Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O Quadro – Por Orminda Escobar Gomes

Nossa Senhora da Alegria - Autor: Marco Polo, 2005 - Acervo: Luiza Valdetaro Rangel

Poético... Ideal... Estrelas pontilhavam

o pálio azul safira desta terra. A brisa

ao impelir, de manso, a barca que desliza,

cicia brandamente. A tiritar pescavam

 

praieiros, na restinga ou no alto mar. Cuidavam

tenazes, enfrentar a vida rude. Frisa a face da bale, quase sempre lisa,

veloz gaivota ou garça. As aves pipilavam

 

alegremente. A fim de esquadrinhar a praia

risonha, — onde a gemer o vagalhão desmaia

saiu da furna o frei, ao despontar da aurora.

 

Depois galgou o monte a pesquisar... e, atento,

de assombro cheio, — olhando o pico, no momento...

entre, as palmeiras viu — O Quadro da Senhora! ...

 

Orminda Escobar Gomes

 

Fonte: O Relicário de um povo – O Santuário de Nossa Senhora da Penha, 2ª edição, 1958
Autora da poesia: Orminda Escobar Gomes
Autora: Maria Stella de Novaes
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2018

Convento da Penha

Milagres da Penha - O pedreiro que caiu do andaime

Milagres da Penha - O pedreiro que caiu do andaime

Construindo-se a ermida da Penha, um operário caiu dos andaimes, e teria morrido despedaçado onde é hoje a rampa do portão, se à voz do venerável servo de Deus

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Convento da Penha – Por Maria Stella de Novaes

Peregrino, contempla o augusto monumento  da terra capixaba. Ali, vive a rezar, em hosanas de glória, ou rudez do tormento, o coração de um povo!

Ver Artigo
Visão dos Holandeses (Poesia) - Por Orminda Escobar Gomes

De além se divisava a linda capelinha, /Erguida sobre a rocha. Esplêndida moldura /O céu azul turquesa... Excêntrica, a estrutura /Do monte-matagal a florescer... Na linha

Ver Artigo
Radiosa - Por Orminda Escobar Gomes

Vitória, és joia rara! /Realças entre as demais! /Teus campos e tuas praias, /Tão lindas, não têm rivais!

Ver Artigo
Cerração (Poesia) - Convento da Penha

Um dia esplendoroso. O sol quente, escaldante / Suave azul do céu. O esmeraldino mar / Oscula, brandamente, a praia. Singular / Beleza e alacridade em torno... Mas, distante...

Ver Artigo
Terremoto em Vitória e em Vila Velha (Poesia) - Por Orminda Escobar Gomes

Agosto. Quase findo, o seu primeiro dia. / Dezoito século... Sim!... Sessenta e sete ou nove?! / Das lides descansando, a gente adormecia...

Ver Artigo