Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Fotopintura

Fotopintura e Post Dard (Santa Teresa/ES), ca.1935. Acervo: Irene P. Bomfim - Fotógrafo: Acrysio Bomfim

A fotopintura é um recurso utilizado para introduzir um elemento vivificador nos retratos. Em Santa Teresa, quem começou a fazer esse estilo foi Acrysio Bomfim, no ano de 1935, numa foto colorida de uma criança.[1]

Os fotógrafos estrangeiros viajantes influenciaram a cultura no Espírito Santo e os italianos trouxeram a sua arte. Há traços onde usaram tintas ou até giz para colorir, passando de fotografia para pintura. Incansáveis eram nossos fotógrafos, que andavam a cavalo, a pé, subindo morros em várias regiões do interior.

O fotógrafo T.I. Armand usava recursos, como retoques coloridos e acabamentos artísticos, configurando sua marca. Fotógrafo requintado, ele era mais contratado por famílias de maior status de pelo Governo para fotografar pessoas que vinham para missões estrangeiras.

No início do século XX, ampliaram-se os ateliês em Santa Teresa e os retratos da sociedade teresense, considerando-se a situação econômica favorável. Era o auge do café, o comércio estava movimejtado pela sua exportação e compravam-se produtos finos vindos da Europa para comercialização. Esse período trouxe progresso não só para os produtores de café, mas também para os agricultores que se dedicavam ao plantio de uva e de outros produtos agrícolas. Também foi notável o desenvolvimento pecuarista. O imigrante vivia uma nova situação financeira e todos podiam ser retratados em família, nas ruas, nas festas, no futebol e nos carnavais. Os que foram estudar no Rio de Janeiro, Niterói, São Paulo e Belo Horizonte, filhos de pessoas com melhores condições econômicas, quando retornavam a Santa Teresa, fotagrafavam os amigos e parentes.

Alguns fatores influenciaram para o fim dos ateliês: o uso de fotografia 3x4 para ducumentos, os lambe-lambes e as fotografias instantâneas de grupos musicais, de futebol e do carnaval. A popularização da fotografia foi intensificada a partir de 1935, quando os retratos eram tirados mais ao ar livre e de acordo com o gosto de cada um.

[1] Depoimento a autora do livro de Irene P. Bomfim e seu filho Drasto Bomfim, que por sua vezs, é neto de Acrysio Bomfim, em 2007

 

Fonte: Santa Teresa – Viagem no Tempo (1873/2008)
Autora: Sandra Gasparini
Compilação:  Walter de Aguiar Filho, maio/2011

Curiosidades

Lembranças, Presentes e Souvenires do ES - Os 10 mais curiosos (1971)

Lembranças, Presentes e Souvenires do ES - Os 10 mais curiosos (1971)

Biscoitos Alcobaça.  São produtos da Fábrica Alcobaça, de propriedade da firma “Rami­ro S.A. Indústria e Comércio”, instalada no Município de Espírito Santo (Vila Velha), com depósitos em Vitória

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Praias - As 10 mais frequentadas por Eurípedes Queiroz do Valle

Iriri. Deriva de reri ou riri, ostras, mariscos que se encontra em toda costa espírito-santense. Irirí vem a ser portanto local onde há abundância de ostras

Ver Artigo
O Liceu: uma fábrica que virou escola - Por Gabriel Bittencourt

Assim nasceu o Liceu, no prédio da fábrica de papéis, na rua Moreira nº 170, depois do desmonte e alienação do maquinário daquele empreendimento industrial

Ver Artigo
Barra do Jucu – Por Seu Dedê

No ano de 1886, administrada pelo doutor Antônio Athayde, foram feitos os reparos, sendo a obra dividida em três lances unidos por um aterro

Ver Artigo
Lembranças, Presentes e Souvenires do ES - Os 10 mais curiosos (1971)

Biscoitos Alcobaça.  São produtos da Fábrica Alcobaça, de propriedade da firma “Rami­ro S.A. Indústria e Comércio”, instalada no Município de Espírito Santo (Vila Velha), com depósitos em Vitória

Ver Artigo
Características Naturais do Espírito-Santense - Por Eurípedes Queiroz do Valle

1) A saudação. Trata-se de uma exclamação de cunho amistoso, usada para saudar amigos e conhecidos. É representada por um “Ei!” pronunciado com uma en­tonação especial de voz

Ver Artigo