Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Flagelados do Ceará – Ameaça de cólera

Varíola - Edward Jenner foi o inglês criador da vacina do século XVIII

A segunda grande estiagem que flagelou o nordeste durante o século (1877-79) trouxe ao Espírito Santo milhares de cearenses.(64) Foi um novo e inesperado problema, a exigir imediata solução, com que teve de lutar a Administração local. A precariedade das instalações urbanas e de estradas que facilitassem o escoamento rápido – para a lavoura – das levas de famílias privadas de qualquer recurso tinha de ser superada pelo empenho em socorrer aqueles desgraçados irmãos. E o foi galhardamente, cabendo assinalar a cooperação particular, efetiva em todos os momentos.(65)

A leitura da documentação pertinente ao assunto(66) indica ter sido mais penosa a tarefa de recambiar para seus antigos lares – cessada a estiagem – os que pleitearam o regresso, aliás em reduzidíssimo número.(67)

Tornadas endêmicas, a febre amarela e a varíola acometeram com inusitada intensidade em 1886. Foi, porém, um novo surto de cólera, denunciado na Europa naquele mesmo ano, que encheu de justas apreensões o governo e o povo capixabas. A aproximação de um paquete italiano, a que faltara combustível, em viagem para o sul, apavorou a Capital, obrigando o presidente a solicitar desesperadamente ao governo central um navio de guerra para evitar entrasse na baía de Vitória qualquer embarcação procedente de portos estrangeiros – uma vez que a fortaleza da Barra estava desarmada.(68)

 

NOTAS

(64) - Estatística de 1878 registra 4.787 (Pres ES, XVI).

(65) - BASÍLIO DAEMON refere-se à distribuição de roupas aos retirantes e a numerosas subscrições populares, destinadas a angariar fundos para socorro, na Capital e no interior, inclusive nas colônias de Santa Isabel e Santa Leopoldina (Prov ES, 451-2) .

(66) - Pres ES, XVI.

(67) - Pres ES, XVI.

(68) - Telegrama do presidente, desembargador Antônio Joaquim Rodrigues, ao ministro do Império, in Pres ES, XIX.

– A correspondência presidencial, tantas vezes citada nesta obra, está repleta de alusões à ameaça de surgimento do cholera morbus na província. A cada notícia da aparição de novo surto em portos estrangeiros, a Administração bradava por socorro.

– A varíola – que está sempre presente aqui ou acolá – é tema constante do epistolário oficial. O “pus vacínico” é outro tema freqüente daquela correspondência. São pedidos de remessa ou notificação de recebimento das famosas lâminas salvadoras.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, novembro/2017

História do ES

Rubim e a passagem terrestre para Minas Gerais

Rubim e a passagem terrestre para Minas Gerais

Se a comunicação pelo Rio de Santa Maria com Minas Gerais fosse realizada, seria assaz vantajosa, porque este Rio vem desembocar no ancoradouro da Vila da Vitória 

 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1842 – Por Basílio Daemon

Chegam para cumprirem degredo o ex-regente padre Diogo Antônio Feijó e o deputado Nicolau Pereira de Campos Vergueiro   

Ver Artigo
Vitória recebe a República sem manifestação e Cachoeiro comemora

No final do século XIX, principalmente por causa da produção cafeeira, o Brasil, e o Espírito Santo, em particular, passaram por profundas transformações

Ver Artigo
A República e o esforço pela expansão do ensino

No que diz respeito ao ensino primário, houve um acentuado aumento quantitativo do número de escolas e de matrículas

Ver Artigo
Administração e serviços públicos na República

Os faróis de Santa Luzia e da Ilha do Francês; as fortalezas de S. João e S. Francisco Xavier, as Companhias de Infantaria e de Polícia e o Batalhão da Guarda Nacional

Ver Artigo
Bibliotecas públicas e jornais na República

A Biblioteca Pública Provincial, em 1889, era servida por um amanuense-bibliotecário e um porteiro

Ver Artigo