Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Personalidades Capixabas

Saíram assim - Por Fernando Achiamé

Saíram assim - Por Fernando Achiamé

Eram jovens quase todos os integrantes da turma que cursaria História de março de 1971 a dezembro de 1973

A Sala Centro de Artes da UFES - Por Gracinha Neves

A Sala Centro de Artes da UFES - Por Gracinha Neves

Quinze homens da entidade, viabilizaram a chegada do piano de cauda da Escola Villa Lobos para a Sala Centro de Artes

Personalidade Capixaba - Antônio Pinto Rodrigues

Personalidade Capixaba - Antônio Pinto Rodrigues

Nasceu em 1903, em Vila Velha, Antônio Pinto Rodrigues, filho de Cleto Rodrigues e Henedina Pinto Rodrigues

Zacarias Fernandes Moça

Zacarias Fernandes Moça

Certos homens, nasceram com uma extrema capacidade de cultivar como um tesouro a dignidade e a lealdade

Doutor Lucilo, o Rei da Praia do Suá

Doutor Lucilo, o Rei da Praia do Suá

Entre os anos cinqüenta e sessenta, duvido que existisse alguém em Vitória que vivesse a vida mais intensamente do que ele

O Centro de Vitória e sua revitalização - Por Gabriel Bittencourt

O Centro de Vitória e sua revitalização - Por Gabriel Bittencourt

Muito do patrimônio histórico-arquitetônico, de que vale a pena preservar para a memória capixaba, localiza-se no Centro de Vitória

Surge ao longe a estrela prometida – Jerônimo Monteiro

Surge ao longe a estrela prometida – Jerônimo Monteiro

No Campinho, brejo e mangue, o quartel de Polícia mostrava-se imponente

Carlos Fernando Monteiro Lindenberg (Nêni) e os Monteiro

Carlos Fernando Monteiro Lindenberg (Nêni) e os Monteiro

Nêni recebeu da avó Riqueta, em 1919, uma função: “fazer o levantamento da escrita” da Fazenda Monte Líbano

Jerônimo Monteiro - Capítulo III

Jerônimo Monteiro -  Capítulo III

Nasceu Jerônimo a 4 de junho de 1870, na casa-grande inaugurada em 1869, no batizado de Helena

Zacimba Gaba – Princesa, Escrava e Guerreira

 Zacimba Gaba – Princesa, Escrava e Guerreira

Zacimba, que havia, “ainda mocinha”, cruzado o Atlântico naquelas precárias embarcações que traziam até 500 escravos, sabia muito bem o que devia representar a liberdade para o seu povo