidade de Vitória, capital do Espírito Santo. Com ele, inaugurava também um novo estilo de fazer jornal: manchetes em corpo enorme nas capas e nas páginas centrais, muitas ilustrações, farta cobertura esportiva, linguagem forte, publicações de muita informação de utilidade pública, um autêntico jornal popular.

O jornal A TRIBUNA funcionou inicialmente na Esplanada Capixaba, hoje Avenida Jerônimo Monteiro. Já em 1941, estampava em sua capa o slogan “O jornal do Espírito Santo”. Em 1945 o controle da empresa passou para o grupo dirigido pelo Partido de Representação Popular. Posteriormente é vendido a políticos ligados a Ademar de Barros e anos depois, em 1968, o jornal é adquirido pelo Grupo João Santos. Em 1971 o jornal é transferido para a sede própria, na Ilha de Santa Maria. Fechado em 1972, a primeira edição na nova sede só acontece em sete de outubro de 1973. Em 02 de fevereiro de 1987, o jornal A TRIBUNA circula pela primeira vez em formato tablóide.

A grande virada do jornal começou em 22 de novembro de 1995. Um novo projeto gráfico é especialmente encomendado à Universidade de Navarra, Espanha. O jornal investiu também em recursos técnicos, adquirindo a mais moderna impressora do Estado, com capacidade para imprimir até 45.000 exemplares de até 48 páginas por hora.

No ano seguinte, em 16 de setembro de 1996, A TRIBUNA vence mais uma etapa e começa a circular também às segundas-feiras, tornando-se definitivamente um veículo competitivo em todos os sentidos.

Paralelamente, esforços são concentrados em outras áreas importantes do jornal. O setor de Circulação é renovado e novas técnicas e sistemas de controle de distribuição são implantados. Há um esforço de todas as áreas para o cumprimento de prazos e horários. A redação é informatizada, novos servidores são disponibilizados e o jornal ganha em velocidade e qualidade gráfica. A impressão do jornal continua sendo até hoje a melhor do Estado.

Em 1997 o jornal A TRIBUNA obtém o maior índice de crescimento em percentual no País, com médias de 47,95% em dias úteis e 79,34% aos domingos, de acordo com o IVC – Instituto Verificador de Circulação. Também nesse ano, A TRIBUNA conquista o prêmio Colibri de ouro, sendo eleito Veículo de Comunicação do Ano.

Em 1999 o jornal se consolida como líder em circulação na Grande Vitória, com vendas e em número de leitores, de segunda a sábado, comprovado pelo IVC e pelo IBOPE. E no ano 2000 conquista a liderança em todo o Estado.

Atualmente com média de 81.387 exemplares vendidos aos domingos e 53.752 exemplares vendidos nos dias úteis, A TRIBUNA é líder em circulação em todo o Estado, de domingo a domingo, e ocupa a 17ª posição no ranking brasileiro de jornais, estando entre os principais estados brasileiros em circulação: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul (IVC ABRIL/07).

O melhor time de colunistas do Brasil está diariamente nas páginas de A TRIBUNA: Mírian Leitão, Clovis Rossi, Pedro Maia, Lair Ribeiro, Maurício Prates, Fernando Calazans, Élio Gaspari, Paulo Octávio, Cláudio Humberto, Giba Um, Negócios e Cia., Engel Paschoal e muito mais informação, todos os dias.

Em 2003 conquistou o Prêmio Mérito Lojista, concedo pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas – CNDL e em 2004,2005 e 2006 foi novamente honrada com a premiação, que elegeu A TRIBUNA o melhor jornal do Espírito Santo.

 

Fonte: Revista a'angaba Ano I - Número 02 - dez/2008, publicação da Associação Espírito Santense de Imprensa (AEI)
Compilação: Walter de Aguiar Filho que pesquisou no Instituto Histórico e Geográfico do ES, do qual é membro - agosto/2011

História do ES

Um cimélio do Arquivo Municipal - Por Mário Freire

Um cimélio do Arquivo Municipal - Por Mário Freire

A Prefeitura Municipal de Vitória possui uma planta datada de 1764 do capitão José Antônio Caldas, incumbido de apresentar as plantas de diversas fortificações desta Capitania 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Cidade dormitório

Aos jovens que completavam o curso primário e aspiravam o primeiro emprego só restava procurá-lo em Vitória

Ver Artigo
A Mata Virgem – Por Auguste François Biard (Parte IV)

Tinham me falado, várias vezes, desde que chegara ao Brasil, de uma terrível cobra, a maior das trigonocéfalas, conhecida pelo nome de surucucu

Ver Artigo
Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
A Ilha de Vitória – Por Serafim Derenzi

É uma posição privilegiada para superintender, como capital e porto, os destinos políticos e econômicos do Estado de que é capital

Ver Artigo
A história do Jornal A TRIBUNA

Conheça a história do jornal A TRIBUNA, publicada na resvista da Associação Espírito-Santense de Imprensa (AEI) em 12/2008

Ver Artigo