Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Monumento a Florentino Avidos

Florentino Avidos - Foto: Walter de Aguiar Filho, julho/2011

O Monumento: é constituído por um busto de bronze sobre pedestal de granito. Iniciativa do povo.

Localização: Praça Costa Pereira

Ato Inaugural: Foi inaugurado em 30 de junho de 1928, último dia do governo do Homenageado.

Inscrição: “Ao Presidente Avidos” – O Povo – Vitória, 30 – VI – 928”

Personalidade: Temperamento retraído, sem as fáceis expansões com que, de ordinário, os homens públicos costumam cortejar a popularidade, Dr. Florentino Avidos, malgrado isso, conquistou-a, impondo-se à veneração e simpatia de nosso povo, pela norma que traçou no trato dos negócios públicos e privados.

Quem pretende, no futuro, estudar, sem paixão, a influência exercida pela sua ação governamental, há de reconhecer que o traço mais sugestivo e característico de sua orientação, foi, sem dúvida, o cunho iminentemente pessoal que S. Excia. Sempre emprestou à solução das questões, que solicitasse ou dependesse de seu pronunciamento.

Governou o Estado no quatriênio 1924 – 1928. Continuou a obra de seu antecessor cujo plano geral havia ajudado a elaborar. Cercou-se de uma equipe de jovens engenheiros a começar pelo seu filho Dr. Moacir Avidos a quem entregou a Prefeitura da Capital e depois a Secretaria da Viação e Obras Públicas, então considerada a mais importante da Administração. Reconstruiu, em bases modernas, a Capital, alargando e retificando ruas, abrindo Praças, ampliando Jardins, substituindo velhas ladeiras por artísticas escadarias ornamentais, construindo edifícios públicos modernos, etc. Deve-se-lhe a construção das duas maiores pontes do Estado: a que veio ligar a capital ao continente que hoje tem o seu nome e a da Cidade de Colatina, sobre o Rio Doce, numa extensão aproximada de mil metros. (908). Essa duas pontes integraram, por assim dizer, a base física territorial do Estado então dividida em duas metades e marcaram o início do grande surto de progresso e prosperidade não só da Capital, cujo acesso facilitou, como da metade Norte do Espírito Santo até então isolada e deserta. Para essa zona afluíram, desde logo, levas e levas de agricultores que transformaram o Município de Colatina no maior produtor de café do Brasil e a sua sede num dos grandes centros comerciais e industriais do Estado. Reconstruiu a aumentou consideravelmente a sua rede rodoviária ligando a Capital à sede de todos os seus Municípios.

 

 

Fonte: Catálogo dos Monumentos Históricos e Cultural da Capital – Vitória – ES
Autor: Willis de Faria (o catálago foi por ele doado à Casa da Memória em 27-03-93)
Foto: Sérgio Lobos Martins e Flávio Lobos Martins Filho
Capa: Eugênio G. Herkenhoff
Compilação e foto atual: Walter de Aguiar Filho, julho/2011 



GALERIA:

📷
📷


Monumentos

Praia do Ribeiro

Praia do Ribeiro

A Prainha do Ribeiro é um pequeno trecho de praia onde os pescadores atracam seus barcos. Possui valor histórico pois foi ali, na sua proximidade, que residiu o primeiro Donatário da Capitania do Espírito Santo

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Monumento a Domingos Martins

Seu busto de bronze amparado pela liberdade, representada por uma figura de mulher, também de bronze, sobre um pedestal de granito, está localizado na Praça João Clímaco

Ver Artigo
Monumento a Florentino Avidos

Presidente Avidos governou o Estado no quatriênio 1924 – 1928

Ver Artigo
Praça Oito de Setembro

O cronista Eugênio Sette, dizia que "... a Praça Oito parece uma mulher dama muito vivida, muito experimentada, que não arrepia carreira, nem se encabula com uma piada mais grosseira. Já viu tudo. E, por isso, aguenta firme, consciente do seu papel."

Ver Artigo
O Teatro Carlos Gomes de Vitória - Por Gabriel Bittencourt

O Carlos Gomes era, até pouco tempo, o único teatro de Vitória em funcionamento; mas não é a nossa primeira sala de espetáculos

Ver Artigo
O Itabira e o Frade e a Freira - Por Gabriel Bittencourt

O Itabira: esguio monólito que os cachoeirenses fizeram símbolo da cidade, e os intelectuais de sua Academia de Letras transformaram-no no seu escudo e emblema

Ver Artigo