Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Jerônimo Monteiro

Jerônimo Monteiro

Houve um tempo em que Vitória foi transformada em um canteiro de obras. Prédios antigos eram derrubados para a abertura de avenidas, construção de praças e jardins e implantação de rede de água e de energia elétrica. A reforma do sistema de ensino vinha através da construção de colégios e do surgimento das escolas particulares. Quando aconteceu isso tudo? Há quase um século, no Governo de Jerônimo Monteiro, de 1908 a 1912.

Essa revolução ocorrida em Vitória e no Espírito Santo é contada no livro"Jerônimo Monteiro", escrito pelo historiador Carlos Benevides Lima Jr. para a coleção Grandes Nomes do Espírito Santo.

A coleção terá 36 títulos, sendo que os 12 primeiros serão lançados até agosto de 2005. Os dois primeiros foram sobre o engenheiro Ceciliano Abel de Almeida e sobre a cantora Maysa Matarazzo.

Os próximos lançamentos serão as biografias do ex-senador João Calmon (em março); do arcebispo de Vitória Dom João Baptista da Motta e Albuquerque (27 de abril); do donatário Vasco Fernandes Coutinho (23 de maio); do padre José de Anchieta (6 de junho).

Os volumes sobre os cronistas Rubem Braga e José Carlos Oliveira, a cantora Nara Leão, o cientista Augusto Ruschi e o ex-governador Jones dos Santos Neves ainda não têm data definida.

Para Carlos Benevides Lima Jr., que já tem 3 livros publicados sobre a baía de Vitória e 2 sobre Conceição da Barra, Jerônimo Monteiro foi o que hoje em dia poderia ser chamado de um homem empreendedor.

"Ele modernizou a administração, urbanizou a Capital e levou o desenvolviemnto ao interior, até então entregue à iniciativa dos imigrantes europeus", explica ele.

Carlos Benevides acentua, porém, que todo esse trabalho teve um preço. "O Governo ficou endividado, mas, mesmo assim, quando deixou o cargo, ele elegeu seu sucessor, Mascondes de Souza", revela.

Algumas obras do governo de Jerônimo Monteiro:

Jerônimo Monteiro, no seu histórico e insuperável governo reformou o Palácio, modificou também a escadaria. Foi um projeto e construção do engenheiro francês Justin Norbert. As escadarias de palácio da Santa Casa de Misericórdia e a do Carmo foram obras de Jerônimo Monteiro.

Já em Vila Velha e Vitória a introdução do bonde como meio de transporte deu-se em 1910, no governo de Jerônimo Monteiro.

 

Fonte: A Gazeta



GALERIA:

📷
📷


Personalidades Capixabas

Aristeu de Aguiar

Aristeu de Aguiar

A 30 de junho de 1928, numa tarde belíssima de luz, de alegria e de esperanças, Aristeu Borges de Aguiar assumia o governo do Estado do Espírito Santo

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Judith Leão Castello Ribeiro - Uma Mulher de Talento

Uma mulher dedicada à política partidária, um espírito de liderança e uma soma respeitável de serviços prestados à sua terra. Justa a homenagem da Comenda Jerônimo Monteiro

Ver Artigo
Afonso Cláudio: Um defensor dos oprimidos

A teoria da nova concepção do Direito, como fenômeno social, criado pela própria sociedade, para assegurar sua vida e desenvolvimento

Ver Artigo
Domingos Martins e a Revolução de 1817 - Por Gabriel Bittencourt

O IHGES de quem é patrono Domingos José Martins, fez publicar, em 1981, um pequeno texto e cunhou uma medalha em homenagem ao bicentenário deste precursor da Independência do Brasil

Ver Artigo
Judith Castelo Ribeiro

Eram treze irmãos. Todos vieram do interior e ficaram numa casa de sobrado, na extinta Rua José Marcelino

Ver Artigo
Gente de Cachoeiro: Samuel Levy

Seu túmulo no cemitério local, ostenta uma grande cruz, em cuja lápide está registrada a gratidão de sua filha Carly

Ver Artigo