Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Mais nomes curiosos de ruas de Vitória

Rua Caramuru, 1940

RUA DA VÁRZEA - Rua Professor Baltazar - professor de música, que ali residiu. Preparou a charanga, que recepcionou D. Pedro II.

ROÇAS VELHAS - De modo geral chamou-se assim toda a zona desde o Parque Moscoso até Santo Antônio. A foz do rio Marinho teve igual nome, dado por Duarte de Lemos. Campos abandonador por perseguição das formigas ou índios.

RUA DO FOGO ou CARAMURU - Foi conhecida por Ladeira do Quebra-Bunda, pois com leito em pedra, muito íngreme e sempre molhada por infiltrações, era bastante escorregadiça. Nessa rua existiu o "Liceu Philomático" da educadora Ernestina Pessoa, com assinalados serviços à instrução pública capixaba.

LADEIRA DA SENZALA OU TAPERA - No seu cruzamento com a Rua da Lapa, hoje Thiers Velloso, situava-se a senzala dos frades franciscanos.

PORTO DOS PADRES - Trecho compreendido entre a atual Av. da República até General Osório por onde se faziam as comunicações dos Padres Jesuítas. Para se vencer o canal, hoje ocupado pela Av. da República, havia uma ponte com altura bastante para passarem canoas com seus tripulantes agachados. Todo o Parque Moscoso era pantanal marítimo.

RUA DO PIOLHO - Rua 13 de Maio, atual. Era paupérrima. Moradia de escravos forros e, mais tarde, de marafonas.

RUA DO REGUINHO - Rua Sete de Setembro - era formada pelos fundos de grandes e tradicionais chácaras: do Vintém, do Nascimento e Mulundu.

RUA DO ROSÁRIO - Guardou o nome e o trajeto. Foi esquecida pelos urbanistas capixabas.

 

Fonte: Biografia de uma ilha, 1965
Autor: Serafim Derenze
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2010

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Carta a um amigo

Aristeu Borges de Aguiar comenta rapidamente a situação em Portugal, e, como que vaticinando, diz “o Mundo anda meio atrapalhado, parecendo que caminha para grandes transformações". 

Ver Artigo
Com a República, pontes, estradas, indústria e comércio

No Espírito Santo, como nas demais províncias do Império, o movimento republicano foi pequeno. Em 23 de maio de 1887, foi fundado o primeiro clube republicano do Espírito Santo

Ver Artigo
Viagens à Capitania do ES - Por Bruno César Nascimento

Expedições às terras capixabas feitas pelo príncipe Maximiliano de Wied-Neuwied, em “Viagem ao Brasil” (1820), e pelo botânico e naturalista Auguste de Saint-Hilaire, em viagem por aqui em 1818

Ver Artigo
Textos de História Militar do Espírito Santo

Este é o propósito deste livro. Trata-se, o nome já o diz, de uma coletânea de textos, textos estes da mais diversa natureza: poema épico, ensaios históricos, crônicas, correspondência oficial e particular

Ver Artigo
A Importância da Mulher na História do Estado

Exaltemos as mulheres de Regência! Diz o noticiário do naufrágio do "Imperial Marinheiro", em 1887

Ver Artigo