Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O Britz fecha

Prédio do antigo Britz Bar - Foto: Walter de Aguiar Filho, 08/2011

Amanhã não fecha,

porque depois de amanhã é domingo

Não se desesperem.

Pensem nas cubas libres que virão,

nos versos que estão para escrever.

Deixem que vá a leilão,

mas não arredem o pé de suas mesas,

nem abram mão de sua orlofe

imprensada entre o limão e o açúcar.

 

O Britz fecha.

Quinta, depois do carnaval, em agosto.

Que janela me indicou tal portaria,

Se bar era sem porta.

 

O Britz fecha.

Onde procurar o chope gelado,

o americano e o sergio egito.

 

O Britz fecha.

O vento sul, desnorteado,

vai bater a porta que ninguém

nunca viu.

 

O Britz fecha,

no vermelho,

em débito de sonatas e paixões

a corações errantes

nas tantas contas que ficaram por quitar

 

Fonte: Escritos de Vitória – bares, botequins etc.
Autor: Anilton Trancoso
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2012

Variedades

Aeroporto – Ainda temos Setiba ou Piúma

Aeroporto – Ainda temos Setiba ou Piúma

O Governo tem que agir com rapidez, para que o Estado não perca a opção do litoral sul — Setiba ou Piúma — como perdemos as antigas opções de Vila Velha e Guarapari

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Cabula - Prática Cultural Religiosa Africana

A Cabula foi objeto de estudo pelo Bispo D. João Batista Nery, com o propósito de combatê-la

Ver Artigo
A Proclamação da República e o Espírito Santo

A despeito de não ter havido a participação popular, a Proclamação da República não se explica pelo ato de Deodoro da Fonseca

Ver Artigo
Vista do Jeanne DArc

A Prefeitura Municipal, com suas palmeiras imperiais esvoaçando como pluma ao sabor dos ventos contrastava com o balé aéreo dos urubus ao final da tarde

Ver Artigo
Política do cotidiano - Por João Gualberto M. Vasconcellos

As pessoas buscam explicações, ou será casualidade que o livro "Complexo da Cinderela" que discute o príncipe encantado como eixo da vida feminina, ser hoje um dos mais vendidos no país?

Ver Artigo
Acontecimentos da Época Monárquica no ES

No regime monárquico, que durou sessenta e sete anos, nada menos de noventa e seis presidentes, entre efetivos e substitutos, governaram o Espírito Santo

Ver Artigo