Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Literatura e Crônicas

Na Rua da Lama - Por Mário Gurgel

Na Rua da Lama - Por Mário Gurgel

Fomos procurar lá para os lados da Engenharia, no último domingo pela tarde, uma velha conhecida nossa da Ilha do Príncipe

O Incêndio do Mercado da Vila Rubim, 1994

O Incêndio do Mercado da Vila Rubim, 1994

Uma explosão de pelo menos 60 toneladas de fogos de artifício provocou um dia de pânico, morte e destruição na cidade

Vitória Cidade Presépio – Por Ester Abreu

Vitória Cidade Presépio – Por Ester Abreu

Logo, nele pode existir povo, cidade e tudo o que haja mister para a realização do sonho do artista

Regressos – Por Sônia Bonzi

Regressos – Por Sônia Bonzi

Em outros lugares, tudo é morno, sob controle. Nenhum excesso ou vibração delirante.

Guananira, a ilha doce - Por Samuel Duarte

Guananira, a ilha doce - Por Samuel Duarte

Apenas o seu vizinho Penedo, do outro lado da ria, continua o mesmo de sempre

O galo matou a onça – Por Hermógenes Lima Fonseca

O galo matou a onça – Por Hermógenes Lima Fonseca

No quarto crescente, dando para a lua cheia, é noite de ouvir estórias de véio Isidoro

Leitura e Ideologia - Por Francisco Aurélio Ribeiro

Leitura e Ideologia - Por Francisco Aurélio Ribeiro

O homem é linguagem e o mundo, um livro

O travesti como personagem - Literatura do Espírito Santo, uma marginalidade periférica

O travesti como personagem - Literatura do Espírito Santo, uma marginalidade periférica

Algumas obras literárias escritas no Espírito Santo, nos últimos quinze anos, retratam a figura do travesti, em diferentes momentos

Do meio da Noite - Por Mário Gurgel

Do meio da Noite - Por Mário Gurgel

O Secretário de Saúde providenciou o internamento da mulher no Hospital da Ilha da Pólvora

A visão do negro na literatura do Espírito Santo - Por Francisco Aurélio Ribeiro

A visão do negro na literatura do Espírito Santo - Por Francisco Aurélio Ribeiro

O negro vem a ser, por isso, apesar de todas as vicissitudes que enfrenta, o componente mais criativo da cultura brasileira e aquele que, junto com os índios, mais singulariza o nosso povo. *