Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Toponímia Itapemirim - Por Levy Rocha

Capa do Livro de Levy Rocha

Nos mais antigos mapas do Brasil o rio Itapemirim vem assinalado por vezes como: Tapemery, Tamimiri, Itapemeri e outras variantes. Encontramos a significação do vocábulo em alguns tupinólogos e embora já aceita a definição: ita, pedra; , caminho; mirim, pequeno, ou: itapé, laje; mirim, pequena, queremos deixar escrito que essa explicação não nos convence.

Gonçalves Dias, em seu “Dicionário da Língua Tupi”, publicado em 1858, traduz os vocábulos: , como caminho e mirim, pequeno e define: Itá Bubui, pedra pomes; Itá Guaçu, penedo; Ita Juba, ouro; Ita Oca, parede de pedra; Ita Tyba, pedreira, mas não cita Itapemirim nem a pedra que tem a “singular conformação de um dedo”: Itabira.

Procuramos, em vão, os dois vocábulos nos mais velhos e empoeirados “pais dos burros”.

Um cientista, auxiliar do Museu Nacional, Dr. Basílio Furtado, descrevendo o itinerário duma viagem que fez à província capixaba, no ano de 1875, contesta a corrente opinião dos etimologistas que assim definiam a palavra Itapemirim: “Pedras pequenas no caminho ou no leito. Ita-pe-mirim”. E, critica: “Esta interpretação nos parece insustentável, não só porque as pedras que juncam o seu leito não são todas pequenas, existindo de todos os tamanhos e algumas até colossais, formando barreiras e ilhotas em grande número, o que nos leva a crer que Itapemirim não se compõe dessas palavras, mas sim das seguintes: I-tapera-mirim. Rio das taperas pequenas (hirundo tapera, Linn.), espécie de andorinhas muito comuns nas suas margens, ou também tomando tapera por casa velha, abandonada”. O cientista tupinólogo acrescenta que a primeira explicação “não só força o sentido como vai buscar aliunde um termo que não existe no tema” e não nos satisfez com a sua etimologia.

Martius, o sábio-viajante alemão, no seu “Glossário dos índios do Império do Brasil”, editado em 1863, destrincha Itapé (vila do Espírito Santo): ita, pedra; , caminho, e se omite na complementação do vocábulo que denomina o nosso rio. Mas, ao estudar a designação de um povoado do Maranhão: Itibiri, Ita Ibiri, “pedra ao longo do rio”, parece fornecer o melhor caminho para uma explicação de outro nome: Itabira...

 

Fonte: De Vasco Coutinho aos Contemporâneos, 1977
Autor: Levy Rocha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2012 

Cidades do ES

 Roteiros de Guarapari

Roteiros de Guarapari

Três Praias: São consideradas as mais bonitas do balneário. A entrada é através de área particular e atualmente está fechada. As únicas formas de acesso a elas são através da Praia dos Adventistas ou de embarcações. 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Vila do Riacho - Por Maurilen de Paulo Cruz

A origem da Vila do Riacho se situa em 1800, quando foi instalado um quartel na confluência dos Rio Riacho e Comboios, pelo Capitão-mor Antônio Pires da Silva

Ver Artigo
O povoamento de Cachoeiro

A ocupação da Bacia do Rio Itapemirim é repleta de fatos históricos de importância, com destaque para o embate entre os índios e os portugueses

Ver Artigo
Ano de 1596 - Por Basílio Daemon

A origem do nome dado da cidade de São Mateus é do Padre José de Anchieta

Ver Artigo
Grandes latifundiários dominavam a região de Itapemirim

Fazenda Pau Brasil de Francisco Salles Ferreira

Ver Artigo
João Neiva

A região que hoje corresponde ao município de João Neiva recebeu os primeiros imigrantes italianos em 1877. As famílias fundaram os distritos de Acioli de Vasconcelos (1887) e Demétrio Ribeiro (1891).

Ver Artigo