Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Em favor da Magistratura e do Ministério Público – Por Eurico Rezende

Apresentei a emenda de n° 833/1, assim concebida:

"Inclua-se

"Art. A União prestará a cooperação que for necessária a assegurar aos juízes e membros do Ministério Público dos Estados remuneração correspondente à relevância de suas funções."

Nas Disposições Gerais e Transitórias:

"Inclua-se:

Art. Dentro do prazo de seis meses, contado da data da promulgação desta Constituição, o Poder Executivo enviará ao Congresso Nacional projeto de lei dispondo sobre a cooperação financeira em favor da remuneração dos juízes e membros do Ministério Público dos Estados". ("ANAIS'', Vol. 6, Tomo II, pág. 887.)

A emenda inspirou-se em compromisso solenemente assumido, perante a Nação, pelo Presidente Castelo Branco, quando, em mensagem inaugural ao Congresso (1965), prometeu promover a "alteração das normas constitucionais pertinentes à Justiça dos Estados, de modo a permitir a participação da União no pagamento da magistratura estadual, cujo nível, em algumas regiões mais pobres, tenderá a baixar, por falta de conveniente remuneração".

A Emenda Constitucional n° 16, de 1965, iniciou o cumprimento dos altos propósitos da União, ao assegurar aquela cooperação (art. 19).

Mas, surpreendentemente, o projeto de Constituição silenciou quanto ao prometido subsídio federal, revogando, assim, o compromisso esculpido na emenda em referência.

Assim, a proposição que apresentei tinha por escopo conservar o instituto da suplementação financeira, colocando na órbita do benefício, também, os membros do Ministério Público.

Embora contrário o parecer do Relator-Geral, a Comissão manifestou-se favoravelmente.

Mas o trabalho desenvolvido pelos assessores do presidente eleito conseguiu derrubar a emenda em plenário. A tarefa daqueles era, entre outras, a de poupar o futuro governo de novos ônus financeiros.

 

 

Fonte: Memórias – Eurico Rezende– Senado Federal, 1988
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2018

Personalidades Capixabas

Augusto Ruschi

Augusto Ruschi

Augusto Ruschi nasceu em Santa Teresa, em 13 de dezembro de 1915, uma pequena cidade de colonização italiana nas montanhas do Espírito Santo

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Tribunal de Contas – Por Eurico Rezende

Cogitada desde o início do Império, a criação de um órgão de controle orçamentário e financeiro só se verificou em 1890, mercê do gênio de Ruy Barbosa

Ver Artigo
Liberalismo e Solidarismo – Por Eurico Rezende

Estão registrados, quer em passado remoto, quer em época recente, antes de encerrar minha carreira eleitoral

Ver Artigo
Sobre armas e milk shake – Por Antônio Carlos Neves

As doze horas e quarenta minutos do dia primeiro de abril de 1964, neste momento a Fafi foi invadida

Ver Artigo
O brilho da metade do céu – Movimento Feminista

As feministas iniciaram sua organização no estado, mais precisamente em Vitória, nos anos 80

Ver Artigo
Prestando Contas – Por Eurico Rezende

Hoje, neste mês vestibular de 1988 coloco-me na longa esteira de recordações do trabalho inovador que desenvolvi no preparo da Constituição em vigor

Ver Artigo