Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Biografia do escritor capixaba Jair Santos

O escritor Jair Santos com Walter de Aguiar Filho no lançamento da 2ª Edição Revisada e Atualizada - "Vila Velha, Onde começou o Estado do Espírito Santo.

Por: Jair Santos

Desde menino acostumei-me a guardar coisas antigas como objetos, fotografias e documentos. Da mesma forma, no que se refere à leitura, sempre preferi os livros de história. Com isso estou querendo justificar a mania que sempre tive de, vez em quando, escarafunchar o antigo arquivo da prefeitura de Vila Velha e as velhas estantes da biblioteca municipal, onde por várias vezes fui surpreendido com achados interessantes.

Constatei que poucos prefeitos deram a devida atenção a esses dois órgãos tão importantes: o arquivo, como um baú guarda relíquias que contam a história do lugar e a biblioteca que, como um farol, ilumina a cidade. Um, a história, o outro, a cultura.

Um dia alguém achou que o arquivo só servia para guardar coisas velhas, ocupando espaços cada vez maiores, e pensou: - Toda essa velharia bem que podia sair daqui. E assim ele foi transferido para um antigo galpão da prefeitura que estava disponível no Ibes. Fui até lá disposto a encontrá-lo e até que não foi difícil, porém me surpreendi. O que vi foi um amontoado de papéis e de coisas velhas muito sujas e empoeiradas. Uma pena!

Por essas e outras podemos contar os administradores que deram atenção à história e cultura da cidade e que ao fim do mandato prestaram contas aos munícipes, registrando, em relatórios ou qualquer outro tipo de documento, suas realizações. Tal gesto representa respeito e agradecimento àqueles que os elegeram.

Ocorreu-me, então, a idéia de colocar no papel tudo o que tenho e sei a respeito de Vila Velha, nascendo daí o projeto do meu primeiro livro “Vila Velha – onde começou o Estado do Espírito Santo”. Como não sou historiador, minha pretensão foi registrar as lembranças e as marcas de alguns acontecimentos que revelam o passado local, como um repórter da história, com a finalidade de não deixar desaparecer essas memórias e estimular os verdadeiros historiadores à pesquisa e produção de trabalhos sobre a cidade. Timidamente falei sobre o projeto com amigos e a partir disso, como fumaça ao vento, a idéia espalhou-se e comecei a receber muitas fotografias, documentos, livros e objetos antigos que viriam a enriquecer o meu trabalho. Fiquei muito surpreso com isso e a realização do livro se tornou irreversível. Eu não imaginava que ainda existissem tantos canelas-verdes autênticos, cheios de confiança e amor por esta cidade.

Sei que muitos já deviam estar pensando que o livro não passava de uma utopia, mas graças à ajuda de Nossa Senhora da Penha e de muitos colaboradores, ele foi publicado. Trata-se de uma homenagem a esta terra que me acolheu no ano de 1932 e onde tenho raízes fortemente consolidadas, embora seja eu alegrense de nascimento, um capixaba sempre dedicado ao trabalho e que valoriza as suas origens, como os conterrâneos das fraldas do Caparaó.

Nota do site: Jair Santos foi homenageado pelo IHGES (Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo) com a Medalha do Mérito Cultural Renato Pacheco aos 84 anos, em 16 de junho de 2010, e está lançando nesse mesmo ano, nova edição atualizada do livro "Vila Velha, onde começou o Estado do Espírito Santo".

Links Relacionados:

 Capixabês 
 Benedito Calixto 
 O Bairro Ibes 
 Gil Veloso 
 Praça da Bandeira 
 Capitanias Hereditárias 
 O Auto de Frei Pedro Palácios 
 Primeiras escolas de Vila Velha 



GALERIA:

📷
📷


Escritores Capixabas

Regina Helena Magalhães

Regina Helena Magalhães

Regina Helena Magalhães nasceu em Cachoeiro de Itapemirim (ES), mas muito jovem ainda fixou residência em Vitória, capital do Estado. Bacharel em Pedagogia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), especializou-se em Psicologia Pedagógica na Universidade de Madri. Licenciada e Mestre em Educação pela Pontíficia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro, exerceu o magistério na UFES, lecionando Didática e Prática de Ensino de Pedagogia.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A sede da academia: Legado do acadêmico Kosciuszko Barbosa Leão

Decidi doar minha casa à nossa Academia de Letras, porque já lhe havia doado o coração

Ver Artigo
Histórias Capixabas de Francisco Aurélio Ribeiro - Por Getúlio Marcos Pereira Neves

Livro do professor Francisco Aurélio Ribeiro, presidente da AEL e especialista em literatura infanto-juvenil: Histórias Capixabas

Ver Artigo
A Revista da Academia Espírito-santense de Letras

Na totalidade, houve a participação de 189 escritores, com 471 textos

Ver Artigo
A Literatura do Espírito Santo na Década de 1920 e a Presença de Maria Antonieta Tatagiba

Obra realizada por Karina de Rezende Tavares Fleury, em “Alma de Flor. Maria Antonieta Tatagiba: vida e obra”, em 2007 

Ver Artigo
Publicações capixabas coletivas - Por Pedro J. Nunes

A Torta capixaba teria um segundo número, com o título Torta capixaba II: poesia e prosa, organizada por Renato Pacheco

Ver Artigo