Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Morre o segundo donatário e assume sua esposa

Luiza Grinalda, esposa de Vasco Fernandes Coutinho filho. - Obra em exposição na Casa da Memória de Vila Velha-ES

Vasco Fernandes Coutinho (filho) faleceu em 1589,(40) sucedendo-lhe na direção da capitania sua viúva, D. Luísa Grinalda, que nomeou seu adjunto no governo o capitão Miguel de Azeredo.(41)

A administração de Coutinho (filho) distinguiu-se, principalmente, pelo sentido de estabilidade que imprimiu ao senhorio. Foi durante sua gestão, graças à paz e sossego reinantes, que os habitantes conseguiram fixar-se, em definitivo, na terra e demonstrar, pela construção de engenhos, desenvolvimento efetivo da catequese e levantamento da igreja dos jesuítas – para apontar tão somente três expressivas demonstrações de desejo de fixação na gleba – confiança no futuro e preocupação de continuidade na nova pátria.

Meses após a morte do segundo Vasco, chegaram à capitania os dois primeiros frades franciscanos – Antônio dos Mártires e Antônio das Chagas – que, pouco depois, iniciavam a construção, em Vitória, do convento de S. Francisco.(42)

No mesmo milésimo, os beneditinos padre frei Damião da Fonseca e irmão Basílio vieram da Bahia com o intuito de fundar, na Vila Velha, um mosteiro da sua ordem. Acolhidos benevolamente, “seospedaraõ emcaza de D. Luiza Grimalda, Capitoâ, e Governadora dela”. Dois anos mais tarde, obtinham “huma sorte deterras” na vila da Vitória, onde pretendiam “fundar outro Mosteiro”.(43)

 

NOTAS

(41) - MÁRIO FREIRE registrou “Miguel Antônio de Azeredo” (Capitania, 36).

(42) - Segundo a tradição, Vasco Coutinho (filho), impressionado com as noticias do zelo com que os franciscanos trabalhavam nos conventos e missões do norte do Brasil, pediu ao custódio daquela Ordem, então na Bahia, a vinda de alguns religiosos para o Espírito Santo. Atendido, não coube ao donatário assistir à chegada dos padres a seu senhorio.

Receberam-nos, festivamente, as pessoas mais distintas da terra: a governadora e seu adjunto, o “vigário desta Vila da Vitória, e ouvidor da vara nesta Capitania” padre Francisco Pinto, Marcos de Azeredo etc. Depois de nobre contenda sobre quem hospedaria os recém-vindos, coube a Marcos de Azeredo a disputada honraria. Mais tarde, transferiram-se para uma pequena casa provisória que edificaram, até que, em 1591, começaram a construção do convento definitivo, em terreno doado à Ordem por escritura assinada pela governadora, seu adjunto e a Câmara (da vila da Vitória) (RÖWER, O Convento, 34 ss).

(43) - Notícias Verdadeiras, 56. – Nova sesmaria conseguiram os beneditinos em 1594, conforme atesta o seguinte assentamento: “Em vinte e quatro de Maio de 1594 pedio o Ir. Fr. Bazilio e lhe foi dada por sesmaria pela dita D. Luiza Grimalda (Capitoâ, egovernadora com o seu adjunto Miguel de Azevedo huma ilha na mesma Vilha Velha que fora de d.ª Senhora, e estava no Campo. Nasua petisaõ diz o dito Irmaõ que ele fora com o Padre Fr. Damião em 1589 edificar o Mosteiro na dita villa tendo já caza que foi dadita D. Luiza” (Notícias Verdadeiras, 57).

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, junho/2017

Vasco Fernandes Coutinho

Perfil - Vasco Fernandes Coutinho

Perfil - Vasco Fernandes Coutinho

Em 1º de junho de 1534 foi expedida a carta de doação. O donatário, Vasco Fernandes Coutinho, era um homem da melhor fidalguia. Servira em Goa, na China e na África

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

No princípio – Por Mário Freire

A “Glória”, a caravela de Coutinho, permitiu-lhe trazer 60 companheiros. Entre esses, o fidalgo D. Jorge de Menezes e Simão de Castelo Branco

Ver Artigo
Os primeiros Jesuítas do ES - Por Mário Freire

A fundação dessa confraria ou irmandade justifica ser a Misericórdia do Espírito Santo, da qual Anchieta foi capelão, uma das mais antigas do Brasil

Ver Artigo
Ano de 1561 – Por Basílio Daemon

Falece em 1561 o donatário desta capitania, Vasco Fernandes Coutinho, não sabendo-se ao certo a data de seu passamento 

Ver Artigo
O Vasco do Espírito Santo - Por Francisco Aurélio Ribeiro

Portanto, Vasco Cominho chegou aqui, premeditadamente, no dia da festa de Pentecostes, para tomar posse sua capitania, a que nomeou do Espírito Santo

Ver Artigo
Ano de 1535 – Por Basílio Daemon

Chega a 23 de maio de 1535 à barra desta capital, tomando por ponto marítimo o pico do Mestre Álvaro, o donatário da capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho

Ver Artigo