Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

1625: Os Holandeses invadem o Espírito Santo

Tela: A visão dos holandeses - Autor: Benedito Calixto - Ano: 1927

A guerra do açúcar, ensejada pelo domínio espanhol em Portugal, incendiava o Nordeste brasileiro, desde 1624.

No ano seguinte, os seus reflexos bateram às portas do Espírito Santo. Uma esquadra holandesa, constituída de 28 navios, entrou na barra de Vitória sob o comando de Pieter Heyn.

Os holandeses, mal sucedidos na tentativa de um ataque à cidade de Luanda, na África, regressaram ao ponto de partida – a Bahia -, e investiram contra o Espírito Santo.

A luta foi tremenda. Jesuítas e Franciscanos deram o seu auxílio. Depois de oito dias de investidas, os holandeses derrotados se retiraram, desanimados, com muitas baixas, entre as quais o almirante Guilherme Ians e Rodrigo Pedro.

Referem-se os documentos à bravura do Frei Manuel do Espírito Santo que, “vendo-se livre de um chuveiro de pelouros, se foi ao sino da igreja-matriz que ali estava perto, e o começou a repicar publicando vitória, com que a gente se animou mais a alcançá-la”.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 1951
Autor: José Teixeira de Oliveira 

História do ES

Secular questão de limites entre o Espírito Santo e Minas Gerais - Parte IV

Secular questão de limites entre o Espírito Santo e Minas Gerais - Parte IV

O ato, destarte, praticado pelos Governadores de Minas Gerais e Espírito Santo, é ato meramente administrativo, estritamente administrativo

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo