Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Flagelados do Ceará – Ameaça de cólera

Varíola - Edward Jenner foi o inglês criador da vacina do século XVIII

A segunda grande estiagem que flagelou o nordeste durante o século (1877-79) trouxe ao Espírito Santo milhares de cearenses.(64) Foi um novo e inesperado problema, a exigir imediata solução, com que teve de lutar a Administração local. A precariedade das instalações urbanas e de estradas que facilitassem o escoamento rápido – para a lavoura – das levas de famílias privadas de qualquer recurso tinha de ser superada pelo empenho em socorrer aqueles desgraçados irmãos. E o foi galhardamente, cabendo assinalar a cooperação particular, efetiva em todos os momentos.(65)

A leitura da documentação pertinente ao assunto(66) indica ter sido mais penosa a tarefa de recambiar para seus antigos lares – cessada a estiagem – os que pleitearam o regresso, aliás em reduzidíssimo número.(67)

Tornadas endêmicas, a febre amarela e a varíola acometeram com inusitada intensidade em 1886. Foi, porém, um novo surto de cólera, denunciado na Europa naquele mesmo ano, que encheu de justas apreensões o governo e o povo capixabas. A aproximação de um paquete italiano, a que faltara combustível, em viagem para o sul, apavorou a Capital, obrigando o presidente a solicitar desesperadamente ao governo central um navio de guerra para evitar entrasse na baía de Vitória qualquer embarcação procedente de portos estrangeiros – uma vez que a fortaleza da Barra estava desarmada.(68)

 

NOTAS

(64) - Estatística de 1878 registra 4.787 (Pres ES, XVI).

(65) - BASÍLIO DAEMON refere-se à distribuição de roupas aos retirantes e a numerosas subscrições populares, destinadas a angariar fundos para socorro, na Capital e no interior, inclusive nas colônias de Santa Isabel e Santa Leopoldina (Prov ES, 451-2) .

(66) - Pres ES, XVI.

(67) - Pres ES, XVI.

(68) - Telegrama do presidente, desembargador Antônio Joaquim Rodrigues, ao ministro do Império, in Pres ES, XIX.

– A correspondência presidencial, tantas vezes citada nesta obra, está repleta de alusões à ameaça de surgimento do cholera morbus na província. A cada notícia da aparição de novo surto em portos estrangeiros, a Administração bradava por socorro.

– A varíola – que está sempre presente aqui ou acolá – é tema constante do epistolário oficial. O “pus vacínico” é outro tema freqüente daquela correspondência. São pedidos de remessa ou notificação de recebimento das famosas lâminas salvadoras.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, novembro/2017

História do ES

Nasce a Companhia Vale do Rio Doce

Nasce a Companhia Vale do Rio Doce

Criada em 1º de junho de 1942, no auge da Segunda Guerra, a CVRD a partir desse acordo garantiria a esses países... 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Fundação de Vitória

Aquela provisão lança por terra a tradição de que foi o triunfo alcançado pelos ilhéus a 08/09/1551 que deu nome a Vitória

Ver Artigo
Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
Jesuítas no Espírito Santo

Em 1549 partiram da Bahia – escalaram no porto da “povoação do Espírito Santo” Leonardo Nunes e Diogo Jácome

Ver Artigo
Origem do nome das cidades do ES

Muitas vezes, por um simples motivo, surge a origem do nome de uma cidade, como por exemplo, o hábito dos moradores de tomar um cafezinho que, de tão ralo, mais parecia água doce. Daí veio o nome da cidade de Água Doce. E o nome da cidade de Águia Branca, de onde surgiu essa idéia? 

Ver Artigo
Araribóia X Villegagnon

Araribóia, comandante de duzentos temiminós que o Espírito Santo mandou à luta contra os franceses de Villegagnon

Ver Artigo