Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Boletim da Educação do ES (1930) - Parte 1

Capa do Boletim de Educação, ANNO 1, Nº 1, 1930 – Publicação trimestral da Secretaria da Instrução do Espírito Santo – Serviço de Cooperação e Extensão Cultural

De acordo com os moldes regulamentares estabelecidos, tenho procurado integrar o Serviço de Cooperação e Extensão Cultural em todas as suas altissimas finalidades.

Tratando-se, porém, de um serviço de grande complexidade, apenas pude enquadrá-lo nas linhas básicas da sua organização, com o propósito de fornecer uma idéia geral da sua estrutura.

Nem era mesmo possível que em quatro meses de funcionamento regular o Serviço de Cooperação e Extensão Cultural adquirisse toda a sua eficiência, com todos os seus órgãos em plena atividade.

Secção de Informações e Propaganda

Uma das secções do Serviço que tratei, desde logo, de organizar foi a de Informações e Propaganda, para atender aos seguintes objetivos: — divulgação dos resultados obtidos na experimentação pedagógica da Escola Ativa do Espírito Santo, promovendo a maior irradiação possível do novo instrumento de intercambio de ideias e de técnicas, afim de ajustá-lo ao espírito da moderna cooperação intelectual, tanto no país quanto no estrangeiro.

Assim remete, em envelopes especialmente confeccionados, aos jornais e revistas do país uma coleção completa de impressos, referentes à organização da nossa escola ativa, e dados capazes de fornecer uma ida exata do avançado programa educacional do governo.

Os mais prestigiosos desses Órgãos de imprensa já acusaram, por meio de justas apreciações sobre a reforma do ensino publico espirito-santense, o recebimento dos dados em apreço, as quais conservo devidamente catalogadas num álbum especial.

As instituições científicas, literárias, institutos históricos, museus, sociedades de educação, bibliotecas, círculos de leitura, do Brasil, da America, da Europa e do Japão, enviei uma circular acompanhada de um grosso pacote de impressos, solicitando, em nome de uma mais estreita e promissora aproximação intelectual, a sua preciosa colaboração nessa obra de cultura e de inteligência.

Não só as instituições brasileiras, mas algumas estrangeiras atenderam, de pronto, com a mais animadora simpatia, ao nosso apelo, estabelecendo com o Serviço de Cooperação e Extensão Cultural um proveitoso intercambio.

São constantes os pedidos de informações que o Serviço recebe, o que atesta, de um modo absoluto, a sua eficácia, como aparelho de projeção do Estado e de aproximação intelectual, prestigiando, destarte, a mentalidade espírito-santense.

As instituições culturais estrangeiras com as quais nos posemos em contato são as seguintes: —Associação Internacional de Intercâmbio intelectual do Japão; Departamento de S. Paulo; Los Amigos del Arte, Buenos-Ayres; Bureau Internacional d'Education, Paris; Cooperation Intellectuelle, Paris; Consejo Nacional de Educacion, Buenos-Ayres; Comité Executivo de las Asociaciones Cooperadoras, Buenos-Ayres; Escola de Estudios Superiores, Madrid; Federacion Universitaria, Buenos Ayres; Federação Mundial das Associações de Educação, S. Francisco, Califórnia; lnstitut de Cooperation Intellectuelle, Paris; Internacional do Magisterio Americano (Ima) Buenos-Ayres; Institut Jean Jacques Rousseau, Genéve; Sorbonne, Paris; Junta para Ampliacion de Estudios, Madrid; Officina Pedagogica Americana O P A) Buenos-Ayres e Montevideu; Universidade de Cultura Americana (Uca) Buenos-Ayres, Montevideu e Assumpção; Foyer Bresilien; La Pensée Latine; Amitiés Internationales, Paris e muitas outras.

A Secção de Informações e Propaganda mantém uma coluna permanente no Diário da Manhã, sob o título Ensino Publico, pela qual se tem feito o histórico documentado de todo esse movimento de expansão, ao lado de notas e indicações sobre as conquistas da salutar e patriótica política educativa do governo.

Essa iniciativa é de incalculável valor, porque o Diário da Manhã, na sua qualidade de órgão oficial do governo, é lido por todo o professorado.

Esta Seção foi criada e está sendo organizada para atender a um dos mais importantes objetivos do Serviço: — divulgação e coordenação, por meio de artigos, noticias, comentários, no Diário da Manhã e nos jornais do Rio, dos progressos da nova pedagogia e da vitoriosa carreira da Escola Ativa.

Em artigos assinados tenho abordado todos os pontos da reforma espírito-santense, focalizando todos os resultados obtidos pelos métodos ativos no seu intenso movimento renovador.

Por meio da secção Ensino Publico, no (Diário da Manhã, o Serviço de Cooperação e Extensão Cultural se dirige ao professorado do Estado, cientificando-o, não só, com a publicação de circulares, das medidas tomadas pela Secretaria no interesse da sua intensa e luminosa política educativa, como fornecendo-lhe sugestões sobre aulas ativas, fundação de instituições escolares, lições de oportunidade, e demais questões relacionadas com a atividade do moderno professor.

Assim é que o Serviço já forneceu elementos culturais para as seguintes aulas de oportunidade: Centenários do Romantismo e de Macedo, Casa Rui Barbosa, centenário do Aleijadinho, D. Mercedes Dantas, como representante da Federação Nacional das Sociedades de Educação, etc.

Secção de Recortes

A Secção de Recortes, que estou organizando com especial carinho, dada a sua grande significação, é, por sua vez, uma das mais úteis conquistas do Serviço.

Só assim poderíamos acompanhar o intenso movimento cultural do mundo contemporâneo. O recorte é, sem duvida, um dos mais poderosos elementos de cultura. Obedece ao seguinte plano: — Cultura pedagógica, abrangendo tudo que se relacionar com a obra da educação e da organização do ensino, e Cultura Geral.

Tem dois compartimentos de arquivo de aço especialmente adquirido e por meio de pastas adequadas, em forma de livros, em cuja lombada é classificada a natureza do assunto, estou reunindo a preciosíssima contribuição cultural de jornais e revistas.

Já tenho organizadas, com um numero considerável de recortes, devidamente catalogados, varias pastas: Sociologia, Escola Ativa, Ensino Publico, Cultura Geral, Cinema e Radio Educativos, Educação Physica e Escotismo, Congressos e Conferencias, Hygiene, Puericultura e Eugenia.

Estou reunindo e selecionando material para as seguintes pastas: Jogos Infantis, o Livro das creanças, Psychologia Experimental, Biographia das grandes figuras da atualidade, Curiosidades, Aulas Activas, Historia das machinas, Electricidade, As grandes cidades modernas, etc.

Essas pastas têm as seguintes finalidades: documentar a movimentação da cultura moderna, fornecer as mais amplas informações acerca da obra pedagógica em todo o mundo, figurando, depois de completadas, nas bibliotecas fixas e rotativas como elemento precioso para a com pretensão da época atual.

Para satisfazer às exigências da Seção de Recortes recebemos: o Paiz, o jornal; o Jornal do Commercio; Diario de Noticias; Correio da Manhã; Gazeta de Noticias; A Noite, do Rio; O Estado de São Paulo; Correio Paulistano; La Prensa e La Nacion, Buenos Avires; Petit Parisien, Paris; Blanco y Negro, revista, Madrid; Vient de parâitre, revista, Paris; La Cooperation Intellectuelle, Paris; La Reforma Social, Estados Unidos; Revista de Hygiene Mental; a Escola Primaria; Revista Brasileira de Educação e Boletim de Educação, Districto Federal; A Educação, S. Paulo; Je sais tout, Paris; A Nação Brasileira, lilustrazione Italiana; Vida Domestica; Novidades Litterarias; Le Cinéopse; L'Illustration Française, Paris; A voz do Mar, Rio; II Libro Italiano, e uma copiosissima coleção de livros e folhetos.

De agora por diante passaremos a receber: Scientia, Documents. Pour l'ere nouvelle, e as revistas de educação do Mexico e de Cuba. Temos recebido regularmente as publicações da União Pan Americana. Os suplementos de domingo de La Prensa e La Nacion assim como a excelente Pagina de Educação do Diário de Noticias, estou encadernando separadamente.

Secção de Bibliotecas

O serviço bibliotecário, que está a meu cargo, compõe-se de bibliotecas fixas e rotativas.

As fixas são instaladas nos Grupos Escolares e nas Escolas Reunidas.

Alguns desses educandários já possuíam bibliotecas, quando foi criado o Serviço de Cooperação e Extensão Cultural.

No propósito de prové-las de novos livros, corrigir-lhes as falhas e deficiências, puz me em contacto com os diretores desses educandários, pedindo lhes não só uma relação dos volumes existentes como informações acerca do seu funcionamento.

Tenho recebido esses esclarecimentos com vivo interesse, tomando as providencias necessárias ao êxito da missão nobilíssima do livro, de acordo com o espírito da política educativa, tão superiormente orientada, da Secretaria da Instrução.

Iniciei, também, as providencias para a instalação da Biblioteca do Professor, na Escola Normal Pedro II, cuja inauguração está marcada para 15 de Outubro próximo, data em que se realizará a Festa do Livro, organizada pela Secretaria da Instrução.

Essa biblioteca será essencialmente técnica, destinada à consulta do professorado num horário próprio e à visita dos alunos daquele educandário.

Para isso solicitei de cada lente da Escola uma relação dos livros indispensáveis ao estudo das matérias que lecionam, afim de serem consultados pelos alunos, em obediência ao critério da cooperação e do coletivismo didático já francamente em voga naquele educandário, de acordo com as novas instruções regulamentares, baixadas pela Secretaria.

O Serviço de Cooperação e Extensão Cultural está se aparelhando para remeter à Biblioteca - Padrão, além dos livros necessários realização dos seus elevados objetivos, uma coleção das revistas e jornais que recebe, bem como pastas de recortes, álbuns, afim de fazerem ali um estágio.

Assim se proporcionará a alunos e professores a sua leitura indispensável e proveitosissima.

As Bibliotecas Rotativas estão constantemente em transito, com um estagio de 60 dias em cada escola. São Universidades Populares em perpetuo movimento, como já foi acentuado, conduzindo livros para o professor, o aluno e as pessoas ligadas á escola (círculos de pais).

De acordo com um mapa de localização de escolas, com indicações sobre meios de transporte, é estabelecido o roteiro das rotativas. São remetidas pelo Correio, em invólucros de papelão, e encapadas em grosso oleado. Não só os livros que as compõem como o giro a ser realizado são registrados em fichas especiais, as quais se acham catalogadas em arquivo próprio.

Cada Biblioteca Rotativa leva o nome da primeira localidade a ser visitada, que é sempre o ponto extremo da sua rota. O giro de cada uma é estabelecido de modo a estar de regresso ao Serviço de Cooperação e Extensão Cultural no fim do ano letivo, afim de ser renovada e posta em nova jornada.

Além de livros, impressos e folhetos, a biblioteca rotativa conduz: fichas para empréstimo de livros, questionários, indicações de leitura, sua organização regulamentar.

Tanto da chegada, quanto da saída da biblioteca das escolas, o Serviço de Cooperação e Extensão Cultural tem ciência por intermédio de comunicações dos respectivos professores.

Todas as bibliotecas circulantes, que fazem estágio nas escolas, estão em permanente contato com o Serviço a meu cargo para o minucioso trabalho do histórico de cada percurso.

Para o próximo ano letivo acredito ser vantajoso o estabelecimento de zonas de concentração bibliotecária. O Serviço de Cooperação e Extensão Cultural está fazendo um estudo completo da questão.

Por meio de inquéritos e toda sorte de pesquisas se tem procurado estabelecer o nível de mentalidade comum de cada zona do Estado, a psicologia das suas populações urbanas e rurais, as suas necessidades culturais, afim de se organizar uma distribuição mais proveitosa de bibliotecas.

Ao assumir o exercido do meu cargo verifiquei a existência de 6 bibliotecas rotativas em percurso por Afonso Claudio, Conceição da Barra, Colatina, Itabapoana, Divisa, Moniz Freire.

Ultimamente foram lançados ao Correio, numa linda festa escolar, mais oito bibliotecas. São as seguintes:

Bibliotheca Itapemirim, 16 volumes, roteiro: escolas de Maratahyses, Barra do Itapemirim, Paineiras, União; Bibliotheca Lauro Muller, 16 volumes, roteiro : escolas de Lauro Muller, Pendanga, Fundão, Timbuhy, Itapocú, Alfredo Maia, Victoria ; Bibliotheca Guandu, 16 volumes, roteiro : Guandú, Maylask, Itá, Porto Bello, Santa Joanna, Barbados, Baunilha, Accioly, Cavalhinho, João Neiva; Bibliotheca Soturno, 16 volumes, roteiro : Soturno, Virginia, Vargem Alta, Guiomar, Engano, Mathilde, Araguaya, Rio Fundo, Marechal Floriano, Domingos Martins, Vianna e Victoria ; Bibliotheca Santa Leopoldina, 16 volumes, roteiro: Santa Leopoldina, Cariacica, Itan-guá, Itaquary; Bibliotheca Itaguassú, 16 volumes, roteiro: Itaguassú, Palmeiras, S. Francisco; Bibliotheca Chanaan, 14 volumes, roteiro: S. João de Petropolis, S. Antonio, Santa Thereza; Bibliotheca Muquy, 16 volumes, roteiro: Muquy, Chave do Satyro, São Felippe.

A Festa do Livro

A Festa do Livro, instituiria por esta Secretaria, afim de completar o quadro das nossas lindas solenidades escolares, é uma iniciativa formosíssima, que mereceu a mais calorosa simpatia das classes cultas do Estado.

Realizar-se-á no dia 15 de outubro próximo, com as duas solenidades principais: a abertura da Exposição de obras de autores espírito-santenses, nacionais e estrangeiros e a inauguração da Biblioteca do Professor, numa das dependências da Escola Normal «Pedro II.»

O Serviço de Cooperação e Extensão Cultural está desenvolvendo na organização dessa festa do talento, da cultura, da arte e da inteligência, uma intensa atividade.

Aos representantes da cultura espírito-santense e brasileira, o Dr. Attilio Vivacqua, Secretário da Instrução, endereçou a seguinte circular:

CIRCULAR N.° 20

Victoria, 1." de Setembro de 1930.

Exmo. Snr.

Esta Secretaria, empenhada como está na resolução do problema do ensino no nosso Estado, instituiu a Cruzada pela Educação, destinada a combater o analfabetismo e a colaborar na vitoriosa campanha da Escola Ativa.

Iniciando esse grande e formoso movimento educacional, a Secretaria da lnstrução criou a Festa do Livro, que se comemorará a 15 de outubro próximo, data comemorativa da instituição do ensino primado no Brasil e tem por objeto, dentre outros fins, incentivar e animar o gosto pela leitura, fazer intensa propaganda do livro brasileiro, e da organização e desenvolvimento das bibliotecas, clubes de leitura, associações culturais, etc.

A Festa do Livro constará de uma exposição de obras de autores espírito-santenses, nacionais e estrangeiros e de uma exposição de arte gráfica, abrangendo as seguintes divisões: Livra espírito-santense, livro brasileiro, artes gráfica e livro em geral no seu mais amplo sentido.

Tenho o prazer de pedir para o bom exilo desse lindo empreendimentos a vossa colaboração, remetendo-nos obras espírito-santenses, nacionais e estrangeiras afim de serem expostas, (esses livros serão devolvidos, encerrada a exposição), as quais figurarão, conforme a sua natureza, nas seguintes secções — livro espírito-santense, compreendendo obras de autores nascidos no Estado, obras editadas aqui ou editadas fora do Estado, desde que se refiram ao Espírito Santo ou se ocupem de nossas coisas; livro em geral, compreendendo Livro Artístico, nacional ou estrangeiro, Literatura (prosa, verso, theatro); Pedagogia, Escotismo e Cultura Physica, Hygiene, Eugenia, Puericultura, Sciencias etc.

Collecta de livros para as Bibliotecas da Secretaria. Um dos objetivos, também, da Festa do Livro, é a coleta de obras para as bibliotecas fixas e rotativas desta Secretaria, com o propósito de dotadas da maior eficiência possível no desempenho da sua importante missão cultural. Esta Secretaria receberá com desvanecimento e gratidão toda e qualquer oferta que vos dignardes fazer-nos.

As remessas de livros, tanto para a primeira parte quanto para a segunda, poderão ser feitas ao Serviço de Cooperação e Extensão Cultural desta Secretaria com frete a pagar.

Atenciosas saudações.

Assignado: Attilio Vivacqua

Secretario da Instrução.

 

Comissões de leitura e correspondentes

Alem de correspondentes nos grandes centros de cultura do país e do estrangeiro, cuja designação se tem feito regularmente, o Serviço acaba de instituir as comissões de leitura.

Sob a presidência do Sr. Secretario da lnstrução essas comissões, compostas de figuras representativas da cultura espírito-santense, se reúnem quinzenalmente no gabinete do chefe do Serviço de Cooperação e Extensão Cultural, afim de apresentarem o resultado dos seus estudos e pesquisas durante esse espaço de tempo nas várias especializações, que as caracterizam.

A apresentação de cada resultado se dá por meio da dissertação ampla sobre o assunto e de uma síntese escrita, destinada ao Boletim da Quinzenal de Cultura, de circulação ampla pelas nossas bibliotecas escolares.

Já foram estabelecidas as seguintes especializações: Philosophia, Direito, Arte e Critica Social, Escola Nova, Archeologia, Sociologia, Psychologia Experimental, Hygiene, Puericultura e Eugenia. Litteratura, Tests, Linguistica, Sciencias Physicas e Naturaes, Divulgação Scientifica, Cultura Physica, Cinema educativo. Radio, etc.

O Serviço de Cooperação e Extensão Cultural fornece a essas comissões, em dossiês especiais, os elementos necessários ao êxito da sua atividade como: jornais, livros e revistas especializadas.

 

Fonte: Boletim de Educação, ANNO 1, Nº 1, 1930 – Publicação trimestral da Secretaria da Instrução do Espírito Santo – Serviço de Cooperação e Extensão Cultural
Autor: Garcia de Rezende, Inspetor Escolar e Chefe do Aparelho de Coordenação e Irradiação de Cultura em 1930.
Compilação: Walter de Aguiar Filho, fevereiro/2016

Especiais

Medidas para a preservação de recursos naturais, 1979

Medidas para a preservação de recursos naturais, 1979

Os conservacionistas e os engenheiros agrônomos ficaram alarmados com a destruição dos recursos naturais da região costeira

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Apropriação cultural: uma questão ideológica – Por Kleber Frizzera

No Brasil, as iniciativas mais concretas de preservação do patrimônio histórico que vão desembocar na criação do IPHAN, na década de 30

Ver Artigo
Medidas para a preservação de recursos naturais, 1979

Os conservacionistas e os engenheiros agrônomos ficaram alarmados com a destruição dos recursos naturais da região costeira

Ver Artigo
Indígenas, Aldeamentos e Cooperação – Por Serafim Derenzi

Não fosse a ação catequista dos missionários, os primeiros colonos e donatários teriam sido exterminados

Ver Artigo
História do Carnaval Capixaba

O primeiro desfile de escolas de samba do Espírito Santo aconteceu em 1955. Em 1992, a tradição foi interrompida, e retomada em 1998

Ver Artigo
Boletim da Educação do ES (1930) - Parte 1

Aos representantes da cultura espírito-santense e brasileira, o Dr. Attilio Vivacqua, Secretário da Instrução, endereçou a CIRCULAR N.° 20  Victoria, 1º de setembro de 1930.

Ver Artigo