Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Pauta para Sussen – Por José Irmo Goring

Elmo Elton Santos Zamprogno

Muito boa a matéria com o José Carlos Oliveira. Acho que os dez anos de uma morte são uma oportunidade para resgatar a memória dos que se foram. Se foram nada. Estão aí muito vivos, dando alegria e instigando a gente a produzir sempre mais. Lembrei-me então que poderia deixar a você a tarefa de mostrar para os capixabas uma outra personalidade da terra. Trata-se do Elmo Elton Zamprogno. Menina, fez oito anos que ele morreu. Foi em janeiro. É verdade que eu estava de férias. Mas não me lembro de ninguém ter feito um registro sobre, nesses anos.

E olha que o Elmo foi figura sempre presente e atuante no movimento cultural de Vitória. Membro da Academia Espírito-santense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, escreveu alguns livros. Sem falar que era quem mais entendia de antigüidade, no Espírito Santo. Ensinou a quem quis aprender.

Ele organizou a primeira antologia de poetas do Espírito Santo. Um trabalho ainda não superado, pois traz um perfil biográfico dos autores.

Outra obra sua é São Benedito e sua Devoção no Espírito Santo.

E Logradouros Antigos de Vitória.

Agora memória é um pouco moda. Mas o Elmo foi um pioneiro. Conversa com o Renato Pacheco, para você ver. Conversa com o Manoel Martins.

Não posso mostrar nesse exíguo espaço esse titã de nossa cultura. Por isso, Sussen, dá uma passada na Casa Elmo Elton. É difícil ir lá, para um cidadão comum como eu.

Fica no mesmo edifício onde ele morou. Esquina de Thiers Veloso com avenida República, no Parque Moscoso. É o edifício Domingos Martins, 199. Ali está um pedaço da vida dele, de colecionador de antiguidades. Foi um contumaz colecionador de autógrafos de personalidades brasileiras, também.

Dá uma olhada no Roteiro do Caderno Dois. Lá tem o telefone para marcar a visita. São preciosidades que quero ver num sábado à tarde, refestelado, após-almoço, num morninho do meu quarto.

Vai lá, Sussen. Mostra um pouco do Elmo Elton pra gente.

P.S.: Toma cuidado com o centro. Estou achando violento, mesmo de dia.

Nota do Site: SUSSEN = (Sussen Gazal Queiroz, jornalista)

 

Fonte: ESCRITOS DE VITÓRIA — Personalidades de Vitória – Volume 15 – Uma publicação da Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura Municipal de Vitória-ES, 1996.Prefeito Municipal - Paulo Hartung
Secretário Municipal de Cultura e Turismo - Jorge Alencar
Sub-secretário Municipal de Cultura e Turismo - Sidnei Louback Roh
Diretor do Departamento de Cultura - Rogério Borges de Oliveira
Diretora do Departamento de Turismo - Rosemay Bebber Grigatto
Coordenadora do Projeto - Silvia Helena Selvátici
Chefe da Biblioteca Adelpho Poli Monjardim - Lígia Maria Mello Nagato
Bibliotecárias - Elizete Terezinha Caser Rocha e Lourdes Badke Ferreira
Conselho Editorial - Álvaro José Silva, José Valporto Tatagiba, Maria Helena Hees Alves, Renato Pacheco
Revisão - Reinaldo Santos Neves e Miguel Marvilla
Capa - Vitória Propaganda
Editoração Eletrônica - Edson Maltez Heringer
Impressão - Gráfica e Encadernadora Sodré
Autor do texto: José Irmo Gonring
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2018

Personalidades Capixabas

O menino Gil Vellozo - Por Renato Pacheco

O menino Gil Vellozo - Por Renato Pacheco

O dia 13 de fevereiro de 1930 amanheceu com sol forte, típico dia de verão. O adolescente Antônio Gil Vellozo, de 13 anos, acordou contente. É que o pai, o provecto professor Luiz Adolfo Thiers Vellozo...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Personalidades de Vitória – Por Wanda Camargo

Escolho, para falar aos Escritos de Vitória, uma personalidade essencial. Muitos a conheceram e poucos, como eu pois falo de um mineiro, nascido em Itaúna, a 9 de fevereiro de 1909...

Ver Artigo
Annette: Uma patrona de honra – Por Maria das Graças Neves

Anna de Castro Mattos, pseudônimo — Annette, mulher de fibra, garra e prestígio. Capixaba de nascimento de Mimoso do Sul e vitoriense por título concedido pela Câmara Municipal de Vitória, em 1967

Ver Artigo
Cinquentenário de uma persona grata – Por Marcos Tavares

Se é que é possível desvincular biografia e obra de um artista, eu diria que mais conheci o homem do que o notável ficcionista de O Sol no Céu na Boca

Ver Artigo
Maria Ortiz, heroína inesperada

O prazer de Maria Ortiz era rolar pela ladeira do Pelourinho dentro de uma ancoreta vazia. Tinha nove anos nessa época. Seu pai, o espanhol Juan Orty y Ortiz, veio para o Espírito Santo em 1621

Ver Artigo
Pauta para Sussen – Por José Irmo Goring

E olha que o Elmo foi figura sempre presente e atuante no movimento cultural de Vitória. Membro da AEL e do IHGES, escreveu alguns livros

Ver Artigo