Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A República

Brasão da República Federativa do Brasil

Data de 1887 o primeiro clube republicano na terra capixaba, devido à iniciativa de Bernardo Horta de Araújo, Antônio Gomes Aguirre e Joaquim Pires de Amorim - "os gigantes do pensamento republicano no Espírito Santo" - assim julgados juntamente com Afonso Cláudio.

A propaganda da nova idéia muito se beneficiou - aqui, como nas demais Províncias - com o despeito que a abolição da escravatura provocara entre os fazendeiros. Contando, portanto, com o apoio dos verdadeiros chefes das municipalidades - os proprietários rurais - foi fácil aos republicanos a pregação do seu evangelho e a formação de núcleos por todas as localidades da Província.

Aos dezesseis de setembro de 1888, reuniu-se, em Cachoeiro de Itapemirim, o primeiro Congresso Republicano Provincial do Espírito Santo, que indicou o nome de Bernardo Horta para candidato do Partido no pleito de trinta e um de agosto de 1889, do qual saiu eleito pelo segundo distrito.

À tarde de quinze de novembro de 1889, chegaram à Vitória as primeiras notícias do que se passava no Rio de Janeiro. No dia seguinte, Afonso Cláudio recebia do Governo Provisório a incumbência de administrar o Estado empossando-se a vinte de novembro no cargo de governador, perante a Câmara Municipal da capital.

Como no resto do Brasil, o povo não tomou parte nos acontecimentos. Assistiu àquilo "bestializado, atônito, sem conhecer o que significava". Como nas demais Províncias, aqui não houve reação alguma. Uma a uma, as câmaras municipais encaminharam ao novo governo seus protestos de adesão.

Nos primeiros momentos, houve, na capital, certa e natural confusão provocada pelos boatos. Disso se originou uma corrida de depositantes à Caixa Econômica, ao mesmo tempo que os habitantes das cercanias de Vitória se punham em guarda, na expectativa de atentados às suas pessoas e bens. Afonso Cláudio se apressou - logo no dia dezessete de novembro - a estampar na imprensa um comunicado que terminava com as seguintes palavras:

"Não há motivo para tamanho pânico: a guarnição da capital, enquanto estiver sob a responsabilidade dos briosos militares cujo patriotismo o país admira, é o mais seguro penhor de ordem que os cidadãos aqui residentes podem possuir e desejar".

O advento do novo regime foi festivamente recebido pelos republicanos de Cachoeiro de Itapemirim, que promoveram passeatas animadas pelos acordes da Marselhesa. À falta de bandeiras, os manifestantes conduziam estandartes vermelhos.

 

Fonte: História do Estado do ES, 1951
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2012 

História do ES

Brigadeiro José Joaquim Machado de Oliveira – Por Levy Rocha

Brigadeiro José Joaquim Machado de Oliveira – Por Levy Rocha

Vitória, naquele ano, da primeira tipografia comprada pelo fazendeiro, proprietário e ex-alferes de 1ª linha, Alfredo Ayres Vieira de Albuquerque Tovar

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Juízes de direito na Província do Espírito Santo

Reunimos, pois, sob a forma de uma sinopse, aquilo que pode demonstrar à evidência a província do Espírito Santo, baseando assim em documentos e em trabalhos de própria lavra e que aqui descrevemos

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
O Espírito Santo na 1ª História do Brasil

Pero de Magalhães de Gândavo, autor da 1ª História do Brasil, em português, impressa em Lisboa, no ano de 1576

Ver Artigo
Dia do Capixabismo – Por Francisco Aurélio Ribeiro

O dia de hoje deveria ser feriado estadual e não apenas municipal. O capixaba tem baixa auto-estima e pouco sabe de sua história e de sua cultura

Ver Artigo
Mês da Colonização do Solo Espírito-Santense

O site Morro do Moreno irá publicar matérias especiais sobre a Colonização do Solo Espírito Santense, comemorado em 23 de maio

Ver Artigo