Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Iluminação das ruas de Vitória no século XIX

Vitória no século XIX - Acervo: Carlos Henrique Gobbi

A primeira notícia sobre a iluminação das ruas de Vitória vem-nos através do orçamento de 1832, em que se consigna a verba de 600$000, por ano, para iluminação. José Tomás de Araújo,em 1937, inaugura esse serviço com 40 lampiões a azeite de peixe, distribuídos principalmente pelas esquinas e edifícios públicos. O custeio e a fiscalização foram postos em hasta pública e arrematados por Manoel Felix Maia a 4$550 por foco, mensalmente. Em 1865 substitui-se o azeite pelo querosene, já com outros contratantes. Em 1879, o futuro Barão de Monjardim, em exercício de Presidente, inaugura a iluminação a gás, e agora, o concessionário é Manuel da Costa Madeira, estendendo o benefício a várias residências. No começo da escadaria de acesso à igreja do Rosário, viam-se até pouco tempo passado, ainda, arcos de gambiarra desse sistema de iluminação. O gasômetro ficava na antiga Rua Cristóvão Colombo. Do gás, passou-se ao querosene e desse, à eletricidade.

 

Fonte: Biografia de uma Ilha, 1965
Autor: Luiz Serafim Derenzi
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2012 

Bairros e Ruas

Tributo a Jacaraípe

Tributo a Jacaraípe

No começo dos anos 1900, no povoado de pescadores e aprazível balneário, de praias extensas, a família de João Dalmácio Castello desfrutava, em Jacaraípe, os momentos de lazer

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Primeiros moradores do Farol de Santa Luzia

Os primeiros moradores da região do Farol de Santa Luzia, na Praia da Costa, Vila Velha, foram...

Ver Artigo
Rua Dois de Dezembro (ex-rua do Beco) – Por Elmo Elton

Tinha começo em frente à Loja Maçônica Ordem e Progresso, onde se construíra um chafariz, e terminava no largo da Matriz, quase paralela à José Marcelino

Ver Artigo
Rua Cristóvão Colombo (desaparecida) – Por Elmo Elton

Da antiga Cristóvão Colombo resta um trechinho de nada, ao lado da Barão de Monjardim, sendo que uma escadaria, ao término da extinta rua, tem, agora, o nome do descobridor. A escadaria, estreita, em rampa íngreme, dá subida para o morro do Vigia

Ver Artigo
Movimento que desenha a cidade – Jardim da Penha

Desse modo, são menos comuns os movimentos urbanos que refletem sobre a qualidade da paisagem urbana, o desenho, o volume das construções

Ver Artigo
Escadaria Maria Ortiz (ex-ladeira do Pelourinho) – Por Elmo Elton

Maria Ortiz era filha de Juan Orty y Ortiz e Carolina Darico, nasceu em Vitória em 1603, tendo falecido na vila em 1646

Ver Artigo