Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Lendas e milagres do Convento da Penha - 2ª parte

O SINO E O FRADE - Certa vez, um frade aceitou o desafio de alguém para subir o monte à meia-noite, tanger o sino da torre da igreja. Assim o fez; mas, notaram os vilavelhenses que, ao tanger o sino lá em cima, ouviram o som no momento exato em que o frade já aparecia, em baixo, de regresso. Milagre... ou excesso de medo, fazendo-o correr à velocidade do som?...

PROMESSA - Em 1837, Gomes Neto testemunhou a Exma. senhora do então Governador da Província, José Tomás Nabuco de Araújo, delicada e franzina, subir, com os pés descalços, a íngreme ladeira da Penha, em piedosa promessa, levando, na mão direita, preciosa esmola.

IA COMER OS FEIJÕES DE NOSSA SENHORA - Oito anos depois, em 1845, o mesmo Gomes Neto presenciou a subida de outro devoto pela histórica ladeira, - mas este era um clérigo mineiro de estranha devoção, forte e muito bem calçado, com fortes sapatões, de mãos limpas, sem nenhuma esmola para a Santa ou para o Convento. Dizia ele que havia feito promessa de "ir comer os feijões de Nossa Senhora". Aboletou-se na casa dos romeiros, por muitos dias, e foi com dificuldade que conseguiram se ver livres de tão devoto comensal.

A ESMOLA E A CHARLATÃ - Estávamos no Santuário da Penha, agora, em pleno agosto de 1945, quando se acercou de nós um modesto homem do interior, perguntando qual era o altar de Nosso Senhor dos Passos. Indicamo-lho e ele nos disse que havia feito promessa de colocar certa importância aos seus pés. Ao mesmo tempo que nos falava, ia desenrolando vasto lenço e dele tirando Cr$ 15,00 para colocar aos pés da imagem.

Aconselhamo-lo a deixar a importância no cofre do Santuário. Dali, certamente, seria recolhida e aplicada de modo conveniente. Assim fez o devoto homem, mas, antes de o fazer, contou-nos que uma senhora, aboletada nas proximidades do Convento, lhe aconselhara que rezasse aos pés do Senhor dos Passos e, durante a prece, deixassse aos seus pés a esmola, mas ao terminar, retirasse o dinheiro e lho entregasse que ela lhe daria destino...

Livro: O Convento da Penha
De: Norbertino Bahiense (1951).

Convento da Penha

Da Carta de Anchieta de 1584 – Por Norbertino Bahiense

Da Carta de Anchieta de 1584 – Por Norbertino Bahiense

As CARTAS JESUÍTICAS constituem fontes preciosas da história do Brasil nascente. Entre elas, vamos buscar uma de Anchieta, do ano de 1584

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Os Ataques dos Franceses, Ingleses e Holandeses

O corsário, como todos os outros que ousaram transpor a barra sobre a qual se estende a sombra do Convento da Penha, não foi feliz

Ver Artigo
Pedro Palácios – Por Norbertino Bahiense

Em 1864, Frei Teotônio de Santa Humiliana, o último guardião do Convento, mandou colocar na gruta a seguinte lápide

Ver Artigo
Da Carta de Anchieta de 1584 – Por Norbertino Bahiense

As CARTAS JESUÍTICAS constituem fontes preciosas da história do Brasil nascente. Entre elas, vamos buscar uma de Anchieta, do ano de 1584

Ver Artigo
Escritura do Convento da Penha - Por Norbertino Bahiense

Carta de doação da Governadora Luisa Grinalda e seu adjunto o Capitão Miguel de Azeredo, desta Capitania do Espírito Santo, em 1591

Ver Artigo
Pedro Palácios, o São Francisco de Assis do Brasil

Fundador do santuário de Nossa Senhora da Penha, seu nome recorda as doces figuras dos ermitões de outrora

Ver Artigo