Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Personalidade Capixaba - Antônio Pinto Rodrigues

Antônio Pinto Rodrigues

Em 13 de junho de 1903 nasceu, em Vila Velha, Antônio Pinto Rodrigues, filho de Cleto Rodrigues e Henedina Pinto Rodrigues. Seu pai foi secretário da Prefeitura e da Câmara Municipal de Vila Velha, na fase em que a municipalidade dava seus primeiros passos na era republicana desse século. Era uma espécie de intelectual da época, o que por certo influenciou no desempenho do filho.

Antônio chegou a frequentar a Escola D. Pedro II, formando-se como professor, ofício que veio a exercer na vida pública, além de contador, comerciário e jornalista. Veio, ao final, ser serventuário da Justiça em Vila Velha com o cargo de contador, partidor, distribuidor e depositário público.

Foi também poeta, suplente de vereador, representante da imprensa na Comissão de Abastecimento e Preços, nomeado pelo presidente da República (em 1955), presidente de uma Academia de Halterofilismo em Vila Velha (a Titan), e da Academia de Letras Humberto de Campos por diversos mandatos (entre 1952 a 1970) onde se dedicou de corpo e alma. Foi membro de inúmeras instituições literárias e científicas. Teve uma participação expressiva em várias campanhas em prol de melhorias para Vila Velha, como a Maternidade e a reforma da então única ponte da Barra do Jucu (Ponte da Madalena) entre outras colaborações.

Seus discursos eram ouvidos em eventos no obelisco, na Praça da Bandeira (Prainha) em dia 23 de Maio. Como gostava de escrever, manteve uma coluna de crônicas no Jornal A Gazeta com o título de “Vila Velha e seus contrastes”. Deixou vários escritos. Faleceu em 1º de maio de 1971 e hoje, em sua homenagem, tem seu nome em uma escola nem Cavalieri, na Grande Aribiri. Antônio Pinto Rodrigues tinha o seguinte lema: “Não registro ranhuras por onde se insinua o limo da inveja, o azinhavre do rancor ou a ferrugem da malquerença”.

 

Fonte: Jornal Calçadão, Praia da Costa e Itapõa, fevereiro/1998 – Ano II, nº 14. EmCena Comunicação LTDA.
Diretores: Jorge França e Anderson Andreata
Edição: Anderson Andreata
Redação: Anderson Andreata e Luciene de Araújo
Colaboração: Jovany Sales Rey
Editoração: Copgraf Gráfica e Editora LTDA
Comercial: Jorge França
Periodicidade: Mensal
Tiragem: 12 mil exemplares.
Distribuição: Gratuita em condomínios, residências e comércio em geral dos bairros da Praia da Costa e Itapõa.
Material pesquisado por Roberto Brochado Abreu, membro da Casa da Memória de Vila Velha/ES.
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2020

Personalidades Capixabas

Américo Bernardes da Silveira

Américo Bernardes da Silveira

Américo Bernardes da Silveira foi prefeito de Vila Velha entre 1977 e 1982, em segundo mandato. Consta que herdou uma grande dívida junto ao sistema financeiro da habitação, da qual conseguiu honrar pouco mais da metade, graças às altas taxas de juros e à correção monetária do conhecido período inflacionário brasileiro.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Importância da Mulher na História de Espírito Santo

A História revela que a mulher, sempre foi discriminada em todas as épocas e o seu papel na sociedade nem sempre foi considerado preponderante e fundamental

Ver Artigo
Augusto Ruschi

Na natureza tudo e todos são interdependentes; assim, a sobrevivência de todas as espécies, inclusive o homem, só pode ser conseguida através do entendimento desta interdependência

Ver Artigo
Levino Fanzeres - Um Modesto Centenário

É de sua autoria a célebre Partida de Araribóia, quadro adquirido pelo governo do Estado para a Assembléia Legislativa

Ver Artigo
Uma festa para Hermógenes – Por Berredo de Menezes

Hermógenes recebe merecidamente, o galardão de presidente de honra da Comissão Espírito-santense de Folclore

Ver Artigo
Marcílio Toledo Machado

Meu pai disse para meu irmão mais velho quando nasceu o seu primeiro filho: "Agora sim, você vai ter uma idéia de quanto gosto de você"

Ver Artigo