Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Telégrafos e correios – Campanha do Paraguai

Um forte para defender a ilha ocupava esta área até 1841. O mercado, construído em 1871, é demolido em 1926 para dar lugar aos correios. - Acervo José Tatagiba

Exigindo comunicações rápidas entre as forças em operações e a Corte – atrasou de alguns anos a chegada dos fios telegráficos ao Espírito Santo.(57) Só a dezenove de fevereiro de 1874 foi inaugurada a estação de Vitória, e ligada a Capital com Itapemirim, Campos e Rio de Janeiro.(58)

Os correios, em 1861, possuíam dez agências distribuídas por diferentes localidades, além da estação central – em Vitória.(59) Sete estafetas e um correio a cavalo – este no serviço entre a Capital e o rio Doce – cuidavam do transporte da correspondência.

As malas postais provindas de outras províncias e do estrangeiro ou destinadas ao exterior eram conduzidas em vapores.(60)

 

Iluminação – Farol da barra de Vitória – A iluminação a óleo de peixe, adotada nas ruas de Vitória desde os tempos da colônia, foi substituída – em 1865 – por lampiões a querosene.(61) Estes, por sua vez – a primeiro de março de 1879 – deram lugar a bicos de gás, festivamente recebidos.(62) Outro melhoramento que muito beneficiou a cidade-capital foi o farol de sua barra, inaugurado a sete de setembro de 1870.(63)

 

NOTAS

(57) - “Deviam os trabalhos prosseguir para o norte (os fios já haviam alcançado Cabo Frio), vindo, porém, a campanha do Paraguai modificar essa orientação. A necessidade que havia de se transmitirem com presteza à Província do Rio Grande do Sul as ordens do Governo relativas às operações militares e a ansiedade com que eram aguardadas as notícias do teatro da guerra, determinaram a resolução de se estender o fio elétrico até Porto Alegre” (Memória Histórica, 30).

(58) - Houve um belo movimento na província para auxiliar o Governo na extensão das linhas. Assim é que numerosos fazendeiros ofereceram os postes necessários à travessia do território provincial e o povo em geral concorreu com donativos em dinheiro para atender à aquisição de material etc. (Relatório lido no Paço da Assembléia Legislativa da província do Espírito Santo pelo presidente o exmo. sr. dr. Francisco Correia na sessão ordinária do ano de 1871 – Vitória – 1872).

(59) - Relatório apresentado à Assembléia Legislativa Provincial do Espírito Santo no dia da abertura da sessão ordinária de 1882 pelo presidente José Fernandes da Costa Pereira Júnior – Vitória –1862.

(60) - Relatório de 1871, já citado.

(61) - Foram contratantes do serviço os comerciantes Adrião Nunes Pereira e Francisco Rodrigues Pereira (DAEMON, Prov ES, 372).

(62) - O ato de inauguração do serviço foi assistido pelo vice-presidente tenentecoronel Alfeu Monjardim, mais tarde barão de Monjardim. Manuel da Costa Madeira era o contratante. BASÍLIO DAEMON informa que, simultaneamente com a iluminação das ruas, foi inaugurado o serviço para as casas particulares da Capital – o que perdurou até os primeiros anos da República.

Os lampiões da iluminação pública das ruas não eram acesos nas noites de luar.

Com o gás, o serviço passou a ser “feito em todas as noites, mesmo nas de luar” (Relatório com que o exmo. sr. dr. Afonso Peixoto de Abreu Lima passou a administração da província do Espírito Santo ao exmo. sr. tenente-coronel Alfeu Adelfo Monjardim de Andrade e Almeida, primeiro vice-presidente – Vitória – 1878).

(63) - Relatório de 1871, já citado.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, novembro/2017

História do ES

A Revolução gera o PSD

A Revolução gera o PSD

A maior parte das antigas forças políticas de Jerônimo fundou o Partido Social Democrático do Espírito Santo, o PSD – o primeiro no país com esse nome

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Juízes de direito na Província do Espírito Santo

Reunimos, pois, sob a forma de uma sinopse, aquilo que pode demonstrar à evidência a província do Espírito Santo, baseando assim em documentos e em trabalhos de própria lavra e que aqui descrevemos

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
O Espírito Santo na 1ª História do Brasil

Pero de Magalhães de Gândavo, autor da 1ª História do Brasil, em português, impressa em Lisboa, no ano de 1576

Ver Artigo
Dia do Capixabismo – Por Francisco Aurélio Ribeiro

O dia de hoje deveria ser feriado estadual e não apenas municipal. O capixaba tem baixa auto-estima e pouco sabe de sua história e de sua cultura

Ver Artigo
Mês da Colonização do Solo Espírito-Santense

O site Morro do Moreno irá publicar matérias especiais sobre a Colonização do Solo Espírito Santense, comemorado em 23 de maio

Ver Artigo