Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Casas antigas guardam histórias e mistérios (2ª parte)

Ladeira Wilson Freitas e ao fundo o Casarão dos Neffa - Fonte: Arquivo Público do ES

Ele estava de costas, mas algo parecia vigiá-lo por trás. Janela bateu com o vento e o susto foi o bastante para o vigilante Wanderlício da Costa disparar em direção ao portão. “Às vezes fico angustiado pensando como a velha sofreu aqui, olho para o sótão e me dá arrepios”, fala. A mesma impressão de que, alguém a está vigiando persegue Jocimara da Silva Santos. Mas, o possível fantasma tem agora outro endereço: ladeira Wilson Freitas, número 300, antigo castelinho que pertence a outra tradicional família capixaba, os Neffa.

Na porta da antiga casa, grossos cadeados e um ranger que causa frio na espinha. As janelas estão caindo ou já nem existem mais. Escadas em caracol mostram caminhos tortuosos de histórias que se escondem atrás do mofo, teias de aranha, caminhos de cupins e morcegos. O cenário também é perfeito para um filme de terror e já não é mais habitado. Jocimara mora com o marido e mais duas famílias em um anexo da casa, que está conservado, com permissão da família Neffa. Ela e a cunhada, Ana Paula Botelho Pinheiro, contam que alguns dizem ver o vulto de um velho, antigo no local. Para Jocimara, pesadelo mesmo foi quando o marido, em uma brincadeira mais que sem graça, a trancou dentro de casa. “Quase desmaiei de medo”, revela.

Ao lado da casa dos Neffa, mais mistério e dúvidas. É a casa da família Vivacqua, onde mora o alemão Gunter Lemebke, que foi casado com uma das filhas do patriarca e hoje vive no local com o filho e a nova esposa. A imponente e sinistra casa ainda pode ser vista da Avenida Jerônimo Monteiro, em um caminho sinuoso que lembra aquelas casas de filmes de terror no topo da montanha. Gunter parece um homem exótico e não permite a entrada na casa porque cinco ferozes cães poderiam “estranhar” gente nova. O dono, que as vizinhas Jocimara e Ana Paula classificam como “estranho”, diz ter no preto velho sua proteção contra os “fantasmas”, misturando o ceticismo alemão e a crendice de umbanda e candomblé.

E parece que o mistério da antiga casa, que junto com o castelinho dos Neffa foi construída no início de século, continuará ainda por muitos anos indecifrável. Na placa de entrada diz: “cuidado com 310 cães”, E por mais que o aviso tenha se confundido com o número da residência, o visitante pressente que é preciso manter distância. Afianal, mesmo que o vulto seja de um cão bravio, fica difícil de controlar a imaginação humana.

 

Fonte: Jornal A GAZETA de 05/11/1999
Pesquisa: Casa da Memória do ES
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2011

 

LINK RELACIONADO:

>> Casas antigas guardam histórias e mistérios (1ª parte)




GALERIA:

📷
📷


Variedades

Personagens Originais - Por Areobaldo Lellis Horta

Personagens Originais - Por Areobaldo Lellis Horta

Éramos, nós, eu, meu pai e meu irmão, os seus companheiros de pescaria na Barrinha, fronteiro ao Monte Moreno

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

UMA FEIRA, COM AMOR - Por Luiz Sérgio Quarto

Vá, mesmo que não tenha vivido no interior. Mas vá com a seguinte condição: a de expor o seu interior. Feito isso, será bem-vindo. Ou melhor: festejado

Ver Artigo
Cienfuegos no bar do Valfredo na Vila Rubim - Por Gilson Soares

O relógio na parede do Bar da Vila marcava meio-dia. Era a hora. O bando de bêbados inventou de enumerar em coro, sob a batuta de Cienfuegos, as batidas do velho relógio 

Ver Artigo
Bananas, Curiós e Peroás - Por Marien Calixte

Ali chegavam as canoas vindas de Caçaroca, Jucu, Tanque, Cariacica, via rio Marinho. Também vinham do rio Santa Maria.

Ver Artigo
Bota Muito - Por Cariê Lindenberg

Era um ritual quase religioso: frequentar o botequim do mercado da Vila Rubim apelidado pelo pessoal de, "Bota Muito", por razões que acredito óbvias

Ver Artigo
Frases de Caminhão - Por Eurípedes Queiroz do Valle

As 10 mais espirituosas Frase de Caminhão do Espírito Santo, 1971

Ver Artigo