Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Muqui

Casarão em Muqui, foto abril de 2013

A charmosa cidade do sul do Espírito Santo é um atrativo para quem gosta de história, cultura e hospitalidade. 
Seus 13 mil habitantes devem se orgulhar da bucólica e bela cidadezinha onde moram. Orgulhar e preservar, já que Muqui possui o maior sítio histórico do estado: são 170 imóveis tombados do início do século XX, uma bela representação do poder da economia cafeeira. Independente disso, é gratificante ver que a população parece ciente da importância daqueles imóveis - muitas vezes não basta o tombamento, é fundamental que haja conscientização do valor daqueles espaços.

Coloridos, os casarões são ornamentados com detalhes preciosos - desde maçanetas de porcelana a tetos minuciosamente talhados - que parecem disputar quem apresenta maior ostentação.

A cidade nasceu no fim do século XIX, mas com o século XX chegou a estrada de ferro, o que foi sinônimo de crescimento. Típica cidade do café nos anos 20 e 30, enfrentou uma certa decadência econômica na década de 50, que resultou também numa transformação arquitetônica, com estilos mais modernos sendo implementados aos poucos.

Muqui possui muita história: A cidade foi construída pela economia cafeeira e cresceu pela “ordem dos trilhos do trem”, já que por ele era escoada a produção cafeeira do sul do estado. O colégio de Muqui, construído por Dirceu Cardoso, foi na década de 50 o principal colégio do Brasil. Mais tarde, por questões políticas, foi demolido e hoje é tombado como sítio histórico arquitetônico. O aeroporto; o clube do carro; o parque das lavadeiras - o primeiro do Brasil - entre outras que vale a pena descobrir.

Em ruas estreitas, já que Muqui possui 100 anos e ainda mantém a mesma urbanização, carros disputam espaços, enquanto o trem, majestoso, não se preocupa com isso, corta a cidade como no início do século passado. O trilho é dele, a rua também. Essa mesma rua, a principal do sítio histórico, também é cortada por outra peculiaridade de Muqui, são os grupos de Folias de Reis, o maior encontro do gênero do Brasil, que acontece sempre em abril.Outra atração da cidade é o seu Carnaval de Bois - o mais folclórico do estado - em que, ao som da bateria, bonecos de bois são guiados pelos espadeiros e pulam e rodam ao som da frenética batucada. Mágico, envolvente.

Onde fica?

Muqui fica bem perto de Cachoeiro do Itapemirim, ao sul do Espírito Santo. Vindo de Vitória, são cerca de três horas de viagem. Até hoje existe a malha ferroviária, mas ela é usada apenas para transporte de carga. Uma pena. A bela e simples estação tem pinta de ter testemunhado muitas chegadas e partidas emocionantes.

Por que ir?

A variedade de belos casarões é um dos principais motivos. O jardim da praça foi rearrumado em 2003 e a Igreja Matriz, de estilo eclético, também chama atenção. 

Quando ir?

Em qualquer época. Mas se quiser conferir a Folia de Reis, tradição que é forte na cidade, o melhor período é entre o dia de Natal é 6 de janeiro.

 

Fontes: azulerosa.wordpress.com e www.overmundo.com.br



GALERIA:

📷
📷


Cidades do ES

Pedra Menina

Pedra Menina

Como muitas regiões do Caparaó capixaba, o distrito de Pedra Menina não foge à regra. O nome do lugar é esse por conta de uma lenda indígena da região. Os moradores juram que as montanhas que contornam o pequeno lugarejo tem o formato de uma menina deitada. 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Iconha surge de Benevente - Por Luciana Maximo

Era um pequeno povoado, com casas muito simples, feitas de madeira, onde é Piúma, haviam mais pessoas

Ver Artigo
Iconha

O Município de Iconha, localizado na BR 101, região de montanha do ES, teve início nas povoações de Piúma, no vale do rio Orobó, fundadas pelo Padre José de Anchieta

Ver Artigo
Iconha - Crônica de Rubem Braga (1951)

Mas Iconha me encanta pelo seu milagre pastoril. A pracinha é dominada por um morro alto, muito verde, cortado diante de nós por um talude de terra vermelha

Ver Artigo
A política e o coronelismo em Iconha - Por Luciana Maximo

O Jornal conversou com Aldieris Braz Amorim Caprini, que cedeu alguns artigos de sua tese de mestrado que descreve com detalhes a história política do município de Iconha

Ver Artigo
Vila do Riacho - Por Maurilen de Paulo Cruz

A origem da Vila do Riacho se situa em 1800, quando foi instalado um quartel na confluência dos Rio Riacho e Comboios, pelo Capitão-mor Antônio Pires da Silva

Ver Artigo