Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Chiquinho, o populista

Francisco Lacerda de Aguiar - Chiquinho

As denominadas “oposições coligadas” (PSP+PR+PRP+PTB+UDN+PDC) só conseguiram destruir o predomínio do PSD em duas eleições: a de 1954 e a de 1962. Nos dois pleitos, o candidato vitorioso foi Francisco Lacerda de Aguiar, conhecido como “Chiquinho”. A estratégia da campanha para elegê-lo foi, nas duas ocasiões, a mesma: fizeram-no parecer, para o eleitor, um “homem do povo”. Na realidade, Francisco Lacerda de Aguiar era um grande fazendeiro da cidade de Guaçuí, no sul do Estado – lembre-se de Aristeu Borges de Aguiar, na República Velha.

O cientista político João Gualberto, no livro A invenção do Coronel, relata que “Chiquinho” saiu em busca do povo. Subiu morros, visitou favelas, (...). Sua campanha fundou-se nessas visitas feitas às casas dos eleitores, onde tomava café, conversava sobre fatos banais e ouvia suas reivindicações (...)”

Em 1972, recordando as campanhas eleitorais das quais participou, o próprio “Chiquinho” deu o seguinte depoimento:

“Sou mesmo um homem da roça, humilde. Eu cumprimentava todo mundo, eram todos meus amigos. Segui a orientação de um amigo da Câmara de Deputados que me disse que quando num comício tem muito bêbado e muita gente no palanque, a vitória é certa. Então, quando não havia bêbados nos comícios eu mandava buscar nos bares mais perto.”

Francisco Lacerda de Aguiar, portanto, é a versão espírito-santense do fenômeno político nacional chamado populismo. Apesar de ser membro da elite, transformou-se em “porta-voz” das camadas populares – os “excluídos” do campo e das cidades. Na década de 50 do século passado, 80% da população capixaba vivia no meio rural.

Como todo bom populista, “Chiquinho” foi um líder carismático e paternalista, que seduziu e empolgou a “massa”, ganhando sua admiração, fidelidade cega e votos.

 

Fonte: História do Espírito Santo – Uma  Abordagem Didática e  Atualizada 1535 – 2002
Autor: José P. Schayder
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2012 

História do ES

Os pioneiros – Alguns nomes – Número – Partida do Tejo

Os pioneiros – Alguns nomes – Número – Partida do Tejo

Os mais abalizados autores registram mais ou menos sessenta, aí incluídos “dois fidalgos de elevada nobreza”

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Juízes de direito na Província do Espírito Santo

Reunimos, pois, sob a forma de uma sinopse, aquilo que pode demonstrar à evidência a província do Espírito Santo, baseando assim em documentos e em trabalhos de própria lavra e que aqui descrevemos

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
O Espírito Santo na 1ª História do Brasil

Pero de Magalhães de Gândavo, autor da 1ª História do Brasil, em português, impressa em Lisboa, no ano de 1576

Ver Artigo
Dia do Capixabismo – Por Francisco Aurélio Ribeiro

O dia de hoje deveria ser feriado estadual e não apenas municipal. O capixaba tem baixa auto-estima e pouco sabe de sua história e de sua cultura

Ver Artigo
Mês da Colonização do Solo Espírito-Santense

O site Morro do Moreno irá publicar matérias especiais sobre a Colonização do Solo Espírito Santense, comemorado em 23 de maio

Ver Artigo