Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1774 - Por Basílio Daemon

Ladeira das Sete Voltas, monumento construído em 1774

1774. Neste ano são feitas no Convento da Penha grandes obras, dando-se maiores dimensões ao convento, reconstruindo-se a casa chamada dos peregrinos e do banquete, fazendo-se o calçamento da ladeira das sete voltas, construindo-se a Capela do Senhor do Bom Jesus e os muros ao lado da mesma ladeira. Foi nesta época que se pôs aquele convento e suas dependências no estado em que hoje se acham, parecendo só terem-se concluído aquelas obras dois anos depois.(285)

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2019

 

Convento da Penha

Frei Pedro Palácios - Predestinação

Frei Pedro Palácios - Predestinação

Foi assim que, no ano de 1558, desembarcando no porto de Vila Velha, pisou Pedro Palácios as terras capixabas

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Convento da Penha – Por Maria Stella de Novaes

Peregrino, contempla o augusto monumento  da terra capixaba. Ali, vive a rezar, em hosanas de glória, ou rudez do tormento, o coração de um povo!

Ver Artigo
Visão dos Holandeses (Poesia) - Por Orminda Escobar Gomes

De além se divisava a linda capelinha, /Erguida sobre a rocha. Esplêndida moldura /O céu azul turquesa... Excêntrica, a estrutura /Do monte-matagal a florescer... Na linha

Ver Artigo
Radiosa - Por Orminda Escobar Gomes

Vitória, és joia rara! /Realças entre as demais! /Teus campos e tuas praias, /Tão lindas, não têm rivais!

Ver Artigo
Cerração (Poesia) - Convento da Penha

Um dia esplendoroso. O sol quente, escaldante / Suave azul do céu. O esmeraldino mar / Oscula, brandamente, a praia. Singular / Beleza e alacridade em torno... Mas, distante...

Ver Artigo
Terremoto em Vitória e em Vila Velha (Poesia) - Por Orminda Escobar Gomes

Agosto. Quase findo, o seu primeiro dia. / Dezoito século... Sim!... Sessenta e sete ou nove?! / Das lides descansando, a gente adormecia...

Ver Artigo