Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1598 - Por Basílio Daemon

Capa do Livro - Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT2010

1598. É passada neste ano a carta régia encarregando a Salvador Correia de Sá da superintendência das minas de ouro, diamantes e pedras preciosas descobertas na capitania do Espírito Santo, em Santos e Paranaguá, dando-se-lhe regimento, e sendo dispensado então do governo. Como se vê, por muitos escritores e historiadores se acham confundidas as épocas de certos fatos de nossa história, por tomarem Salvador Correia de Sá pelo governador Salvador Correia de Sá e Benevides.

Idem. Parte da Bahia, no mês de outubro deste ano, o governador geral do Estado do Brasil, D. Francisco de Souza, em direção a esta capitania, tendo incumbido do governo ao capitão-mor Álvaro de Carvalho, trazendo consigo para aqui a sua guarda, um engenheiro alemão de nome Geraldo, e mais um mineiro profissional, também alemão, chamado Jaques, com o fim de explorar as minas de ouro, não só aqui, como na capitania de [São] Vicente. Chegando, fez por meses residência nesta capitania, passando no 1º de dezembro deste ano uma provisão em que ordenava ao Almoxarifado de Santos que fornecesse todo o necessário e dinheiro ao capitão Diogo Aires Aguirra, que desta hoje capital seguia para ali como seu enviado, indo acompanhado de duzentos índios destinados à lavragem das minas de ouro em Santos. Feito isto, ainda foi enviado Diogo Martins Cão a percorrer esta capitania a descobrir as minas existentes aqui e a examinar, principalmente, as minas das Esmeraldas na serra do mesmo nome, descobertas por Sebastião Tourinho e averiguadas por Dias Adorno. Este governador por si mesmo foi verificar algumas minas, servindo-se do engenheiro e mineiro que trazia. Seguiu depois para o Rio de Janeiro, onde pouco se demorou, chegando à capitania de São Vicente em maio do ano seguinte de 1599.

Idem. Neste ano, Olvier Von Noord,(134) célebre negociante holandês, em viagem à roda do mundo, aporta ao rio Doce a tomar víveres que lhe faltavam, mas, sendo hostilmente recebido por seus habitantes, fez-se de vela a continuar a sua dificultosa viagem.(135)

 

Notas

 

134 Olivier van Noord é a grafia correta.

135 Ao que tudo indica, Olivier van Noord teria iniciado viagem em 1598, chegando na Guanabara em 1599 e posteriormente ao rio Doce [Netscher, P. M. Holandeses no Brasil. Companhia Editora Nacional, 1942, p. 40, apud Oliveira, HEES. p. 124, nota 62]

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2019

 

Matérias Especiais

Tropeiros

Tropeiros

Participar da Festa do tropeiro em Ibatiba é reviver a história, é dar valor a um legado precioso da gente do Espírito Santo, da nossa gente

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Cidade em outros tempos

Bondes, lanchas, manguezais e catraeiros nos remetem há uma época que creio não retornará. Vou citar alguns fatos e nomes de alguns personagens

Ver Artigo
Mercados e Feiras

Entreposto de vida nas cidades. Os mercados e feiras fazem a ligação, do campo para a cidade, do pão nosso de cada dia. É onde a cidade vai buscar o seu alimento...

Ver Artigo
Vitória da Bossa

O mundo inteiro sabe que o nascimento da Bossa Nova se deu na Zona Sul do Rio, mas poucos se dão conta de que Vitória exerceu papel de coadjuvante na criação do movimento

Ver Artigo
A lenda do judeu pescador

O judeu, natural do Algarve, era católico, e atribuía a sua boa sorte à devoção de São Tiago e Santa Marta, cujas imagens mantinha num oratório

Ver Artigo
Festejos de Natal: Reis

O Reis foi introduzido em Vila Velha pelo Padre Antunes de Sequeira. Filho de Vitória, onde nascera a 3 de fevereiro de 1832

Ver Artigo