Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rota dos Vales e do Café – Tradição e cultura em um só lugar

O museu foi ambientado e reproduz a antiga vida dos moradores da época do ciclo do café no Espírito Santo

O distrito de São Pedro do Itabapoana respira história com sua vila repleta de casarios da época em que barões do café davam as cartas

São Pedro do Itabapoana respira história, tradição e cultura. Distrito de Mimoso do Sul, o lugarejo que tem aproximadamente 1.000 habitantes já foi sede do município.

A vila — fundada em 1850 — recebeu esse nome devido à devoção ao santo protetor dos pescadores (São Pedro), profissão predominante entre os primeiros moradores. Já o Itabapoana é uma referência ao rio que margeava o lugar.

O povoado, rodeado de cafezais, bananeiras e laranjais, atraiu muitos barões dos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro em função do plantio de café.

Junto com os barões do café veio também a arquitetura que deu forma aos casarões e fazendas, uma marca registrada do distrito. Atualmente, existem mais de 40 imóveis desse período tombados pelo patrimônio histórico estadual. Entre eles está o Museu São Pedro de Alcântara do Itabapoana, instalado em um dos casarões tombados pelo Conselho de Estado da Cultura (CEC).

O museu foi ambientado e reproduz a antiga vida dos moradores da época do ciclo do café no Espírito Santo. No local são encontrados objetos como camas, estátuas, espelhos, pratarias e aquarelas.

O casarão foi construído em meados do século XIX, durante o período áureo do café, pela família Silveira. Desde então, já funcionou como pousada de tropeiros, pensão e farmácia.

O espaço integra a composição do centro do Sítio Histórico, constituída pela igreja matriz, a praça e o coreto, ladeados pelas demais construções baixas, de um pavimento, feitas no alinhamento das ruas, que remontam características da arquitetura colonial.

Outro detalhe que chama a atenção do visitante é o calçamento central em pé de moleque, que conserva a atmosfera de tempos passados, com casas antigas bem preservadas e hospitalidade.

Sanfona e viola alegram o vilarejo

Uma das principais marcas de São Pedro do Itabapoana, em Mimoso do Sul, são as rodas de sanfona e viola. Pelas esquinas da vila é fácil se deparar com músicos que entoam o som que alegra moradores e turistas e dão vida ao cenário remanescente do ciclo cafeeiro.

A música já virou tradição no município. Prova disso, é que anualmente, na última semana de julho, é realizado o Festival de Inverno de Sanfona e Viola.

O evento reúne músicos e turistas de diversas regiões do Brasil, que estão em busca de música do gênero de qualidade e uma bucólica paisagem. Além das apresentações dos competidores, músicos famosos se apresentam no festival.

Entre os artistas conhecidos que já passaram pelo festival estão: Dominguinhos, Renato Teixeira, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, Almir Sater e Sérgio Reis.

Para manter a tradição e despertar o interesse dos moradores da região por esse tipo de música, as oficinas, que ensinavam sanfona, viola, violão, percussão e harmonia, e que aconteciam apenas durante o festival, deram lugar a Escola de Sanfona e Viola.

A escola oferece aulas gratuitas durante o ano todo, e a partir dela formou-se a Orquestra de Sanfona e Viola, que se apresenta nas ruas na semana do festival e em outros eventos culturais.

VALE A PENA CONHECER

Igreja de São Pedro Construída no século XIX, a igreja, que fica no centro do vilarejo, reúne algumas imagens antigas e objetos sacros que atraem turistas e religiosos.

Casa do Artesanato

A casa do Artesanato reúne produções locais. Há peças em madeira, cerâmica, tecido e fibras vegetais.

Divas

Divas é o nome de uma grife local formada por um grupo de costureiras e bordadeiras que confeccionam peças originais e estampas baseadas na cultura e natureza locais.

Bosque do Sr. Setenta

O bosque, que tem 1,5 hectare de mata preservada, existe há mais de 80 anos. O nome é em homenagem ao Sr José de Souza, um antigo motorista de caminhão, já falecido, que ficou conhecido por jamais ultrapassar os 70 km/h, quando dirigia. Por isso, era apelidado de Sr. Setenta. O espaço é aberto à visitação.

Núcleo de Formação em Sanfona e Viola

Formação musical para crianças, jovens e adultos, habitantes do campo e da cidade com aulas semanais de sanfona, viola e percussão na Casa de Câmara e Cadeia de São Pedro do Itabapoana.

Antiquário São Miguel e Museu São Pedro

O Antiquário fica no térreo do Museu. O Antiquário é, de certa forma, um pouco de museu, já que, entre as peças que se encontram para venda, há algumas, adquiridas em fazendas da região, que não podem ser vendidas.

O museu foi ambientado em um dos casarões tombados e reproduz - por meio de objetos como camas, estátuas, espelhos, pratarias - a antiga vida da nobreza, mantida pelo comércio do café.

 

Fonte: Jornal A Tribuna – A Rota dos Vales e do Café, Lugares, 06/11/2011
Produção: Dinâmica de Comunicação
Contatos: 3232-5934 - imoveis@redetribuna.com.br
Jornalista responsável: Fabiana Pizzani
Edição: Erika Santos
Revisão: Márcio Rocha
Reportagem: Beatriz Seixas, Joyce Meriguetti, Luísa Buzin e Luísa Torre
Diagramação: Eliene Soares
Tratamento de imagens: Renan Martinelli
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2016

O Reinado do Café no ES

O reinado do café - Os burros carregaram o estado nas costas

O reinado do café - Os burros carregaram o estado nas costas

As tropas de burros tiveram uma importância fundamental no transporte do café e de outras mercadorias no território capixaba

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Rota dos Vales e do Café – Diversão com golfe e vôo radical

Município de clima ameno, com média de 20 graus, a bucólica Vargem Alta encanta o turista com lazer diferenciado. A cidade possui um dos mais belos campos de golfe do Estado e ainda conta com rampa de vôo livre com acesso asfaltado

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – Casas de grandes personalidades

A história de ícones da cidade, como Roberto Carlos e Rubem Braga, está preservada nas residências onde eles iniciaram as trajetórias 

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – Points de Verão e Cultura

Mas não só as praias que se destacam em Marataízes. O município foi importante rota de escoamento de café produzido no Sul do Estado, no período colonial

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – Casarões contam muitas histórias

Mimoso do Sul, Vargem Alta e Muqui se destacam por seus prédios antigos dos tempos áureos do ciclo do café no Estado  

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – Fazenda Independência

Para uma experiência de imersão no universo de época do ciclo do café, nada melhor do que se hospedar em um casarão antigo como a sede da Fazenda Independência, em Mimoso do Sul

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – Palacete Bighi

Palacete Bighi Construído em 1928, o palacete é uma das edificações mais importantes de Muqui

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – Fazenda Santa Rita

A 11 quilômetros de Mimoso do Sul, a Fazenda Santa Rita conta a história do passado de Muqui, e foi adquirida pela família Monteiro Lobato nos anos 1980

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – Casa da Família Villela

Construído em meados de 1921, o casarão verde que pertence até hoje à família Villela já aparecia em fotos antigas do centro de Muqui, próximo à Praça Municipal

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – ES é o segundo maior produtor

O Espírito Santo se mantém como um dos principais produtores de café, mesmo depois de mais de 150 anos do início do cultivo

Ver Artigo
Rota dos Vales e do Café – Fazendas antigas e natureza exuberante

Mimoso do Sul é o município com o maior número de fazendas históricas do ciclo do café no Estado. Ruas calmas, pessoas hospitaleiras e culinária peculiar vinda dos imigrantes libaneses e italianos 

Ver Artigo
Rota dos Vale e do Café - Uma terra de riquezas e progresso

Foram criadas fazendas, vilarejos e mais tarde as cidades, que ainda hoje preservam as lembranças dos tempos áureos do café por meio de monumentos arquitetônicos

Ver Artigo