Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Fazenda Guaranhuns – Por Edward Athayde Alcântara

Fazenda Guaranhuns - Coqueiral de Itaparica

Todos os terrenos da atual Praia de Itaparica pertenciam a uma única fazenda conhecida como “Fazenda Guaranhuns”. A fazenda dividia ao norte com Joaquim Carvalho, Aloísio de Freitas e o Sítio Boa Vista; ao sul com o Rio Jucu, ao leste com o oceano,a oeste com a ilha dos Bentos que em épocas remotas foi doada ao Convento Nossa Senhora da Penha e a fazenda do Rio Marinho da família Laranja.

Era um terreno destinado a criação de gado, arenoso na parte alta no cômoro da praia até o oceano alagadiço ao oeste.

Nos anos de 1940, doutor Armando de Oliveira Santo adquiriu a Fazenda Guaranhuns e na parte alta introduziu o plantio de côco da Bahia consorciado ao plantio de abacaxi; acompanhando a estrada para a Barra do Jucu fez um cerca viva plantando juta para abrigar e preservar essas culturas. Foi uma grande oportunidade para os residentes de Vila Velha empregando-os no preparo, plantio e trato cultural da terra. Os trabalhadores de melhor qualificação operavam na construção das residências dos vigias e do prédio destinado a residência do proprietário. Lembro-me que no trato cultural (capina) os trabalhadores recebiam a empreitada de acordo com as quadras trabalhadas.

O projeto não foi bem sucedido e alguns anos depois parte da área plantada foi loteada contribuindo para o desenvolvimento de toda a região surgindo os muitos bairros que hoje existem.

 

Fonte: Memória do Menino...e de sua Velha Vila, 2014
Autor: Edward Athayde D’Alcântara
Produção: Casa da Memória de Vila Velha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, março/2020

Curiosidades

Últimos dias do Melpômene

Últimos dias do Melpômene

A natureza física de Vitória, pela sua característica topográfica e geológica, é alérgica ao urbanismo a curto prazo e de recursos limitados

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Praias - As 10 mais frequentadas por Eurípedes Queiroz do Valle

Iriri. Deriva de reri ou riri, ostras, mariscos que se encontra em toda costa espírito-santense. Irirí vem a ser portanto local onde há abundância de ostras

Ver Artigo
O Liceu: uma fábrica que virou escola - Por Gabriel Bittencourt

Assim nasceu o Liceu, no prédio da fábrica de papéis, na rua Moreira nº 170, depois do desmonte e alienação do maquinário daquele empreendimento industrial

Ver Artigo
Barra do Jucu – Por Seu Dedê

No ano de 1886, administrada pelo doutor Antônio Athayde, foram feitos os reparos, sendo a obra dividida em três lances unidos por um aterro

Ver Artigo
Lembranças, Presentes e Souvenires do ES - Os 10 mais curiosos (1971)

Biscoitos Alcobaça.  São produtos da Fábrica Alcobaça, de propriedade da firma “Rami­ro S.A. Indústria e Comércio”, instalada no Município de Espírito Santo (Vila Velha), com depósitos em Vitória

Ver Artigo
Características Naturais do Espírito-Santense - Por Eurípedes Queiroz do Valle

1) A saudação. Trata-se de uma exclamação de cunho amistoso, usada para saudar amigos e conhecidos. É representada por um “Ei!” pronunciado com uma en­tonação especial de voz

Ver Artigo