Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Igreja do Rosário

Igreja do Rosário, Vila Velha, ES - Brasil

Situada na Praça Otávio Araújo, próxima à antiga "Prainha", em cujo local teve início a colonização do Espírito Santo, a Igreja do Rosário, testemunha silenciosa de fatos que marcaram a história de Vila Velha, é o mais antigo monumento religioso do Estado e um dos mais antigos do Brasil.

Ao contrário do que muitos supõem, ela é mais antiga que o Santuário da Penha, pois em 1558, quando desembarcou em Vila Velha o franciscano Frei Pedro Palácios, construtor da Ermida das Palmeiras, que deu origem, mais tarde, à construção do Convento, a Igreja do Rosário já existia.

Não se sabe precisamente a data em que foi construída. Sabe-se, porém, que em 1549, de passagem por Vila Velha, a caminho da Capitania de São Vicente, o padre jesuíta Leonardo Nunes registrou em carta a seus superiores hierárquicos que, a noite, quando fazia sermão, reunia todos em uma praça porque, sendo a igreja local muito pequena não comportava o grande número de pessoas às quais ele falava.Tratava-se, por certo, da Igreja do Rosário que, naquela época, devia ser bem menor, não tendo as dimensões que hoje possui.

Dos poucos registros históricos a respeito desse templo, sabe-se que, em 1709, ele foi reformado por determinação do Bispo do Rio de Janeiro. Foi despendida com as obras a quantia de 200$000 (duzentos mil réis). Quarenta e um anos depois, em 1750, a igreja foi elevada à categoria de paróquia. Não obstante o predicamento de paróquia que lhe fora concedido, o seu estado de conservação sempre deixou a desejar. E foi exatamente isso que impressionou o Imperador Pedro li, quando esteve em visita a Vila Velha, em janeiro de 1860. Do seu bolso, doou o monarca a importância de 400$000 (quatrocentos mil réis) para a reforma do templo, que se achava em estado deplorável.

Atualmente, a Igreja do Rosário está sendo restaurada pelo GOVERNO MAX MAURO, com obras que irão fortalecer sua estrutura e com trabalhos de arte, executados por especialistas, a fim de ser recuperada a beleza singela do seu interior.

As tradicionais famílias de Vila Velha sempre tiveram um carinho todo especial pela Igreja do Rosário. Até hoje, continua sendo a mais procurada para a celebração de cerimônias religiosas de casamento.

No nebuloso passado da Capitania, quando os colonos desbravavam a mata inóspita e traiçoeira, entre suas paredes muitos se refugiavam para se protegerem das flechas dos Goitacazes. Várias vezes funcionou como hospital, abrigando os enfermos indigentes para que fossem tratados.

Dentro dela ajoelhou e orou o velho Vasco Coutinho, primeiro donatário da Capitania, antes tão cheio de esperanças e depois desiludido diante dos insucessos, cansado e doente, à espera da morte.

Vasco Coutinho (o filho), segundo donatário, sua mulher, Luísa Grinalda, Belchior de Azeredo, Miguel de Azeredo, Padre Anchieta, quando vinha a Vila Velha, e tantos outros cujos nomes ficaram perdidos na noite dos tempos, se prostraram de joelhos em prece fervorosa, sob o teto desse templo, numa demonstração de humildade religiosa!

Todos os fatos ocorridos na vila ou acontecidos fora dela, o povo tomava conhecimento quando se reunia na igreja, principalmente aos domingos ou dia santificado. Sendo o local que por força dos costumes da época atraia a maior concentração de pessoas, era natural que aí também veiculassem noticias sociais e de natureza política. Por isto é que a primeira Constituição brasileira, outorgada por Pedro I, a 25 de março de 1824, foi jurada pelas autoridades e o povo vilavelhense na Igreja do Rosário, no dia seguinte ao Domingo de Páscoa.

Na ampulheta do tempo as horas formaram dias, os dias viraram anos e os anos somaram séculos. E a igreja, que ostenta o nome da padroeira de Vila Velha, aí está, na grandeza de sua simplicidade, como se desejasse em seu mutismo secular revelar a história dos nossos antepassados.

Por tudo isso, é um templo que vale a pena ser visitado.


Autor: Dijairo Gonçalves Lima
Compilação: Edward Alcântara, novembro/2012
Fotos: Walter de Aguiar Filho, novembro/2012 



GALERIA:

📷
📷


Igrejas

Preço Alto

Preço Alto

A Construtora Andrade Gutierrez recupera a capela de São João Batista, construída no sec. XVI, na Serra, pelos Jesuítas, mas recebe em troca autorização para obras de terraplenagem

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ação da Igreja na época Colonial – Por João Eurípedes Franklin Leal

Em Vila Velha, Afonso Brás cuidou de levantar uma igreja dedicada a de N. S. do Rosário, 1551

Ver Artigo
Igreja e representação parlamentar na República

Os assuntos eclesiásticos continuavam na dependência do bispado do Rio de Janeiro

Ver Artigo
Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Prainha - Por Elmo Elton

Um esclarecimento: A Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Prainha situava-se, exatamente, onde, mais tarde, foi edificado o Hotel Império, ainda funcionando. A demolição do Teatro Melpômene se verificou em 1924

Ver Artigo
Igreja de Santa Luzia – Por Elmo Elton

Assim se explica a construção da igreja de Santa Luzia, a mais antiga da cidade 

Ver Artigo
Igreja e Convento do Carmo – Por Elmo Elton

Em 1913 demoliram a capela da Ordem Terceira, que lhe ficava ao lado, aquela mesma que merecera a admiração de Dom Pedro II

Ver Artigo