Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Cais Para os Catraieiros de Paul

Com o próximo término do serviço de enrocamento que servirá de base ao cais de proteção que a Administração do Porto de Vitória está executando, serviço esse a cargo da Cia Portuária de Construções, o Cais dos Botes do lado da capital foi interditado aos catraieiros.

Deixa assim a célebre escadinha dos botes, condenada por muitos, mas de grande valia para os catraieiros de prestar os seus eficientes serviços.

Em razão do exposto, que acarretará também a mudança da estação das Barcas C.C.B.F.E, Portuária, cumprindo ordens da Administração do Porto, está concluindo a construção de um barracão tosco para abrigo de passageiros e construiu uma ponte de madeira para serventia dos referidos passageiros das barcas.

Para os catraieiros nada. Uma escadinha de madeira de menos de 2 metros de largura, íngreme, que servirá também para todo o embarque e desembarque do pessoal da Alfândega, dos navios de minério, da Praticagem, da própria Portuária e, também de embarque e desembarque dos passageiros dos tradicionais botes.

 

UMA COMISSÃO DE CATRAEIROS COM O SR. CAPITÃO DOS PORTOS

 

Ontem uma comissão composta dos marítimos que compõem aquela laboriosa classe, chefiada pelo Mestre Ernesto Benedito Bastos e marujos Mario de Farias Oliva, Octavio Bermudes da Penha, Manoel Deolindo Martins e Raimundo Bezerra Cavalcanti, acompanhada do Vereador Gil Vellozo, foi recebida pelo digno Comandante José Francisco, Capitão dos Portos deste Estado.

O ilustrado militar, que recentemente, para nossa satisfação, vem de ser reconduzido àquele alto posto, recebeu a Comissão com a sua habitual fidalguia, ouvindo os justos reclamos dos catraieiros de que foram intérpretes o Vereador Gil Vellozo e o Mestre Ernesto Bastos.

Anotou, com zelo e atenção os pontos que exigem imediatas providências, que são a impraticabilidade da acostagem dos botes, na escadinha quando a maré está baixa devido ao enrocamento e a serventia geral da mesma para todos os serviços, inclusive o de embarque e desembarque de passageiros, prometendo tornar urgentes providências a respeito.

A ADMINISTRAÇÃO DO PORTO TOMARÁ CONHECIMENTO

Com essas medidas de defesa da classe a Administração do Porto será cientificada oficialmente do impasse e certamente tomará as necessárias providências.

É que os catraieiros esperam e confiam.

 

Fonte: Jornal O Continente - 03/04/1954



Variedades

Um romance capixaba, e outro, nem tanto

Um romance capixaba, e outro, nem tanto

No romance Doutor Voronoff, escrito entre setembro de 1923 e maio de 1924, o escritor capixaba, a par de urdir uma “Estória” de rejuvenescimento glandular, ressalta a terra e a gente do Espírito Santo, o outro é Cabocla de Ribeiro Couto, popularizado, pela televisão, a personagem principal, atacado de tuberculose, vem para o Espírito Santo, em busca de clima

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

UMA FEIRA, COM AMOR - Por Luiz Sérgio Quarto

Vá, mesmo que não tenha vivido no interior. Mas vá com a seguinte condição: a de expor o seu interior. Feito isso, será bem-vindo. Ou melhor: festejado

Ver Artigo
Cienfuegos no bar do Valfredo na Vila Rubim - Por Gilson Soares

O relógio na parede do Bar da Vila marcava meio-dia. Era a hora. O bando de bêbados inventou de enumerar em coro, sob a batuta de Cienfuegos, as batidas do velho relógio 

Ver Artigo
Bananas, Curiós e Peroás - Por Marien Calixte

Ali chegavam as canoas vindas de Caçaroca, Jucu, Tanque, Cariacica, via rio Marinho. Também vinham do rio Santa Maria.

Ver Artigo
Bota Muito - Por Cariê Lindenberg

Era um ritual quase religioso: frequentar o botequim do mercado da Vila Rubim apelidado pelo pessoal de, "Bota Muito", por razões que acredito óbvias

Ver Artigo
Frases de Caminhão - Por Eurípedes Queiroz do Valle

As 10 mais espirituosas Frase de Caminhão do Espírito Santo, 1971

Ver Artigo