Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ayval da Luz

Ayval da Luz

Vencer na vida sempre foi e será o ideal de qualquer ser humano, seja pela satisfação da realização pessoal, seja pelo desejo de obter a tão decantada independência financeira, sem a qual o cidadão não perderá jamais as características do homem comum, com todas as suas frustrações, desencantos e carências.

É preciso diferenciar na vida a ocorrência de valores nascidos em berço de ouro, para os quais a fortuna sempre se transformou numa poderosa alavanca no êxito de qualquer iniciativa ou trabalho, dos que vieram de uma vida modesta e, malgrado, todas as circunstâncias adversas alcançaram suas metas e seus objetivos.

A existência é um intricado jogo entre "os que podem" e os que "pretendem poder". Muitas vezes ao longo da caminhada o trabalhador sacrificado sobrepuja o bem nascido ocioso, porque o primeiro é um desmotivado e o segundo um autêntico triunfador.

Mede-se a competência de um diretor de empresa pela sua discordância a certas sugestões. Geralmente eles mudam de idéia e desta mudança criam grandes realizações.

O homem de negócios, o empresário, há de ser sempre no seu ramo uma figura discutida, exaltada, incompreendida e quase sempre indiferente ao julgamento alheio.

AYVAL DA LUZ, como sócio e diretor acionista da “Transportadora Colatinense S/A", pode ser incluído na categoria daqueles empresários empenhados em sua batalha diária e muito pouco no que dizem ou comentam em seu redor.

A atividade à qual sempre ligou sua vida é de fundamental importância para a Nação, porquanto é através do trabalho dos seus caminhoneiros que ele transporta bens de consumo e matérias-primas para incrementar os ciclos do desenvolvimento em diversas áreas.

Ele nasceu no dia 16 de abril de 1927, em Colatina, filho de Alfredo Ignácio da Luz e de Ana Vaccari da Luz, tendo cursado as primeiras letras no Grupo Escolar Professor Pinto em Santa Teresa, em 1935/1939. Ainda em Santa Teresa de 1940 a 1944 cursou o Ginásio no Seminário São Francisco de Assis. De 1945 a 1947 fez o curso técnico na Escola Técnica de Vitória.

No início de sua vida, AYVAL DA LUZ trabalhou como balconista em bares e lojas de tecidos, em Colatina, começando a transportar café de Colatina para o Rio de Janeiro em apenas um caminhão dele e do seu irmão Cleodonidio Ignácio da Luz nos anos 50.

Bom filho, bom irmão, AYVAL esteve sempre bastante ligado à sua família, a qual deixou após ter se casado com Alice Giuberti Mattos, em Colatina.

Do seu casamento teve com Alice os seguintes filhos: Antônio Thadeu, Márcia, Rita e Ayval Júnior.

Duas ocorrências marcariam a vida do jovem AYVAL DA LUZ: a morte do seu irmão mais jovem Alfredo, conhecido por "Quinzinho" e um acidente que sofreu ao pisar em cima de palhas de café em brasa, sofrendo terríveis queimaduras, tratadas carinhosamente por sua avó Alice.

Guarda grande carinho por seus irmãos Cleodonidio, Geny e Quinzinho (falecido).

Os anos se passavam e o destino empurrava o jovem AYVAL DA LUZ para o ramo dos transportes de cargas. Ele que já fazia o trecho Rio — Colatina transportando café, via-se assediado por amigos e comerciantes que lhe faziam encomendas para que as trouxesse do Rio. Certo dia, tantas eram as insistências, nasceu a idéia da fundação de uma Empresa de Transportes, concretizada no ano de 1950 com a denominação de IRMÃOS DA LUZ LTDA.

De tal sorte AYVAL se viu favorecido por bons negócios que, já em dezembro do mesmo ano, mudou a denominação da firma para TRANSPORTADORA COLATINENSE S/A que persiste até hoje. Ele confessa que no início duas pessoas o ajudaram e incentivaram: seu irmão Cleodonidio e um tio.

Durante 28 anos de atuação gerencial nas firmas "Irmãos da Luz" e "Transportadora Colatinense", teve no dia-a-dia a oportunidade de atuar diretamente nas soluções de diversos assuntos pertinentes à administração, tendo, inclusive, atuado por mais de uma vez na Diretoria do "Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Carga do Rio de Janeiro", onde hoje reside. Tendo assumido a Presidência da "Transportadora Colatinense S/A", da qual continua Diretor-Presidente, contatou com diversas firmas de Organização de Empresas, com as quais contratou serviços para melhorar o nível de sua organização, adquirindo nestes contatos e implantações, conhecimentos e experiências teóricas que, somados à prática, permitem-lhe declarar-se suficientemente experiente para dirigir uma empresa do porte da sua, especialmente nas áreas de Recursos Humanos, Finanças, Comercialização e Operações.

Atento às suas responsabilidades como empresário, quando realizou viagens internacionais, nos vários países que visitou, manteve contato com pessoas ligadas ao ramo de transportes, que muito enriqueceram o acervo dos seus conhecimentos, ajudando-o, inclusive, a estabelecer métodos modernos de administração, implantados na empresa que dirige. Como empresário, AYVAL DA LUZ defende o princípio que todo lucro gerado pela organização deve ser reaplicado dentro da própria empresa, permitindo-lhe crescer sempre e se tornar melhor.

Ao volante de sua "Mercedes Benz" importada, sente-se um homem profundamente recompensado e realizado, dirigindo seu veículo mesmo que esteja doente. O trabalho foi o único hobby que ele conheceu e que deseja continuar cultivando. A cidade do exterior que mais gostou foi Paris. Uma boa sopa de Capeleti e uma bem preparada feijoada são seus pratos prediletos.

Quando tem que dialogar com alguém, especialmente com jovens, AYVAL DA LUZ usa de sutilezas, nunca sugere nada objetivamente, pisa leve, usando psicologia, como ele mesmo diz.

Seu filho Thadeu fez curso de Biologia, mas o sonho do pai era vê-lo, como agora, à frente da "Transportadora Colatinense S/A" dando sequência ao seu trabalho.

Com o crescimento dos negócios, AYVAL DA LUZ viu-se forçado a abrir filiais em Vitória, São Paulo, Cachoeiro, Colatina, Belo Horizonte, Linhares, Campos, Guaçuí, São Matheus, Mantena, Nova Venécia, Divinópolis, Juiz de Fora, Teixeira de Freitas, Barra de São Francisco, São Gabriel da Palha, Baixo Guandu, Campinas e Itaperuna. Quando ele iniciou sua transportadora, o Espírito Santo importava quase tudo, razão por que a Matriz acabou sendo instalada no Rio de Janeiro, à Rua Carlos Seidl, 261, onde iniciou com dois caminhões. Hoje sua frota possui 350 veículos, empregando em média, inclusive com o pessoal que opera os armazéns, 1.050 pessoas, a maioria usada em trabalho pesado. Todavia, de tal sorte o Espírito Santo foi se desenvolvendo, crescendo, emergindo como Grande Estado, que a "Transportadora Colatinense S/A", voltou para casa, tendo AYVAL DA LUZ transferido a Matriz para Vitória. Com esta providência houve condições para que se fizesse uma diversificação do seu capital, surgindo, em consequência, a "Colatinense Agro-Pastoril Ltda.", "Luz Corretora de Seguros Ltda.", propiciando mais investimentos e mais empregos para os capixabas.

Embora residindo num apartamento no Rio, AYVAL DA LUZ tem plena confiança no filho Thadeu, que está na mesma empresa desde julho de 1979, realizando desta forma seu anseio de vê-lo à frente os seus negócios, sendo que com apenas 25 anos, ele comanda a Matriz de Vitória com três assessores diretos, cada um responsável por uma área importante.

Com a demarragem industrial do Estado, AYVAL DA LUZ verá seu trabalho frutificar, sentirá o sabor de uma vitória duramente alcançada, mas perfeitamente conseguida. E talvez em suas reflexões pense como Steward Sherman, cuja mensagem pode servir de advertência aos que querem tudo da vida sem lutar: "O êxito foge como a areia através dos dedos, como a água de um balde furado, se não o agarrarmos bem seguro, por meio do trabalho árduo, dia após dia, noite após noite, ano após ano. Quem pretende não decair tem de encarar um futuro de trabalho cada vez mais árduo e fecundo, até o fim de seus dias".

 

Fonte: Personalidades do Espírito Santo. Vitória – ES. 1980
Produção: Maria Nilce
Texto: Djalma Juarez Magalhães
Fotos: Antonio Moreira
Capa: Propaganda Objetiva
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2020

Personalidades Capixabas

Pedro Fonseca, o fotógrafo

Pedro Fonseca, o fotógrafo

Parece que vejo Pedro, orgulhosamente portando uma máquina fotográfica russa, dizendo que iria retratar Vitória em 180 graus

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Maysa e o Barão de Monjardim

Impossível não aproveitar a exposição que a mídia tem dado à cantora Maysa (que era paulista) para falar um pouco sobre o Barão de Monjardim, afinal, Maysa era Monjardim, descendente do Barão

Ver Artigo
A Grandeza de Luiz Buaiz - Por Dr. Arnaldo Ferreira e Dr. Jorge Abikair

Pai maravilhoso, amigo desinteressado, excelente médico, uma pessoa simples. Assim o médico Arnaldo Ferreira, ginecologista e obstetra, define Luiz Buaiz

Ver Artigo
Prefácio do Livro - Luiz Buaiz, biografia de um homem incomum

Luiz Buaiz fez da Medicina um apostolado. Ele é um médico humanitário, que atenua e cura doenças sem pensar em outra recompensa que não seja o bem-estar do paciente

Ver Artigo
Wanthuyr José Zanotti

De Itaguaçu, de onde saíram grandes empresários, WANTHUYR sempre encontrou nos pais Cezar Zanotti e Josefina Moscon Zanotti o incentivo para buscar uma melhor posição na vida 

Ver Artigo
Victorino Teixeira Netto

VICTORINO TEIXEIRA NETTO, já influenciado por seu pai DAVID TEIXEIRA, construtor civil e incentivado por sua mãe dona Adosinda Malbar Teixeira, funcionária pública federal

Ver Artigo