Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Imigrantes Holandeses

Santa Leopoldina, 1876

Os holandeses chegaram por volta de 1858 e vieram atraídos pela oferta de terras em Santa Leopoldina. A princípio, eram cerca de 215 lavradores. Eles imaginaram uma terra de riquezas e muitas facilidades. Haviam deixado o sul da Holanda onde as condições de trabalho estavam bastante difíceis. Mas a ajuda financeira para desenvolver seus trabalhos acontecia de maneira irregular, às vezes faltosa. O governo brasileiro não pôde, na verdade, cumprir com muitos dos projetos prometidos.

Aos holandeses foram destinados terrenos próximos aos tiroleses (Município de Santa Leopoldina e arredores), terrenos esses cobertos de matas virgens. Interessante observar que, para montar suas propriedades, eles adotaram um modelo em círculo: montavam suas casas na confluência do círculo, numa tentativa de fazer as famílias ficarem bem próximas umas das outras, protegendo-se dessa maneira, dos bichos das matas tropicais. Faziam a derrubada dessas matas de maneira que elas obedecessem ao mesmo ritmo, com o objetivo de que os terrenos fossem sendo abertos de forma semelhante. Organizavam-se em mutirões para realização das tarefas. A falta de recursos os obrigou a aceitar empregos nas fazendas da região, substituindo os escravos libertos.

Para chegar ao local de trabalho, empreendiam verdadeiras caminhadas mata adentro. Às vezes, levavam metade do dia pra chegar ao destino. E que perigos enfrentavam! Cobras, insetos e até onças pintadas.

Além da dificuldade de comunicação, pois o dialeto usado não era entendido, a religião calvinista também apresentava sério obstáculo.

Os colonos tentaram, de toda maneira, conseguir um pastor calvinista. Acabaram por adotar a religião predominante na região, que era o luteranismo. Na igreja, todos cantavam em alemão. Foi também uma forma de integração com os demais imigrantes e brasileiros.

Os holandeses hoje se encontram espalhados pelo Município de Santa Leopoldina e muitos vieram para a Grande Vitória. Outros se dirigiram para o norte do Estado.

São prósperos homens de negócios, perfeitamente integrados ao Brasil e ao Espírito Santo.

 

Fonte: Espírito Santo - História de suas Lutas e Conquistas
Autora: Neida Lúcia Moraes
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2013

 

LINKS RELACIONADOS:

 Imigração no ES
 1625: os holandeses invadem o ES 
 Imigrantes Libaneses 
 Pomeranos
 Poloneses no ES 

Imigração no ES

Fotógrafo Cilmar Franceschetto pesquisa comunidade italiana

Fotógrafo Cilmar Franceschetto pesquisa comunidade italiana

A beleza do biótipo de influência italiana é tema permanente no trabalho de antropologia visual de Cilmar Franceschetto

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Imigrantes Italianos – Venda Nova dos Imigrantes

A classe operária não tinha perspectivas de melhoria se continuasse a viver na Itália. Sabe-se que diversas famílias que colonizaram Venda Nova (Falqueto, Caliman e Zandonadi). A vinda para a América os fascinava.

Ver Artigo
Colonização Polonesa no ES

Com a construção da ponte sobre o Rio Doce, em Colatina, uma das soluções encontradas pelo Governo Estadual foi fomentar a imigração para povoar aquela região

Ver Artigo
Emigrantes Portugueses de Origem Judaica - Ester Abreu

A autora fala a respeito das diásporas judaicas, os percalços desse povo para conservar seu estilo de vida e religião e da presença desse povo no Espírito Santo, oriundos de Portugal

Ver Artigo
Fotógrafo Cilmar Franceschetto pesquisa comunidade italiana

A beleza do biótipo de influência italiana é tema permanente no trabalho de antropologia visual de Cilmar Franceschetto

Ver Artigo
Imigrantes deixaram portugueses para trás

Na opinião de Renato Pacheco, lusos perderam o bonde da história e foram suplantados por uma cultura mais forte, que fez o desenvolvimento do Estado

Ver Artigo