Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Estradas, Café, 1.ª Guerra Mundial e Bernardino Monteiro

Bernardino Monteiro

Bernardino Monteiro dedicou-se, preferentemente, à construção de rodovias. Era o imperativo do momento, pois os cafezais exigiam estradas por onde escoar seus frutos.(38)

Em 1918, o café ainda contribuía com 60% para a receita total do Estado. Diminuíra bastante sua importância, pois, em 1903, chegara a cobrir 95% da receita, (III) mas Bernardino Monteiro afirmava uma verdade quando escrevia que, “afinal, [o café] era o resumo da história econômica do Estado nos dias republicanos”.(39)

Outros produtos figuram nos quadros de exportação do ano de 1918: madeiras, feijão, farinha, milho, tecidos, areias monazíticas, (40) couros, arroz e açúcar.(41)

A convulsão que abalava a Europa desde 1914, e que, ao fim, envolveu a América e o Brasil, refletiu – como era natural – no comércio, na agricultura e na indústria capixabas, impossibilitando o governo de mais eficiente ação administrativa.

 

NOTAS

(38) - “O Dr. Bernardino Monteiro assumiu o governo no auge da guerra, em vinte e três de maio de 1916. Homem de força de vontade e equilibrado, inaugurou a política rodoviária do Estado, verdadeiro milagre administrativo, sob a profunda depressão financeira nacional.

Construiu as estradas de traçado mais difícil do Estado: Santa Leopoldina a Santa Teresa e Castelo a Muniz Freire.

Henrique de Novaes, notável engenheiro sob todos os títulos, estudou-lhes e dirigiu-lhes a construção, não obstante ocupar o cargo de prefeito municipal. Essas estradas modificaram fundamentalmente a estrutura econômica das regiões atingidas. Assim, muito antes do tráfego motorizado na Capital, o interior agreste das montanhas via sua produção circular em autocaminhões” (DERENZI, Biografia, 203-4).

(39) - Mensagem dirigida pelo Presidente do Estado do Espírito Santo, Dr. Bernardino de Sousa Monteiro, ao Congresso Legislativo, em sua sessão ordinária da décima legislatura. (A Mensagem é datada de doze de outubro de 1919).

(40) - Segundo o depoimento de MUNIZ FREIRE, “só em 1898, foi divulgada a existência, no Espírito Santo, dessa riqueza, que até há pouco tempo era reputada exclusiva das costas do Município do Prado, no Estado da Bahia; de então para cá ficou averiguado que possuímos dela importantes jazidas, sobretudo em os Municípios da Barra de S. Mateus, Guarapari e Benevente”

(Mensagem apresentada ao Congresso Legislativo na abertura da terceira sessão da terceira legislatura pelo Presidente do Estado, Dr. José de Melo Carvalho Muniz Freire – Vitória – 1900).

– Um longo pleito com a União, a propósito da competência para explorar os depósitos – situados nos terrenos ditos de marinha – retardou de longos anos o aproveitamento das areias monazíticas do Espírito Santo.

(41) Ver imagem abaixo do texto.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, setembro/2017



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Assembleia Provincial

Assembleia Provincial

Após o Ato Adicional, o primeiro resultado prático da independência do Brasil, para as Províncias, foi indubitavelmente, a instalação das Assembleias Legislativas, eleitas pela soberania popular

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Juízes de direito na Província do Espírito Santo

Reunimos, pois, sob a forma de uma sinopse, aquilo que pode demonstrar à evidência a província do Espírito Santo, baseando assim em documentos e em trabalhos de própria lavra e que aqui descrevemos

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
O Espírito Santo na 1ª História do Brasil

Pero de Magalhães de Gândavo, autor da 1ª História do Brasil, em português, impressa em Lisboa, no ano de 1576

Ver Artigo
Dia do Capixabismo – Por Francisco Aurélio Ribeiro

O dia de hoje deveria ser feriado estadual e não apenas municipal. O capixaba tem baixa auto-estima e pouco sabe de sua história e de sua cultura

Ver Artigo
Mês da Colonização do Solo Espírito-Santense

O site Morro do Moreno irá publicar matérias especiais sobre a Colonização do Solo Espírito Santense, comemorado em 23 de maio

Ver Artigo