Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Poder Legislativo no Supremo – Por Eurico Rezende

Através da Emenda n° 832/5, procurei evitar que se outorgasse ao Supremo Tribunal uma faculdade legislativa quase absoluta.

Redigi-a assim:

"Art. 113 e parágrafo único, alíneas a, b, c e d:

"Substituí-lo pelo art. 101, §§ 1° e 2° (com a redação da Emenda Constitucional n° 16, e § 4° (no tocante ao exequatur)." ("ANAIS", Vol. 6, Tomo II, pág. 885.)

Havia decorrido apenas um ano da promulgação da Emenda Constitucional n° 16, de 26 de novembro de 1965, que racionalizou a competência do Supremo Tribunal Federal e das suas Turmas, com reais e proclamadas vantagens para o serviço judiciário e rápido escoamento de milhares de feitos. Parecia-me inconcebível e, no meu entender, continua sendo que, ao se colherem os primeiros frutos da reforma, se abrisse oportunidade a uma revisão, pela própria Corte, do sistema adotado há tão pouco tempo e de êxito tão patentemente confirmado nas lições da experiência.

De outra parte, nada legitimava a delegação, estabelecida no projeto (já não legislativa, e sim constitucional), de concessão ao Pretório Excelso de atribuições privativas do Parlamento, como a de legislar sobre processo.

Dilargou-se, abusivamente, o campo restrito dos regimentos internos, com o privilégio que subordina os direitos das partes às vacilações da maioria simples do Supremo Tribunal, no disciplinar, em regras ditadas somente por ele, à margem e à revelia das leis, "o processo e o julgamento dos feitos de sua competência originária ou de recurso".

A emenda foi rejeitada, sem, data venia, argumento ponderável. Não lhe dando aprovação, o Congresso Nacional cedeu ao Supremo grave atribuição de sua exclusiva competência.

 

Fonte: Memórias – Eurico Rezende– Senado Federal, 1988
Compilação: Walter de Aguiar Filho, maio/2018

Personalidades Capixabas

Rubem Braga

Rubem Braga

"Sempre tenho confiança de que não serei maltratado na
porta do céu, e mesmo que São Pedro tenha ordem 
para não me deixar entrar, ele ficará indeciso
quando eu lhe disser em voz baixa:
"Eu sou lá de Cachoeiro..."

Rubem Braga, considerado por muitos o maior cronista brasileiro desde Machado de Assis, nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, ES, a 12 de janeiro de 1913.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Sobre armas e milk shake – Por Antônio Carlos Neves

As doze horas e quarenta minutos do dia primeiro de abril de 1964, neste momento a Fafi foi invadida

Ver Artigo
O brilho da metade do céu – Movimento Feminista

As feministas iniciaram sua organização no estado, mais precisamente em Vitória, nos anos 80

Ver Artigo
Prestando Contas – Por Eurico Rezende

Hoje, neste mês vestibular de 1988 coloco-me na longa esteira de recordações do trabalho inovador que desenvolvi no preparo da Constituição em vigor

Ver Artigo
Diretas já! – Por Dionary Sarmento Régis

No comício de Camburi: falei com emoção, me apresentei como comunista, pedi eleições diretas e legalidade para o PCB

Ver Artigo
Movimento Cineclubista – Por Antônio Claudino de Jesus

O "mosquitinho" circulara na véspera no almoço do RU e despertou minha atenção naquele triste ano de 1973

Ver Artigo