Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Descoberta de relíquias em Vila Velha

Igreja do Rosário - 2013

A descoberta de um documento antigo do Vaticano comprovou a existência de restos mortais de dois santos na Igreja do Rosário, localizada na Prainha, em Vila Velha.

O pergaminho foi encontrado por um fiel no lixo, durante a reforma do local em 1990, e só agora chegou às mãos da Igreja. Pequenos fragmentos dos ossos de São Liberato e São Colombo estavam na chamada Pedra d'Ara, que fica no altar.

Segundo o pesquisador Jair Santos, que fez a descoberta, o documento, em latim medieval, possui os selos e símbolos do cartório eclesial do Vaticano e data de 1771.

"Isso é fonte primária da história da Igreja no mundo, que está sendo contada agora, aqui em Vila Velha. O documento também ajuda a comprovar a data em que esta igreja foi elevada a paróquia", disse.

Ele contou que era costume da Igreja Católica dar a Pedra d'Ara com relíquias, fragmentos de ossos ou roupas de santos e mártires, sempre que uma igreja se tornava paróquia.

"No caso do Brasil, a pedra vinha de Portugal vazia, junto com o donatário, e depois o Vaticano enviava as relíquias e o documento. Estudos apontam que a Igreja do Rosário, construída em 1565, virou paróquia em 1750, e esse documento comprova isso", disse.

O fiel que encontrou o documento o guardou em sua casa por mais de 10 anos. No último mês de junho, ele leu o livro "A Igrejinha do Rosário e a presença de Vasco Fernandes Coutinho", escrito por Jair, contando a história do local, e se deu conta da importância do pergaminho.

Foram mais de três horas para abrir a pedra e comprovar a existência de pequenos fragmentos. Eles foram analisados na Clínica Radiológica Santa Ana, que comprovou que se tratam de ossos.

"Isso não altera nada. Todo altar tem relíquias. O importante é que o documento confirma o ano possível do decreto da paróquia, que queríamos descobrir. Ainda estamos finalizando estes estudos", contou o frei Ladir Antoniazzi, responsável pela Igreja.

O resultado das pesquisas será apresentado ao público no dia 7 de outubro de 2005, dia de Nossa Senhora do Rosário.

A assessoria de comunicação da Arquidiocese de Vitória informou que a descoberta não foi comunicada oficialmente, mas confirmou que a prática de presentear as novas paróquias com pedra e relíquias era comum.

 

Fonte: Jornal A Tribuna - 19/08/2005
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2012



GALERIA:

📷
📷


Vila Velha

Átyla Freitas Lima

Átyla Freitas Lima

Sempre nutri vontade de divulgar os atos pitorescos que se passaram em Vila Velha, na época de nossa infância. Agora lendo em “A Gazeta” um artigo do meu amigo José Luzio, em que ele focaliza um desses fatos ocorridos como o nosso inesquecível “Demi Malcriado”, resolvi por em prática este meu desejo.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Apicum do Poço - Edward Athayde D’Alcântara

De lagoa em lagoa a água foi se juntando até chegar a lagoa maior conhecida como Apicum do Poço, e principal braço (braço sul) do Rio da Costa

Ver Artigo
Festa da Penha – Por Edward Athayde D’Alcântara

A dispersão do povo residente em Vitória ou ao longo da linha de bondes ia até a madrugada; o bonde funcionava 24h

Ver Artigo
Antônio Francisco Athayde – Por Seu Dedê

Doutor Antônio Francisco de Athayde foi prefeito de Vila Velha no período de 1918 a 1921

Ver Artigo
Vila Velha, a Cidade, sua História – Por Seu Dedê

O geólogo canadense Charles Frederick Hart, visitou Vila Velha no ano de 1865

Ver Artigo
Toca – Por Seu Dedê

Depois de Ernesto Goggi David vinha o terreno e residência de Gil Bernardes da Silveira

Ver Artigo