Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Avenida Cais Shmidt (ex-cais do Queimado)

Cais do Schmidt, 1910 - IJSN/UFES

Essa avenida, apenas um prolongamento da antiga Rua do Comércio (atual avenida Florentino Avidos), era antes conhecida por Cais do Queimado, "porque desembarcavam aí as pessoas chegadas daquele lugar".

A 11 de fevereiro de 1884 foi garantida à firma Serrat & Shmidt a água necessária à Fábrica de Cerveja, ali instalada, a mesma adquirida de Manuel Pedro Marques, a 28 de setembro de 1881. A água, oriunda do Moscoso, ou melhor, da Fonte da Lapa, permitiu, então, fosse a fábrica a primeira casa, em Vitória, a ter água encanada.

Construíam-se, no local, em 1896, diversos prédios iguais, em bloco, de propriedade do Sr. Gustavo Shmidt, sendo que dois ou três desses imóveis ainda conservam suas fachadas primitivas, os mesmos ocupados por firmas conceituadas. A área, daí então, passou a ser conhecida como Avenida Cais Shmidt, outrora freqüentada por desocupados e moleques da Cidade de Palha (Vila Rubim), que aí se banhavam, inteiramente despidos, embora fosse o comércio relativamente ativo nessa artéria, que, com o aterro para construção definitiva do Cais do Porto, desapareceu.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2017

Bairros e Ruas

Itaparica e Coqueiral

Itaparica e Coqueiral

Itaparica vem de ita + pari + ka, com pari, significando canal onde é fácil apanhar peixe

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Praia do Canto ontem e hoje (1998)

Entrevista feita pelo jornal da AMPC em 1998 com Chrisógono Teixeira da Cruz que nasceu no coração de Vitória,na rua Barão de Monjardim, num tempo em que a Praia do Canto era um lugar tão distante do centro quanto Guarapari. 

Ver Artigo
Vila Rubim

A Cidade de palha, sítio do Dr. Leopoldo Cunha, era composta de casas de sapé. Talvez a primeira favela de Vitória

Ver Artigo
Rua 23 de Maio

Era considerada, até os anos 40, como ponto nobre da cidade. Teve belas residências, destacando-se sobretudo a Vila Oscarina, palacete de propriedade de Antenor Guimarães

Ver Artigo
Rua Cais de São Francisco (ex-cais de São Francisco)

Quem passa hoje, pela rua Cais de São Francisco, fica intrigado com esta denominação. Ora, por que tal nome, se não há ali cais algum?

Ver Artigo
Rua Sete de Setembro (ex-rua da Várzea)

Partia da Prainha (largo da Conceição) e terminava na rua da Capelinha (atual Coronel Monjardim), hoje se alongando até a Fonte Grande

Ver Artigo