Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1598 - Por Basílio Daemon

Capa do Livro - Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT2010

1598. É passada neste ano a carta régia encarregando a Salvador Correia de Sá da superintendência das minas de ouro, diamantes e pedras preciosas descobertas na capitania do Espírito Santo, em Santos e Paranaguá, dando-se-lhe regimento, e sendo dispensado então do governo. Como se vê, por muitos escritores e historiadores se acham confundidas as épocas de certos fatos de nossa história, por tomarem Salvador Correia de Sá pelo governador Salvador Correia de Sá e Benevides.

Idem. Parte da Bahia, no mês de outubro deste ano, o governador geral do Estado do Brasil, D. Francisco de Souza, em direção a esta capitania, tendo incumbido do governo ao capitão-mor Álvaro de Carvalho, trazendo consigo para aqui a sua guarda, um engenheiro alemão de nome Geraldo, e mais um mineiro profissional, também alemão, chamado Jaques, com o fim de explorar as minas de ouro, não só aqui, como na capitania de [São] Vicente. Chegando, fez por meses residência nesta capitania, passando no 1º de dezembro deste ano uma provisão em que ordenava ao Almoxarifado de Santos que fornecesse todo o necessário e dinheiro ao capitão Diogo Aires Aguirra, que desta hoje capital seguia para ali como seu enviado, indo acompanhado de duzentos índios destinados à lavragem das minas de ouro em Santos. Feito isto, ainda foi enviado Diogo Martins Cão a percorrer esta capitania a descobrir as minas existentes aqui e a examinar, principalmente, as minas das Esmeraldas na serra do mesmo nome, descobertas por Sebastião Tourinho e averiguadas por Dias Adorno. Este governador por si mesmo foi verificar algumas minas, servindo-se do engenheiro e mineiro que trazia. Seguiu depois para o Rio de Janeiro, onde pouco se demorou, chegando à capitania de São Vicente em maio do ano seguinte de 1599.

Idem. Neste ano, Olvier Von Noord,(134) célebre negociante holandês, em viagem à roda do mundo, aporta ao rio Doce a tomar víveres que lhe faltavam, mas, sendo hostilmente recebido por seus habitantes, fez-se de vela a continuar a sua dificultosa viagem.(135)

 

Notas

 

134 Olivier van Noord é a grafia correta.

135 Ao que tudo indica, Olivier van Noord teria iniciado viagem em 1598, chegando na Guanabara em 1599 e posteriormente ao rio Doce [Netscher, P. M. Holandeses no Brasil. Companhia Editora Nacional, 1942, p. 40, apud Oliveira, HEES. p. 124, nota 62]

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2019

 

Matérias Especiais

Lendas da Serra

Lendas da Serra

As Negas: A tradição é serem sujas as pessoas que gritam NEGA, que é a senha, informando que a pessoa quer participar e aceita a brincadeira, segundo informações da Srª Angela Maria de Jesus Ribeiro, moradora da Serra Sede desde 1980

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Canudos e a consolidação da República - Por Hélio Athayde

Os brasileiros ainda questionam a sua forma e o seu sistema de governo, vergados sob o imenso peso de um “complexo de culpa coletivo”, que parece continuar rondando os seus espíritos

Ver Artigo
Proclamação da República

Embora as idéias republicanas já fossem agitadas no Brasil desde o período colonial sua propaganda ganhou força com a fundação do Partido Republicano, após a Convenção Republicana de Itu, 1870

Ver Artigo
Cachoeiro de Itapemirim e a República

O amor à terra, como o indestrutível apego a suas tradições, é característico do cachoeirense

Ver Artigo
O regime das terras devolutas na República

O advento da República alterou, profundamente, o regime da propriedade, na parte concernente às terras devolutas

Ver Artigo
A bandeira positivista dos republicanos

Ao chegar o dia 15 de novembro, os republicanos não tinham uma bandeira que simbolizasse o movimento

Ver Artigo