Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Pereira Pinto (desaparecida) – Por Elmo Elton

Rua Pereira Pinto

Situava-se onde foi construída a Praça Costa Pereira. Rua antiga, com algum movimento, os prédios datando do final do século XVIII. Quando a cidade ainda não contava com a Avenida Jerônimo Monteiro, aí se reuniam os foliões carnavalescos, assim como nas ruas do Rosário e São Francisco. Esses carnavalescos eram, na maioria, pessoas de má fama, incluindo também caramurus e peroás, que, aproveitando os três dias momescos, se desforravam uns contra os outros, sendo que tal procedimento vinha de longe, visto que, em 1857, à época do entrudo, a Câmara de Vitória tomou medidas enérgicas contra tais indivíduos, mandando apreender os limões e as laranjas de cera, onde os menos escrupulosos colocavam urina em lugar de perfume, provocando com isso muitas arruaças, brigas sérias, tantos os alvejados com seus "jatos de mijo".

A Pereira Pinto, de casario pobre e vexatório, tal como as demais vielas que se amontoavam em derredor do antigo largo da Conceição, desapareceu mediante providências tomadas no governo de Nestor Gomes.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2017

Bairros e Ruas

Praça Costa Pereira – Por Serafim Derenzi

Praça Costa Pereira – Por Serafim Derenzi

Em 1922, o Prefeito Dr. Pereira Lima, mudou-lhe o nome para "Praça da Independência". Não logrou popularidade. Voltou ao apelido atual

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Centro de Vitória

Palco de batalhas ferrenhas contra corsários invasores, espaço para peladas de futebol da garotada, de footings de sábados e domingos, praças, ladeiras e ruas antigas curtas e apertadas, espremidas contra os morros — assim é o Centro de Vitória

Ver Artigo
Ruas de Vitória

Somente em 1908, sob o governo Jerônimo Monteiro, Vitória inicia sua fase de urbanização

Ver Artigo
Escadaria Maria Ortiz

Ao tentar alcançar a parte alta da vila, subindo estreita rampa, conhecida como ladeira do Pelourinho, os corsários foram surpreendidos pela jovem Maria Ortiz

Ver Artigo
Praça João Clímaco (ex-praça Afonso Brás) – Por Elmo Elton

Em 1910, Jerônimo Monteiro, quando o logradouro tinha o terreno inclinado, para aplainá-lo, construiu-se um muro de arrimo, coroado por balaustrada, fronteiro à atual Rua Nestor Gomes

Ver Artigo
Como nasceu a Vitória – Por Areobaldo Lellis

Circundada por montanhas desabitadas, os seus extremos eram ligados, a partir das Pedreiras, hoje Barão Monjardim

Ver Artigo