Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rio Itabapoana integra três estados

São Pedro de Itabapoana

A Bacia do Itabapoana passa por 18 municípios, sendo 9 capixabas, 5 fluminenses e outros 4 mineiros, antes de desaguar no Oceano Atlântico

Um rio que nasce mineiro, no Parque Nacional do Caparaó, faz-se ao mesmo tempo capixaba e fluminense, terminando por se lançar no mar de águas do Oceano Atlântico. Esse é o rio Itabapoana, que passa por 18 municípios, unindo naturezas e culturas extremamente ricas.

Nessas cidades, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), vivem uma população de aproximadamente 650 mil habitantes, dos quais pelo menos 250 mil são residentes na área da bacia.

Ao percorrer cinco municípios do Rio de Janeiro, nove no Espírito Santo e outros quatro em Minas Gerais, o Rio Itabapoana tem de extensão 4.875,46 Km².

Seu curso maior serve de divisa entre os dois primeiros estados, o que lhe configura a característica de um rio federal e, portanto, está sob jurisdição da União, por meio da Agência Nacional de Águas (ANA).

Os principais formadores do Itabapoana são os rios São João e Caparaó — que nascem em Minas Gerais — e o Rio Preto, que nasce na Serra do Caparaó, no Espírito Santo.

Após percorrer cerca de 220 Km, o Itabapoana deságua em Presidente Kennedy (ES) e São Francisco do Itabapoana (RJ).

Esse é o rio que possui o maior cenário geopolítico, já que engloba três unidades federativas.

Como se trata de um rio federal, a gestão é compartilhada entre a ANA e os institutos de meio ambiente dos estados: lema (ES), Igam (MG) e Serla (RJ). Porém, se houver a captação de água de um afluente que nasce em Presidente Kennedy, por exemplo, e deságua no rio Itabapoana, a outorga será feita pelo lema. De acordo com diretor da Área de Regulação da ANA, Oscar Cordeiro Neto, a agência tem o papel de coordenação e trabalha de forma descentralizada.

"Nosso papel é fortalecer as ações dos institutos ambientais nos estados. Para isso, incentivamos para que assim conheçam melhor os usos da água", conta Cordeiro.

CONHEÇA OS, MUNICÍPIOS DA BACIA

Médio Itapaboana

Guaçuí (ES)

• Área - 468 Km²

• Principais atividades - Cafeicultura, pecuária leiteira e agroindústrias

• População - 25.492 habitantes

• Fatos marcantes - Foi a primeira cidade brasileira a captar direto a imagem de televisão à longa distância e a segunda no mundo. Teve também a primeira estação rodoviária do Espírito Santo. A primeira mulher eleitora do País foi uma senhora nascida em Guaçui. O monumento do Cristo Redentor, ícone da cidade, com 20,4m de altura, foi construído em apenas 113 dias

São José do Calçado (ES)

• Área - 279 Km²

• Principais atividades - Cafeicultura e pecuária leiteira

• População -10.431 habitantes

• Fatos marcantes - A pequenina e hospitaleira "cidade simpatia entre montanhas e flores" é berço de grandes poetas e escritores

Bom Jesus do Norte (ES)

• Área - 85 Km²

• Principais atividades - Pecuária leiteira e cafeicultura

• População - 9.226 habitantes

• Fatos marcantes - Seu principal Rio é o Itabapoana. Por ter um povo simples e acolhedor, recebeu o apelido de "Cidade Sorriso". O principal ponto turístico é a antiga Usina de Energia Elétrica de Mangaravite, que foi desativada

Apiacá (ES)

• Área - 194 Km²

• Principais atividades - Pecuária e cafeicultura

• População - 7.615 habitantes

• Fatos marcantes - Em 1930, com a transferência da sede de São Pedro para o atual distrito de Mimoso do Sul, o novo município passou a se chamar João Pessoa, em homenagem ao herói da revolução. O nome permaneceu até 1943, quando o município passou a se chamar Mimoso do Sul. Naquele mesmo ano, o então distrito de Boa Vista teve seu nome trocado para Apiacá, obedecendo a lei federai que obrigou todas as cidades a retomar seus nomes de origem indígena

Porciúncula (RJ)

• Área - 302 Km²

• Principais atividades - Agricultura, pecuária, piscicultura e apicultura

• População 15.952 habitantes

• Fatos marcantes - Tomou-se município em agosto de 1947, desligando-se de Itaperuna. Possui um acervo histórico que conta através de fotografia, documentos e filmes grande parte de sua história.

Varre Sai (RJ)

• Área - 680 Km²

• Principais atividades - Pecuária leiteira, cultivo de feijão, milho e hortifrutigranjeiros

• População - 7.850 habitantes

• Fatos marcantes - Onde se localiza a cidade de Varre Sai existia um rancho pertencente à dona Inácia, onde pernoitavam os tropeiros que ali passavam. Para manter o local sempre limpo, ela pedia que eles varressem antes de sair, surgindo então a denominação popular de Rancho do Varre Sai

Bom Jesus do itabapoana (RJ)

• Área - 599 Km²

• Principais atividades - Pecuária e comércio

• População - 33.655 habitantes

• Fatos marcantes - Quando Bom Jesus acaba vem o Espírito Santo...Tanta religiosidade é explicável: lugar de excelente nível cultural e gente cordial, a região é uma dádiva dos céus em belezas naturais. O nome indígena Itabapoana significa "barulho de águas sobre as pedras"

BAIXO ITABAPOANA

Muqui (ES)

• Área - 311 Km²

• Principais atividades - Cafeicultura e pecuária

• População - 13.670 habitantes

• Fatos marcantes - Em 1850, migrantes de Valença, província fluminense, ali chegaram pelo rio Sumidouro, em busca de melhores terras para a agricultura. Os antigos moradores eram pobres, tendo o costume de só saírem das suas choupanas quando o sol já ia alto. Daí o nome de "Arraial dos Lagartos", conservado até 1902, ano de inauguração da Estrada de Ferro Leopoldina, quando passou a denominar-se Muqui

Mimoso do Sul (ES)

• Área - 883 Km²

• Principais atividades - Agropecuária, cafeicultura, criação de bovinos e beneficiamento de mármore e granito

• População -26.199 habitantes

• Fatos marcantes - A região foi colonizada por pessoas vindas de Minas Gerais e Rio de Janeiro, fixadas na localidade denominada de Limeira, à margem esquerda do rio Itabapoana. Em 1958, surgiu o povoado de São Pedro de Itabapoana (hoje Sítio Histórico de São Pedro de Itabapoana)

Presidente Kennedy (ES)

• Área - 537 Km²

• Principais atividades - Extração do petróleo e agropecuária

• População - 9.555 habitantes

• Fatos marcantes - Foi desmembrado de Itapemirim. O local era habitado por índios goyatacás. Teve ocupação branca a partir do século XVII, com a formação da Fazenda Jesuítica Muribeca pelo padre André de Almeida

São Francisco do itabapoana (RJ)

• Área - 1.122 Km²

• Principais atividades - Agricultura, pesca e turismo

• População - 41.145 habitantes

• Fatos marcantes - O município é uma vasta planície, rendilhada de pequenos cursos d' água, numerosas lagoas e brejos. É banhado pelo rio Itabapoana no extremo sul e, ao centro, corre o rio Guaxindiba

Campos dos Goytacazes (RJ)

• Área - 4.041 Km²

• Principais atividades - Extração do petróleo, cana-de-açúcar, pecuária, fruticultura e agroindústria

• População - 406.989 habitantes

• Fatos marcantes - Os goytacás eram donos dessa fértil planície. Os brancos trouxeram a cana-de-açúcar e os bois. Campos foi palco da libertação dos escravos, tendo à frente a Instituição Emancipadora Campista defensora dos negros. Em 1883, o imperador D. Pedro II inaugurou a luz elétrica em Campos, sendo a cidade pioneira na América do Sul. O presidente Nilo Peçanha nasceu no município

Fonte: Consórcio de Municípios da Bacia do Rio itabapoana

 

Fonte: A Gazeta – Especial – 07 de outubro de 2007
Compilação: Walter de Aguiar Filho, março/2016

Rios do ES

Beleza em águas calmas - São Mateus

Beleza em águas calmas - São Mateus

O rio São Mateus, com suas águas verdes-esmeralda, tem nascentes em Minas Gerais e passa por 11 municípios do Estado

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Fundo para financiar projetos nas Bacias Hidrográficas do ES

A proposta é de que recursos dos royalties do petróleo, do setor elétrico e de rochas ornamentais financiem melhorias 

Ver Artigo
Itabapoana vai ganhar comitê

Membros do consórcio da bacia realizam preparativos para eleger no mês que vem a diretoria provisória

Ver Artigo
Serra das Torres, paraíso intocado

A região poderá abrigar a primeira Unidade de Conservação da Bacia do Itabapoana, por possuir espécies em extinção e não catalogadas

Ver Artigo
Enchentes causam prejuízos na Bacia do Itabapoana

A natureza, aliada à ação predatória do homem, eleva a ocorrência de inundações na Bacia do Rio Itabapoana

Ver Artigo
Comércio de escravos no Itabapoana

O rio sustentou uma sociedade oligárquica e escravocrata, onde o tráfico de negros africanos era uma importante fonte de lucro

Ver Artigo
Pobreza e riqueza lado a lado – Bacia do Itabapoana

Muqui tem o maior sítio histórico do Espírito Santo com 186 imóveis tombados, construídos no início do século XIX

Ver Artigo