Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Fazenda Guaranhuns – Por Edward Athayde Alcântara

Fazenda Guaranhuns - Coqueiral de Itaparica

Todos os terrenos da atual Praia de Itaparica pertenciam a uma única fazenda conhecida como “Fazenda Guaranhuns”. A fazenda dividia ao norte com Joaquim Carvalho, Aloísio de Freitas e o Sítio Boa Vista; ao sul com o Rio Jucu, ao leste com o oceano,a oeste com a ilha dos Bentos que em épocas remotas foi doada ao Convento Nossa Senhora da Penha e a fazenda do Rio Marinho da família Laranja.

Era um terreno destinado a criação de gado, arenoso na parte alta no cômoro da praia até o oceano alagadiço ao oeste.

Nos anos de 1940, doutor Armando de Oliveira Santo adquiriu a Fazenda Guaranhuns e na parte alta introduziu o plantio de côco da Bahia consorciado ao plantio de abacaxi; acompanhando a estrada para a Barra do Jucu fez um cerca viva plantando juta para abrigar e preservar essas culturas. Foi uma grande oportunidade para os residentes de Vila Velha empregando-os no preparo, plantio e trato cultural da terra. Os trabalhadores de melhor qualificação operavam na construção das residências dos vigias e do prédio destinado a residência do proprietário. Lembro-me que no trato cultural (capina) os trabalhadores recebiam a empreitada de acordo com as quadras trabalhadas.

O projeto não foi bem sucedido e alguns anos depois parte da área plantada foi loteada contribuindo para o desenvolvimento de toda a região surgindo os muitos bairros que hoje existem.

 

Fonte: Memória do Menino...e de sua Velha Vila, 2014
Autor: Edward Athayde D’Alcântara
Produção: Casa da Memória de Vila Velha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, março/2020

Curiosidades

Eduardo Wilberforce adentrando na Baía de Vitória em 03/09/1851

Eduardo Wilberforce adentrando na Baía de Vitória em 03/09/1851

Afonso de E. Taunay publicou no JORNAL DO COMÉRCIO de 26 de agosto de 1945, sob o título "IMPRESSÕES DE VITÓRIA E SEUS ARREDORES (1850)"

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Características Naturais do Espírito-Santense - Por Eurípedes Queiroz do Valle

1) A saudação. Trata-se de uma exclamação de cunho amistoso, usada para saudar amigos e conhecidos. É representada por um “Ei!” pronunciado com uma en­tonação especial de voz

Ver Artigo
Histórico dos Tamancos e Uma Guerra - Por Ester Abreu Vieira de Oliveira

Em tempos passados, o povo andava descalço e o tamanco se impôs como meio de proteção na realização de trabalhos agrícolas

Ver Artigo
Marta Wolkartt: Deus no Céu e Dona Marta em Santa Teresa

No distrito de Vinte e Cinco de Julho, Santa Teresa, a alemã Marta Wolkartt fez história no século XIX ao atuar como um 'coronel de saias' 

Ver Artigo
Banho na Maré – Por Edward Athayde D’Alcântara

Hoje, o local seria do outro lado onde está o Shopping da Costa. Brincávamos de “boto e tainha”

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Jean de Lèry

Dos mais antigos estrangeiros que aportaram à Capitania do Espírito Santo, podermos registrar o clérigo francês reformado Jean de Lèry

Ver Artigo