Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1845 – Por Basílio Daemon

Capela de Santa Luzia - Foto: Antônio Carlos Mosquito

1845. É criado definitivamente neste ano o Aldeamento Imperial Afonsino,(535) cuja incumbência fora dada a Joaquim Marcelino da Silva Lima, posteriormente barão de Itapemirim, tendo o mesmo participado ao ministro do Império José Costa da Silva Torres.

Idem. Toma assento na Câmara dos Deputados, na 6ª legislatura, como representante desta província, o coronel José Francisco de Andrade e Almeida Monjardim, eleito pelo Partido Conservador a que então pertencia, tendo-se mais tarde passado para o Partido Liberal por desinteligências havidas em uma eleição, tornando-se depois dessa época chefe do mesmo Partido Liberal.

Idem. É neste ano aprovado por lei provincial nº 5, de 28 de julho, o compromisso da Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios da Capela de Santa Luzia, uma das mais antigas da província.(536)

Idem. É nomeado por decreto de 4 de agosto deste ano para chefe de Polícia o bacharel José Inácio Acióli de Vasconcelos, juramentando-se e entrando em exercício desse cargo a 9 de setembro deste mesmo ano, tendo sido também removido em data de 12 de agosto, de juiz de direito da cidade de Niterói para igual cargo nesta comarca da Vitória, e de que prestou juramento e entrou em exercício a 5 de setembro do mesmo ano, ocupando assim os dois cargos cumulativamente com o de auditor da gente de guerra.

Idem. É nomeado por carta imperial de 14 de agosto deste ano para presidente desta província Herculano Ferreira Pena; prestou juramento e tomou posse a 13 de dezembro do mesmo ano,(537) sendo exonerado a 11 de setembro do ano seguinte.

Idem. Por decreto imperial de 30 de setembro deste ano e de conformidade com a lei provincial, neste sentido decretada, é novamente criado um corpo de Pedestres nesta província, compondo-se o mesmo de 82 praças.(538)

 

535 (a) “O Aldeamento Imperial Afonsino, regularmente estabelecido em 1845 por recomendação do governo geral, à margem esquerda do rio Castelo, no local onde existira povoação de mineradores conhecido por Bananeira, distava 22 léguas de Vitória, seis léguas de outro sítio de mineradores – Lavrinha – e três dias de caminhada da vila de Itapemirim, através de uma estrada que, a rigor, não passava de uma picada a machado e foice mata a dentro, com subidas penosas e atoleiros grandes no tempo das águas. Fazia parte do município da cidade de Vitória e era sujeito à jurisdição do distrito de Viana.” [Rocha, Viagem de Pedro II, p. 101-22] (b) “Somente em 1845, quando era presidente da província Herculano Ferreira Pena, é que foi autorizada a criação do aldeamento dos índios puris, denominado ‘Imperial Afonsino’...” [Demoner, Presença, p. 44]

536 (a) Compromisso da Irmandade Nossa Senhora dos Remédios. (b) Lei provincial nº 5, de 26 de julho de 1845, Art. 1º: Fica aprovado o compromisso da Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios da Capela de Santa Luzia.

537 Vasconcelos, Ensaio, p. 65.

538 (a) Lei provincial de 30 de setembro de 1845, Art. 1º: É novamente criado um corpo de Pedestres nessa província, compondo-se de 82 praças. (b) Decreto nº 435, de 30 de setembro de 1845: Aprova o plano da nova organização da força de 8 companhias de Pedestres, fixada no Art. 1, parágrafo 3, da Lei nº 341 de 6 de março do corrente ano. 

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2018

História do ES

Calendário mostra evolução de Vitória

Calendário mostra evolução de Vitória

Curiosas fotos registram histórias do cotidiano da urbanização da capital de Espírito Santo no calendário impresso pela Prefeitura Municipal de Vitória em 1995

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1550 – Por Basílio Daemon

A Alfândega, pelas investigações que fizemos, e como adiante se verá, no século XVII parece-nos ter sido estabelecida no local em que existe a casa de propriedade do Sr. Firmino de Almeida Silva 

Ver Artigo
Ano de 1539, 1540, 1547 e 1549 – Por Basílio Daemon

A escritura de doação foi firmada ainda em 1540, no entanto apenas em 1549 o monarca assinaria a carta de confirmação dela a pedido de Duarte de Lemos   

Ver Artigo
Doação da Ilha de Vitória a Duarte de Lemos

Mais uma vez a história do Espírito Santo traz “novos” fatos que favorecem o fim da cobrança da taxa de marinha na Ilha de Vitória

Ver Artigo
A antiga localização de Santa Catarina das Mós

No mapa do Império Brasileiro, de 1868 e elaborado por Cândido Mendes, a localidade de Santa Catarina das Mós situava-se ao sul da foz do rio Itabapoana

Ver Artigo
Ano de 1536 e 1537 – Por Basílio Daemon

Faz Vasco Fernandes Coutinho doação da ilha de Santo Antônio a Duarte de Lemos, que em sua vinda o acompanhara da Bahia 

Ver Artigo