Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Praça Costa Pereira

Praça Costa Pereira em 1930 - Foto José Luiz Pizzol

Praça é sempre um nome que remete à lembrança de crianças brincando, monumentos em homenagem a personagens importantes da história, namorados o conversar em bancos, vendedores de bugigangas. Mas no Centro de Vitória, além da memória corriqueira dos logradouros, as praças guardam lembranças especiais para seus moradores.

"A Praça Costa Pereira é o lugar ideal para refletir a cidade, a vida. Não sei, se são as árvores, talvez, o barulho dos passarinhos". Márcia Gáudio, atriz.

A Praça Costa Pereira foi primeiro conhecida como Prainha, depois Largo da Conceição, e entre os anos de 1922 e 1960, como praça da Independência. Mais de dois terços da sua área eram banhados pelo mar, e o aterro foi sendo feito aos poucos. Dos prédios que ladeavam a Costa Pereira se destacavam o Hotel Império, a Casa Madame Prado, a sede do Clube Álvares Cabral, o Café Avenida, a sorveteria Pinguim, o Teatro Carlos Gomes.

Diz Elmo Elton que a partir dos anos 50 a Costa Pereira deixou de ser ponto preferido da sociedade. vulgarizou-se, tornando-se, durante o dia, local de vendedores de bugigangas, e, à noite, de encontros duvidosos.

Hoje, num passeio pela Praça Costa Pereira durante o dia, continuamos a encontrar vendedores de bugigangas. Mas também encontramos vendedores de terrenos no céu, de ervas medicinais e de todas as crendices que o homem possa inventar. Homens e mulheres, jovens e velhos, observam o tempo sentados nos bancos da praça. À noite, vive solitária, abrigando raros casais apaixonados. Porém nas manhãs de domingo a deliciosa presença do chorinho do regional Mestre Flores transforma solitários em solidários.

 

Projeto Adelpho Poli Monjardim
Coleção Elmo Elton 2 - Centro de Vitória
Uma publicação da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura Municipal de Vitória, ES
Prefeito Municipal: Luiz Paulo Vellozo Lucas
Secretária de Cultura: Cláudia Cabral
Subsecretária de Cultura: Verônica Gomes
Diretor do Departamento de Cultura: Joca Simonetti
Administradora da Biblioteca Adelpho Poli Monjardim: Lígia Mª Mello Nagato
Conselho Editorial: Adilson Vilaça, Condebaldes de Menezes Borges, Joca Simonetti, Elizete Terezinha Caser Rocha, Ligia Mª Mello Nagato e Lourdes Badke Ferreira
Editor: Adilson Vilaça
Projeto Gráfico e Editoração Eletrônica: Cristina Xavier
Revisão: Djalma Vazzoler
Impressão: Gráfica Santo Antônio
Tiragem da 1ª Edição - 1000 exemplares.
Fonte: Centro de Vitória, Coleção Elmo Elton nº2 – PMV, 1999
Texto: Maria Cristina Dadalto
Fotos: Judas Tadeu Bianconi
Compilação: Walter de Aguiar Filho, setembro/2020

Monumentos

Ruínas dos Jesuítas

Ruínas dos Jesuítas

As ruínas estão localizadas onde era a grande Fazenda Araçatiba, que se estendia da primeira cachoeira do Rio Jucu, em Viana até a foz na Barra do Jucu, chegando na Ponta da Fruta

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Teatro Carlos Gomes

Principal teatro de Vitória, o Carlos Gomes foi inaugurado a 5 de janeiro de 1927, com a peça Verde e Amarelo, de Patrocínio Filho, representada pela Companhia Tan-Tan

Ver Artigo
Praça Costa Pereira

"A Praça Costa Pereira é o lugar ideal para refletir a cidade, a vida. Não sei, se são as árvores, talvez, o barulho dos passarinhos". Márcia Gáudio, atriz

Ver Artigo
Praça Oito de Setembro

O cronista Eugênio Sette, dizia que "... a Praça Oito parece uma mulher dama muito vivida, muito experimentada, que não arrepia carreira, nem se encabula com uma piada mais grosseira. Já viu tudo. E, por isso, aguenta firme, consciente do seu papel."

Ver Artigo
Praça João Clímaco

Localizada em frente ao Palácio Anchieta, a Praça João Clímaco, ex-praça Afonso Brás, foi durante três séculos chamada ora como largo do Colégio, ora largo Afonso Brás

Ver Artigo