Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Serra da Arrábida - Frei Agostinho da Cruz, OFM

Frei Pedro Palácios

O poeta místico Frei Agostinho da Cruz viveu e inspirou-se no eremitério da Arrábida, em Portugal, como contemporâneo de Frei Pedro Palácios. O soneto abaixo descobre o segredo porque Frei Palácios escolheu o morro da Penha para nele prosseguir a vida contemplativa aprendida na Serra da Arrábida. Pois, aqui, no Espírito Santo, achara outra Arrábida que favorecesse o recolhimento, a oração e a união com o Criador. Eis o soneto:

Do meio desta Serra derramado

A saudosa vista nas salgadas

Águas, humildes, quando e quando inchadas,

Conforme a qual o vento vai soprando (1),

 

Estou comigo só considerando,

Donde foram parar cousas passadas,

E donde irão presentes mal fundadas,

Que pelo menos passos vão passando.

 

Oh, qual se representa nesta parte

Aquela derradeira hora da vida,

Tão devida, tão certa e tão incerta!?

 

Em quantas tristes partes se reparte,

Dentro nesta alma minha entristecida,

A dor, que tem tais extremos me desperta (2),!?

 

NOTAS

1 – Alguns manuscritos dizem em vez de “vento”, “tempo” parecendo mais correto “vento”.

2 – O soneto acha-se em Maria de Lourdes Belchir “Os Homens e os Livros” (séculos XVI e XVII), Lisboa 1971 pág. 63.

 

Fonte: Antologia do Convento da Penha, ano 1974
Autor: Frei Venâncio Willeke O. F. M.
Compilação: Walter de Aguiar Filho, setembro/2015

Convento da Penha

Milagres da Penha - Os soldados da Virgem

Milagres da Penha - Os soldados da Virgem

Foi em 1640, por ocasião da segunda invasão os holandeses na então capitania do Espírito Santo

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Carta de Pe. Anchieta sobre Frei Pedro Palácios

Ao pé do Convento fez uma casinha pequenina à honra de São Francisco, na qual morreu com mostras de muita santidade

Ver Artigo
Frei Vicente do Salvador , O.F.M. e a Penha do Espírito Santo

Há muito bom açúcar e algodão, gado vacum, e tanto mantimento que lhe chamava o mesmo Vasco Fernandes o meu vilão farto

Ver Artigo
O Pregador do Evangelho – Por Frei Antônio de Sta. Maria Jaboatão, OFM

Frei Antônio de Sta. Maria Jaboatão, OFM (1695-1779), compôs a sua famosa obra NOVO ORBE SERÁFICO BRASÍLICO, em meados do século XVIII

Ver Artigo
O Penitente Frei Palácios – Por Frei Manuel da Ilha, OFM

Tendo recebido do menino a vela acessa, ajoelhou-se na sua sela perante o altar do Pai São Francisco que lá se achava construída

Ver Artigo
As maravilhas da Penha – Por Joaquim José Gomes da Silva Neto

A imagem de Nossa Senhora da Penha, encomendada por Frei Pedro Palácios em Portugal e inaugurada em 1570

Ver Artigo
Um autor corrige outro – Por Frei Apolinário da Conceição, OFM

Nascido em Lisboa a 23 de julho de 1692, emigrou com a família para o Brasil, onde tomou o burel seráfico aos 3 de setembro de 1711

Ver Artigo
Pe. Jorge Cardoso trata de Frei Palácios

Pe. Jorge Cardoso (1606-1669), dedicou-se publicando a sua imortal obra “Agiológio Lusitano dos Santos e varões ilustres em virtude do reino de Portugal e suas conquistas.”

Ver Artigo
Jesuítas em Romaria à Penha – Por Pe. Fernão Cardim, S.J.

Acompanhado de alguns confrades, o Pe. Fernão Cardim, S.J subiu à Penha aos 30 de novembro de 1584, relatando suas impressões

Ver Artigo